Título e Capa 4
Escrita / Enredo 4
Originalidade 3
Personagens 5
Final 5

“O problema da briga de rua é que a rua sempre ganha” Como disse Vin Diesel, em uma de suas frases mais bem feitas no decorrer do filme, as brigas são o melhor do filme. Não posso dizer que sou fã da franquia Velozes e furiosos, já que não assisti todos, mas assisti os últimos… ..

Summary 4.2 great
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Crítica do filme “Velozes e Furiosos 7”

download“O problema da briga de rua é que a rua sempre ganha”

Como disse Vin Diesel, em uma de suas frases mais bem feitas no decorrer do filme, as brigas são o melhor do filme.

Não posso dizer que sou fã da franquia Velozes e furiosos, já que não assisti todos, mas assisti os últimos…

O filme tem um enredo muito bom e um pouco diferente dos outros, claro, já que teve um pouco mais de melodrama que os anteriores, devido ao falecimento do Paul Walker. É claro que não poderia continuar com a mesma ação dos filmes passados e esquecer de um dos protagonistas.

O filme tem muita, mas muita ação. Para todos os fãs de filmes de ação ou mesmo dessa franquia, vão se deliciar com os carros voadores, as quedas em penhascos e mais algumas outra cenas que, na minha opinião, são extremamente surreais, porém acabaram ficando muito boas.

Outro ponto forte a citar são as brigas, que não são poucas; e essas brigas tem vários pontos fortes, pois quem não iria gostar de ver Vin Diesel, The Rock e Ronda Rousey, a maior lutadora de MMA de todos os tempos em ação? Por essas partes, só tenho elogios a apontar. Foi a maior sacada contratar a Ronda para fazer um papel (curto) no filme.

O tom melodramático ficou no ar, com muitas frases sobre família, que “forçaram” um pouco o filme, conselhos em horas pouco inapropriadas. Talvez as frases tenham sido colocadas de propósito, para dar mais sensação a perda do integrante ou para preparar as pessoas para o que teríamos no final…

Os efeitos especiais foram incríveis, tanto que não consegui identificar quando as cenas eram com o Paul Walker ou quando eram com um de seus irmãos que serviram de dublês para a ausência dele. Para quem não sabe, foram feitos muitos efeitos especiais para colocarem o rosto de Paul nos dublês. Trabalho feito com extremo carinho, que conseguiu me fazer acreditar que era ele mesmo que estava no filme em todas as cenas.

Não poderia deixar de citar a homenagem feita para Paul Walker no final do filme. Quem era fão dele ou fã da franquia “Velozes e Furiosos“, ou mesmo alguém como eu que só assiste o filme porque é bom, irá se emocionar com a dedicação feita ao grande ator que ele foi.

Se vocês acham que esse poderia ser o último filme de Velozes e furiosos, saibam que teremos outros filmes para continuar essa saga, que cresceu consideravelmente nesses últimos filmes. Pra finalizar, gostaria que colocassem mais lutadores como a Ronda Rousey nos próximos filmes, quem sabe John Jones ou mesmo Michael Venon Page

Crítica do Filme Velozes e Furiosos 7

maxresdefault

Related posts

O Espaço Entre Nós – Peter Chelsom

O Espaço Entre Nós - Peter Chelsom


O Espaço Entre Nós - Peter Chelsom

Muito bem, pessoal! hoje irei falar do mais novo lançamento, e e acaba de sair dos cinemas direto para a Netflix. Sim O Espaço Entre Nós agora disponível antes mesmo do que qualquer um! Mas o que se passa nesse filme? pois bem, irei deixar a sinopse com vocês: O adolescente Gardner Elliot...

Crítica: Ex Machina – Instinto Artificial

Crítica: Ex Machina - Instinto Artificial


Crítica: Ex Machina - Instinto Artificial

Posso dizer que os 108 minutos que gastei assistindo Ex Machina: Instinto Artificial foram muito bem gastos. O filme é ótimo, tem efeitos visuais incríveis, um enredo que realmente prende a sua atenção e te faz pensar em como seria se não fosse uma ficção científica e, principalmente, o quão...

Crítica: Mais Estranho Que a Ficção – Marc Forster

Crítica: Mais Estranho Que a Ficção - Marc Forster


Crítica: Mais Estranho Que a Ficção - Marc Forster

Quando somos autores de obras , o maior problema é quando você decide matar o seu personagem. Ficamos dias e dias pensando em como cometer o ato. Vemos vários filmes e tudo o que mais encontramos para nos inspirar. No meu caso não consegui matar, ainda... Mas que diabos você está falando? Estou...

  • Concordo plenamente com o que você disse.
    Essa é uma franquia de total sucesso, que só teve evolução com passar dos filmes. É claro que houve muitas cenas forçadas conforme o filme teve suas sequencias. Mas é isso, se não fizessem coisas assim, os filmes ficariam repetitivos.

    http://www.desentupidoracuritiba24hr.com.br