Título e Capa 5
Escrita / Enredo 4
Originalidade 5
Personagens 5
Final 4

Como de praxe, lá vai eu comentar sobre filmes dos anos 80. Já disse que nos anos 80 tivemos os melhores e mais criativos filmes, e que muitos deles voltam hoje em dia com temáticas diferentes, mas com a mesma fórmula dos encontrados naquela época. Hoje vou falar de um grande filme da Sessão da ..

Summary 4.6 great
Título e Capa 4
Escrita / Enredo 4
Originalidade 4
Personagens 4
Final 4
Summary rating from 1 user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 4.0 great

Quero Ser Grande (Big) de Penny Marshall – 1988

tom hanks, quero ser grande, big, filmes anos 80, piano de pé, filem clássico

Tocando piano com os pés, depois desse filem sempre quis fazer isso.

Como de praxe, lá vai eu comentar sobre filmes dos anos 80. Já disse que nos anos 80 tivemos os melhores e mais criativos filmes, e que muitos deles voltam hoje em dia com temáticas diferentes, mas com a mesma fórmula dos encontrados naquela época.

Hoje vou falar de um grande filme da Sessão da Tarde e que trouxe muitas gargalhadas (principalmente a melhor parte do filme, é até a capa dele, que é quando a música do “danoninho” é tocada com os pés pelo grande Tom Hanks), Quero Ser Grande. Antes de começar a resenha, vou deixar a sinopse pra quem nunca assistiu esse filme:

“Em um passeio num parque de diversões Josh (David Moscow) acaba barrado na montanha-russa. Revoltado, ele pede à máquina dos desejos para ser grande. No dia seguinte o pedido foi realizado e a mãe o expulsa de casa, pois não conhece aquele estranho de trinta anos (Tom Hanks). Josh, porém, continua sendo apenas uma criança e agora precisa aprender a se relacionar no mundo dos adultos.”

Agora imagine você, que ainda não tem 30 anos, acordando no dia seguinte como um marmanjão. Cara, seria muito louco. Quando eu assisti esse filme pela primeira vez, em uma das várias exibições na Sessão da Tarde, imaginava como eu seria aos trinta anos. Hoje perto dos 30 vejo que só as responsabilidades mudaram, que de resto é quase igual. No filme, Josh é uma criança como qualquer outra que gosta de andar de bicicleta com seu melhor amigo, sofre de paixonite por uma garota um pouco maior do que ele. O que ele nunca ia imaginar é encarar uma vida de adulto. Tom Hanks incorporou de fato mesmo uma criança, fazendo tudo que uma criança faz. O fato de David Moscow (Josh criança) ter interpretado todas as cenas de adulto ajudou ao Tom Hanks na hora de interpretar uma criança em corpo de adulto, sorte que seu amigo acaba ficando do seu lado e o ajuda nos primórdios de seu drama como adulto.

tom hanks, quero ser grande, big, filmes anos 80.

O melhor trabalho do mundo, brincar com brinquedos para testar.

A parte mais complicada na vida é arranjar um emprego, queria que fosse fácil como no filme, mas como a vida não é… e filme é filme… Enfim, Josh consegue um emprego numa grande empresa de brinquedos e como ele possui experiência em brincar acaba conseguindo ir muito longe em sua profissão. O filme acaba ficando interessante quando a vida adulta começa a contrastar na sua experiência que tem apenas como criança. Suas atitudes são como de criança, a exemplos como o de comer somente o recheio da bolacha, brincar em lojas de brinquedos, gastar todo o dinheiro com besteiras e não entender assuntos de duplo sentido ou de contextos mais picantes, coisas que nem eu, quando vi o filme na infância, tinha entendido, mas que agora faz todo sentido. Ah, e sem dizer que acaba tendo uma casa cheia, mas cheio mesmo, de brinquedos.

Mas pude perceber que e espero que seja uma mensagem no filme, que não devemos deixar nunca nossa infância morrer, sempre levar a vida com um bom humor e também não deixar de ser criança cedo demais, uma vez que nossas experiências na infância irão nos preparar para a nossa vida adulta. Temos que ter a idade que temos, mas ao mesmo tempo manter viva a criança interior, que habita dentro de cada um de nós. É questão de tempo ou algo do tipo do conto “Eleven” de Sandra Cisneros, que acaba contando algo sobre isso. Quero Ser Grande é um filme que deve ser assistido por todos não importando a idade, mas é algo muito divertido. Sem dizer que se encontra na Netflix também.

 

Related posts

Resenha: Quando Fazemos História (When We Rise)

Resenha: Quando Fazemos História (When We Rise)


Resenha: Quando Fazemos História (When We Rise)

QUANDO FAZEMOS HISTÓRIA (WHEN WE RISE) When We Rise, Quando Fazemos História no Brasil, trata-se de um documentário sobre a luta LGBT nos Estados Unidos desde a década de 70, até os dias de hoje. Atravessa gerações de uma mesma luta. Dividida em 8 episódios, escrita por Dustin Lance Black e...

Resenha: Em Quanto Conto – Carlos Lazzarotto

Resenha: Em Quanto Conto - Carlos Lazzarotto


Resenha: Em Quanto Conto - Carlos Lazzarotto

Olá, leitores. Hoje vocês vão ler um resenha de um livro repleto de contos curtos que vão tornar o seu dia mais feliz ou te fazer refletir um pouco mais sobre questões que às vezes passam sem ser notadas. E e esse livro que eu vos falo é "Em Quanto Conto", escrito por Carlos Lazzarotto. Caso...

Resenha – Star Wars:  The Clone Wars (Série)

Resenha - Star Wars: The Clone Wars (Série)


Resenha - Star Wars: The Clone Wars (Série)

Finalmente! Depois de muito tempo e dedicação consegui completar todas as temporadas da minha franquia preferida. Estou me referindo às 6 temporadas das guerras clônicas entre a República e a Federação do Comércio. Mas é necessário assistirmos os filmes de Star Wars para vir a curiosidade de...