Título e Capa 5
Escrita / Enredo 4
Originalidade 4
Personagens 3
Final 3

Como sabem, gosto de uma literatura nacional. Acho que os escritores por aqui conseguem passar uma certa realidade para as situações do cotidiano, ou deve ser pelo fato de nossas vidas como brasileiros ser algo muito mais difícil de levar. o livro pelo qual irei resenhar trata de algo que muitas vezes não vemos por ..

Summary 3.8 Ótimo
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

As Mãos Que Carregam o Ódio – Veida Lacerda

Como sabem, gosto de uma literatura nacional. Acho que os escritores por aqui conseguem passar uma certa realidade para as situações do cotidiano, ou deve ser pelo fato de nossas vidas como brasileiros ser algo muito mais difícil de levar. o livro pelo qual irei resenhar trata de algo que muitas vezes não vemos por aqui, o que quero dizer é que geralmente temos livros de romance, sic-lit e por aí vai. Muitos desses livros são sobre romances e etc, o que quero dizer que são os livros “Pop” que de hoje existe de montão, mas, para não delongar, digo que o que li me surpreendeu.Estava aguardando mais um desses livros estilo A culpa das estrelas e tals, mas o que me deparei foi com um livro puramente vingativo, no qual nos entrosamos com os personagens de uma maneira que quando vemos estamos pensando durante a ida no trabalho o que vai acontecer com a Claire e com a Isabella e o tal triangulo que seria amoroso com o rockeiro mais desejado de Seattle. Sem mais delongas deixo a sinopse, em seguida continuaremos com as observações:

“E se você ficasse em segundo plano na vida de todos aqueles que sempre amou e admirou? Para Isabella, isso nunca foi uma novidade. Desde pequena, acostumou-se a viver com as migalhas de amor e atenção dadas a ela, por parte de seus pais e amigos. Acostumou-se com isso, porém, nunca se conformou com essa situação, afinal, por que prestariam atenção nela se existia a doce e querida amiga Claire?”

Para começar, percebi uma certai influência ao estilo inglês de escrever, ou seja, os diálogos são separados com com (“) ao invés de (—). Digo que isso não atrapalha em nada ao dialogo, é apenas estético, você pode escrever da maneira que bem entender, mas muitas pessoas podem não saber existem duas maneiras de fazer diálogo. Dito isso agora podemos seguir.

A história começa de uma maneira bem tranquila, calma e “pacífica” até que começa a primeira reviravolta e temos o primeiro traço de personalidade de nossa antagonista se deliciando com um maravilho bolo enquanto sua amiga esta sagrando… Como assim? Isso mesmo, meus amigos, vão lá adquirir o livro e vocês saberão do que se trata. Eu como estava achando que teríamos mais um livro, acabei que larguei as distrações e comecei a leitura desse “Revenge” brasileiro. Senhoras e senhores, é isso mesmo que estão lendo, temos as tramas se desenrolando num ritmo absurdo e quando vemos já sentimos raiva da vilã mirim que cresceu e continua atazanando nossa queria e doce Claire, que com sua inocência e trejeitos nós faz querer ficar do lado dela para sempre.

Se eu pudesse dizer qual a personagem favorita de Veida Lacerda, diria que sem dúvidas é a Isabella, mesmo sendo toda “vingativa” acaba recebendo muito atenção. Isso não é ruim, até ficou ótimo, já que assim conseguimos ter muito mais raiva dessa menina traiçoeira.

Outro ponto que gostei foi ela regionalizar a história. Afinal nunca vi um brasileiro comum chamado de Luke, a não ser que o pai seja fã de Star Wars, que nesse caso podemos somar uns 200 pelo Brasil, uma taxa bem baixa se comparado com os homens João, José, Joaquim, e até Juvêncio. Gosto quando os nomes condizem com a região de fato. Outro fato interessante é o fato de nossa queria antagonista ter ido para Spokane, do qual é uma cidade que gostaria muito de conhecer, mesmo sabendo de minhas chances reais quase zero, pelo menos conheci um cidadão de Spokane no qual era uma ótima pessoa.

Ok, vamos voltar para a história de As Mãos que Carregam o Ódio, na verdade digo que ela é uma daquelas histórias com um enredo muito cheio de reviravoltas e sempre com cheiro de armação no ar. Chega um momento que até outra pessoa, figamos assim, terceirizada, começa a sabotar o coitado do Luke, que então passa a sofrer com os problemas causados por alguém que ele menos espera. Temos momentos de alívio também, já que um ambiente de vingança o tempo todo é algo cansativo, mas não digo que temos algum alívio cômico, mas pelo fato de termos mesmo uma narrativa mais pacata em certas ocasiões, o que é de se esperar, já que não gostaria de ler algo totalmente repleto de maldades.

Mas e o final? como fica? Olha meus caros leitores, isso diria que você deveria de saber como ficou, já que você tem a chance de ter o livro pelos links abaixo:

http://www.allprinteditora.com.br/as-maos-que-carregam-o-odio?search=as%20m%C3%A3os%20que%20carregam%20o%20%C3%B3dio

Mas agora, meus amigos, queremos que vocês comentem aí embaixo sobre o que acharam do livro…? Ou se já tramaram algo para tomar alguém de outra pessoa para vocês? Claro que não precisam compartilhar, mas sempre tem uns curiosos que querem saber… rsrsrsrs.

Não deixem de seguir nosso site inserindo o email de vocês no campo que vocês já devem ter visto, e também nos sigam nas redes sociais. Ouvi dizer que o Mundo das Resenhas sorteará esse livro com autógrafos e tudo. Espalhem a notícia e fiquem atentos que a qualquer momento anunciaremos o sorteio!!!!! Fui!!!!!

 

Related posts

David Copperfield: O clássico dos clássicos?

David Copperfield: O clássico dos clássicos?


David Copperfield: O clássico dos clássicos?

******************************NÃO contém spoiler****************************** Editora: Cosac & Naify Autor: Charles Dickens / Idioma: Português / Romance de formação - Clássico inglês/ 1.312 páginas Charles Dickens é conhecido como o maior escritor da literatura inglesa e foi...

The Mad Ship (Os Mercadores de Navios-Vivos #2): Superou O Navio Arcano?

The Mad Ship (Os Mercadores de Navios-Vivos #2): Superou O Navio Arcano?


The Mad Ship (Os Mercadores de Navios-Vivos #2): Superou O Navio Arcano?

******************************NÃO contém spoiler****************************** (CONFIRA A RESENHA DE O NAVIO ARCANO CLICANDO AQUI) Editora: Harpervoyager Autora: Robin Hobb / Gênero: Fantasia / Idioma: Inglês / 915 páginas O que posso dizer sobre “The Mad Ship” (*O Navio Insano)? Melhor...

Wytches: A representação de um medo ancestral

Wytches: A representação de um medo ancestral


Wytches: A representação de um medo ancestral

******************************NÃO contém spoiler****************************** Editora: Darkside Books Autor: Scott Snyder / Ilustrador: Jock / Tradutor: Érico Assis / Gênero: Graphic Novel / 192 páginas / Capa dura Esqueça as mulheres assustadoras que voam em vassouras, que possuem...