Título e Capa 4
Escrita / Enredo 3
Originalidade 5
Personagens 4
Final 4

Muito bem, pessoal! hoje irei falar do mais novo lançamento, e e acaba de sair dos cinemas direto para a Netflix. Sim O Espaço Entre Nós agora disponível antes mesmo do que qualquer um! Mas o que se passa nesse filme? pois bem, irei deixar a sinopse com vocês: O adolescente Gardner Elliot (Asa Butterfield) ..

Summary 4.0 great
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

O Espaço Entre Nós – Peter Chelsom

Muito bem, pessoal! hoje irei falar do mais novo lançamento, e e acaba de sair dos cinemas direto para a Netflix. Sim O Espaço Entre Nós agora disponível antes mesmo do que qualquer um! Mas o que se passa nesse filme? pois bem, irei deixar a sinopse com vocês:

O adolescente Gardner Elliot (Asa Butterfield) é o primeiro humano nascido em solo marciano. Mas ele deseja fazer uma viagem à Terra para conhecer a verdade sobre seu pai biológico, e sobre seu nascimento. Nesta jornada, ele tem o apoio de Tulsa (Britt Robertson).

A sinopse parece ser bem simples, mas o filme não é tão simples assim, temos uma interação muito interessante entre Gardner e sua vontade de conhecer a terra, já que nascera em Marte, mas isso não quer dizer que ele é um ser marciano verde com olhos estranhos, na verdade por fora ele é bem normal, o problema foi que ele nasceu com os ossos alongados demais por conta de uma gestação espacial, sim a mãe dele descobriu a gravidez no percurso à Marte, logo os médicos já sabiam que ele iria nascer com problemas diferentes, e outra coisa foi também que ele nasceu totalmente adaptado à gravidade marciana, sendo assim, tendo uma estrutura óssea com menos carbono que o normal. Isso tudo impediria o menino de voltar à terra e ter uma vida normal, já que isso acarretaria em problemas cardíacos grandes demais.

Tá, mas ele vem para a terra? Ok, vamos começar aos poucos. Primeiro vou começar com o que achei necessário, que é justamente o que o filme, em minha opinião de bosta fez de bom, foi que ele não enrola na parte sobre a jornada da mãe para marte, apenas vemos nos primeiros momentos o discuso de partida e depois alguns momentos deles no espaço á caminho, justamente com a astronauta Sara, passando os momentos de gravidez, em seguida já vemos cortes onde nos leva á marte e ao nascimento de Gardner. Mas tão rápido, sim, já que a narrativa breve vai nos mostrando o que aconteceu, e acho que o filme perderia o foco caso nos mostrasse a gravidez inteira dela. Bom, o que quero dizer é que o filme foi direto onde deveria, contar a história do moleque de 16 anos, criado por cientistas que queria conhecer a terra.

Agora, a essa altura, o principal da história já com seus 16 anos e sua curiosidade à mil nos mostra seu mundo, triste, vermelho e isolado. Sua existência foi praticamente escondida de toda à sociedade, já que a impressa não iria ir muito bem das pernas quando descobrissem que o pessoal escondeu um bebê, sem dizer que aí eles iriam querer trazer o menino de volta. Bom, esse momento em que dizem que irão trazer o menino de volta para a terra ficou meio confuso o motivo, mas não estragou, já que queria logo vê-lo vindo a terra e conhecendo um outro mundo.

Tudo o que é novidade você quer tocar, perguntar andar percorrer e sentir, o menino faz tudo isso, principalmente sentir o vento batendo no rosto, o barulho do mar ao redor e principalmente o sol no rosto. Tudo o que vemos no filme nessa parte é engraçado, e é a parte de os críticos disseram ser a comédia sem funcionalidade, (não entendo os críticos) já que essa é a parte que fez o filme ter mais vida e ser mais humano. Vemos que o piá é realmente esticado e sendo maior que muitos. A essa altura ele já está com sua “namorada” Tulsa que o ajuda a descobrir mais sobre o Planeta Terra. E também a ir atrás de seu pai perdido no mundo a fora.

O Espaço Entre Nós é muito bem apresentado e apresentou o que estava esperando, mesmo tendo características de Sick Lit, o que achei que seria nos finais desses estilos, não aconteceu e terminou bem, teve surpresas no final. Se você vai chorar vai depender do que te faz chorar. Minha esposa ficou braba comigo pelo fato de faze-la ver um filme que a fez chorar… Mas vou deixar que vocês saibam como vai terminar esse romance inédito e original.

Fiquem com a resenha

 

Related posts

Crítica: A Morte te dá Parabéns

Crítica: A Morte te dá Parabéns


Crítica: A Morte te dá Parabéns

"A morte te dá parabéns" conta a história de Tree, uma jovem universitária que vive a vida sendo egoísta, arrogante e maltratando as pessoas a sua volta, inclusive o pai que ela ignora até metade do filme. Além do gênio difícil, a protagonista vive o famoso clichê, que atualmente deixou de...

Resenha- A Menina que Não Sabia Ler – John Harding

Resenha- A Menina que Não Sabia Ler - John Harding


Resenha- A Menina que Não Sabia Ler - John Harding

Em uma mansão monótona e silenciosa, vive Florence, uma menina órfã de 12 anos que surpreendentemente encanta os leitores por seu jeito determinado e corajoso. A menina vive com o irmão mais novo, Giles, sob os cuidados do tio negligente que os deixa largados na vasta propriedade com a...

Tropas Estelares – Robert A. Heinlein

Tropas Estelares - Robert A. Heinlein


Tropas Estelares - Robert A. Heinlein

Muito bem , pessoal! Finalmente voltei às minhas origens e hoje trago uma das mais incríveis e influentes obras de ficção científica. Sim, Tropas Estelares. Se você, no final dos anos 90 era criança. deve ter visto esse filme passar muitas vezes na TV. Foi assim que conheci o filme Tropas...