Crítica – Extremis

critica-do-filme-extremis-da-netflixSabem, a vida é uma coisa linda, maravilhoso. Mas a vida tem a sua contraparte: a morte. Para quem já passou por uma situação de perder algum familiar, sabe que a dor é inimaginável, intensa e horrível. Mas e a dor das pessoas que tem um ente querido que está entre a vida é a morte? Aquelas pessoas que lutam mais que qualquer outra pela vida? Pessoas que vivem ligadas a aparelhos? Essa é a realidade que o documentário “Extremis” tenta mostrar. Como não tem uma sinopse, vou comentar sobre o documentário logo abaixo.

Extremis mostra a vida de um hospital que cuida de pacientes com doenças terminais. Pessoas que ainda tentam viver, apesar de toda a dor e sofrimento que passam. Como é um documentário, então todas as reações e situações são reais. Todo o sofrimento que as pessoas passam é real. Você pode ver a angústia no olhar de cada familiar, que se sente impotente por não fazer nada para controlar aquilo. Temos também o dilema dos médicos, que fazem de tudo para salvar essas pessoas, mas algumas coisas estão fora do seu alcance. Então a única coisa que resta a fazer é mostrar aos familiares as opções disponíveis e esperar pelo fim.

São apenas 25 minutos de filme, basicamente um episódio de TBBT ou Naruto. mas você não consegue sorrir enquanto assiste o filme. Porque não é essa a intenção deles. O diretos do documentário tenta mostrar o drama que acontece todos os dias nos hospitais ao redor do mundo. As vezes um amigo, um primo, um vizinho ou um conhecido está passando por isso. Acreditem, essa é uma das piores coisas do mundo. A sensação de se sentir impotente. De não poder fazer nada para salvar quem você ama. E cada pessoa passa por isso de um jeito. Algumas buscam consolo em Deus, outras nos familiares. Há aquelas que não conseguem superar essa dor, e acabam definhando. O fato é que isso pode acontecer com qualquer um. E não tem como estar preparado para isso. Eu não estava, quando tive que passar por situação semelhante.

Então, se você é muito sensível, assista Extremis com cautela, pois isso vai mexer muito com você. Vai fazer você pensar em muitas coisas. Talvez faça você pensar até mesmo em como você leva a sua vida e, se um dia, haverá alguém com você até mesmo nos piores momentos.

Bem, desculpem pela resenha melancólica, mas espero que vocês tenham gostado dela. E se essa é a primeira vez que visita o Mundo das Resenhas, seja bem vindo. Até a próxima.

Related posts

Resenha: Coração de Tinta – Cornelia Funke

Resenha: Coração de Tinta - Cornelia Funke


Resenha: Coração de Tinta - Cornelia Funke

Senhoras e senhores, peguem suas xícaras de chá, acomodem-se em suas poltronas, ou em qualquer lugar confortável, e deleitem-se com mais um resenha. Hoje, vamos conhecer um pouco sobre um mundo que existe ao mesmo tempo que não existe. Um mundo de fábulas, onde pessoas brincam, dançam e...

Resenha: A Rainha de Tearling – Erika Johansen

Resenha: A Rainha de Tearling - Erika Johansen


Resenha: A Rainha de Tearling - Erika Johansen

A Rainha de Tearling, chegou ao Brasil com toda a sua majestade em janeiro de 2017, publicado sob o selo Suma de Letras, da Editora Companhia das Letras. A obra, primeiro livro de uma trilogia, é o romance de estreia da autora Erika Johansen e terá em breve, sua adaptação exibida nas telas do...

Sociedade J.M Barrie – Barbara J. Zitwer

Sociedade J.M Barrie - Barbara J. Zitwer


Sociedade J.M Barrie - Barbara J. Zitwer

Se há uma coisa que eu gosto muito é um bom livro, ou um bom romance. Sim, aqueles livros que se aprofundam em cada personagem, nos fazendo, assim, pensar como eles, ou pelo menos entender suas motivações e ações. Outra coisa que um romance não deixa de lado é uma enrolação no enredo. Afinal, se...