Título e Capa 4
Escrita / Enredo 1
Originalidade 2
Personagens 1
Final 1

Antes de qualquer coisa, confira a sinopse dessa obra, depois, por sua própria conta e risco, leia minha opinião. “O Reino Distorcido se prepara para o cumprimento de uma antiga profecia: a chegada de uma nova Rainha, a Feiticeira que tem mais poder que o próprio Senhor do Inferno. Mas ela ainda é jovem, e ..

Summary 1.8 poor
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Resenha – A Filha do Sangue; Anne Bishop

a-filha-do-sangue-anne-bishopAntes de qualquer coisa, confira a sinopse dessa obra, depois, por sua própria conta e risco, leia minha opinião.

“O Reino Distorcido se prepara para o cumprimento de uma antiga profecia: a chegada de uma nova Rainha, a Feiticeira que tem mais poder que o próprio Senhor do Inferno. Mas ela ainda é jovem, e por isso pode ser influenciada e corrompida. Quem a controlar terá domínio sobre o mundo. Três homens poderosos, inimigos viscerais – sabem disso. Saetan, Lucivar e Daemon logo percebem o poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. Assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, no qual as armas são o ódio e o amor. E cujo preço pode ser terrível e inimaginável.”

Sabe qual é a única e melhor parte do livro “A Filha do Sangue”? A capa. Porque a história…

Desculpa aí galera do mal, que cobre essa trilogia de elogios mas gosto é gosto e eu não gostei nadinha.
Achei a escrita chata, bem como a linguagem. Achei o mundo de fantasia e poderes criados, confusos. A alternância, ora descrevendo a vida de Saetan, ora descrevendo a vida de Daemon, ora descrevendo outras vidas é fraca, não inspira curiosidade. Não inspira nada.
Achei uma fantasia tão… Sem nada de fantástico. Um enredo super forçado, dando voltas e mais voltas em torno de praticamente nada, era como se não tivesse história para contar!
Ok, o foco era mostrar a importância da feiticeira e da importância de protegê-la? O foco era mostrar intriga entre reinos? O foco era mostrar briga por poder? Desculpem, mas qualquer um que tenha sido o foco ali, foi muito ruim.
400 páginas de voltas e mais voltas, para não chegar a nenhum lugar interessante. Para não me surpreender em nada. Para não me conquistar. Para fazer com que eu me sentisse totalmente neutra em relação a história.
Tão chato dizer que detestei um livro. Mas infelizmente…
Estou com o segundo exemplar dessa trilogia na estante, mas nem sei se terei coragem de ler. Quem sabe, eu seja forte e tente né?
E se você leu este livro e gostou, por favor, não me xingue e nem me odeie, como eu disse lá no início, gosto é gosto!
Até a próxima!

Related posts

RESENHA – COMO SE LIVRAR DE UM VAMPIRO APAIXONADO – BETH FANTASKEY

RESENHA - COMO SE LIVRAR DE UM VAMPIRO APAIXONADO - BETH FANTASKEY


RESENHA - COMO SE LIVRAR DE UM VAMPIRO APAIXONADO - BETH FANTASKEY

O livro conta a história de Jessica, uma estudante comum que vive numa fazenda com os pais adotivos. A garota está prestes a completar 18 anos quando descobre ser uma princesa que vem de uma linhagem de vampiros romenos e, para a sua surpresa, está prometida em casamento ao príncipe vampiro...

Resenha: Morte de Tinta – Cornelia Funke

Resenha: Morte de Tinta - Cornelia Funke


Resenha: Morte de Tinta - Cornelia Funke

Sim amiguinhos, finalmente vamos encerrar nossas aventuras pelo Mundo de Tinta, com o último livro da trilogia Mundo de Tinta, Morte de Tinta, escrito por Cornelia Funke e lançado aqui em terras brazucas pela editora Seguinte. Vou colocar a sinopse do livro e depois digo minhas opiniões sobre o...

Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Primeira Guerra Mundial – Santiago Farrel

Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Primeira Guerra Mundial - Santiago Farrel


Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Primeira Guerra Mundial - Santiago Farrel

Esse ano completa-se praticamente cem anos de um dos conflitos que marcou todas as nações que se envolveram nela. Não, não estou referindo a segunda guerra mundial, mas sim a Primeira, na qual até hoje é considerada, e com razão, o pai de todos os conflitos modernos, já que foi nela que foi...