Título e Capa 5
Escrita / Enredo 5
Originalidade 5
Personagens 4
Final 5

******************************NÃO contém spoiler****************************** “Crime e Castigo”, o aclamado romance do autor russo Fiódor Dostoiévski lançado em 1866, não é apenas uma narrativa sobre um homem que decide cometer um crime. É uma obra que leva os leitores à uma viagem pela consciência de um criminoso, apresentando questionamentos acerca da existência humana em frente a dilemas ..

Summary 4.8 Incrível
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

Crime e Castigo: “Um incômodo necessário através de nossa consciência.”

******************************NÃO contém spoiler******************************

(Fonte: Planocritico,com)

“Crime e Castigo”, o aclamado romance do autor russo Fiódor Dostoiévski lançado em 1866, não é apenas uma narrativa sobre um homem que decide cometer um crime. É uma obra que leva os leitores à uma viagem pela consciência de um criminoso, apresentando questionamentos acerca da existência humana em frente a dilemas como justiça, crime, legalidade e o processo de culpa que atormenta o protagonista após cometer o crime que dá nome à obra.

O autor apresenta um protagonista complexo que após decidir cometer um crime tendo como justificativa o seu estado social e sua visão de mundo do que é ou não aceitável em um ato criminoso, passa a sofrer direta e indiretamente uma pressão da sociedade, juntamente com a culpa que vai consumindo-o aos poucos.

A narrativa incomoda ao apresentar um personagem central frio, que não hesita. A cena do crime choca devido a brutalidade do personagem e da escrita do famoso autor. A narrativa é direta, muito bem articulada ao ponto de nos deixar tão amortecidos e perturbados quanto Raskólnikov, o famigerado personagem.

“Crime e Castigo” tem uma escrita impecável. Os personagens são reais, os diálogos são fortes e o desenvolvimento da trama é uma completa perfeição. Os personagens coadjuvantes são tão bem trabalhados quanto o protagonista. O autor tece uma narrativa árida cheia de críticas que nos deixam pensativos: Quem tem o direito de decidir qual crime deve ser válido? Qual o peso de nossa consciência? São essas questões que atormenta o enigmático personagem.

“Mas onde teria ele ido buscar esses sentimentos? (…) tal era o vazio que de súbito, se apoderara do seu coração. Uma infinita solidão e alheamento se revelava subitamente à sua consciência”

O importante romance tem a capacidade de apresentar uma situação difícil de ser digerida ao mesmo tempo que humaniza o protagonista e reforça o lado humano tanto de quem lê quanto de quem faz parte da estória. Fiódor Dostoiévski mostra que a culpa é o equivalente psicológico da dor física. A dor é o caminho para a salvação, é praticamente impossível viver sem a mesma. Confesso que para mim não foi uma leitura fácil exatamente por eu ter criado uma barreira em relação ao personagem central. Eu o detestei tanto, que só fui me importar com o mesmo após começar a ler o epílogo; que é comovente sem ser exagerado.

A carga psicológica desta obra foi para mim tão incomoda quanto a que encontrei em “Lolita” de Vladimir Nobokov, em ” A Metamorfose” de Franz Kafka e em “O Morro dos Ventos Uivantes” de Emily Bronte. Uma obra que trouxe um peso que permanecerá comigo mesmo não tendo se tornado um dos meus clássicos favoritos da vida.

Por ter a capacidade de nos humanizar mesmo que seja perante a condição de um criminoso, a obra merece ser lida por todos. O autor não banaliza a criminalidade, mas deixa claro que todos merecem o direito do arrependimento. Ainda estou pensando a respeito destas questões.

A introspecção dos personagens, o realismo do enredo e o desfecho excepcional fazem de “Crime e Castigo” muito mais do que um clássico da literatura mundial. É uma obra que nos incomoda por nos fazer mergulharmos nos meandros de nossa consciência da forma mais incômoda possível.

Related posts

Shazam!: Breve história e HQ que inspirará a adaptação cinematográfica.

Shazam!: Breve história e HQ que inspirará a adaptação cinematográfica.


Shazam!: Breve história e HQ que inspirará a adaptação cinematográfica.

******************************NÃO contém spoiler****************************** Em 5 de Abril deste ano estreará “Shazam!”, o mais novo filme do universo da DC Comics nos cinemas distribuído pela Warner Bros. Pictures.  Com direção de David F. Sandberg e com Asher Angel e Zachary Levy no papel...

O Navio Arcano: O que dizer da aclamada fantasia de Robin Hobb?

O Navio Arcano: O que dizer da aclamada fantasia de Robin Hobb?


O Navio Arcano: O que dizer da aclamada fantasia de Robin Hobb?

******************************NÃO contém spoiler****************************** (CONFIRA A RESENHA DA TRILOGIA "A SAGA DO ASSASSINO" CLICANDO AQUI) *** Robin Hobb, pseudônimo de Margaret Astrid Lindholm Ogden é uma das escritoras mais conceituadas da atualidade quando fantasia é o assunto...

Ilíada em quadrinhos: Superou minhas expectativas!!

Ilíada em quadrinhos: Superou minhas expectativas!!


Ilíada em quadrinhos: Superou minhas expectativas!!

******************************NÃO contém spoiler****************************** (CONFIRA A RESENHA DE ILÍADA CLICANDO AQUI) (CONFIRA A RESENHA DE "O ANEL DE NIBELUNGO CLICANDO AQUI) Editora: Marvel (9 de Maio de 2017) Roteiro: Roy Thomas Ilustrador: Miguel Sepulveda Colorização...