Título e Capa 4
Escrita / Enredo 5
Originalidade 3
Personagens 4
Final 4

 “No dia mais escuro, na noite mais sombria…” Essa frase é o começo do juramento da Tropa Sinestro, e esse é o começo da Guerra dos Anéis. Calma, se você não está entendendo nada disso, segura na minha mão e vem comigo, que eu vou explicar tudo. Sinestro por muito tempo foi considerado o maior ..

Summary 4.0 Incrível
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

Resenha – A Guerra dos Anéis (Sinestro Corps War)

 “No dia mais escuro, na noite mais sombria…”

Essa frase é o começo do juramento da Tropa Sinestro, e esse é o começo da Guerra dos Anéis. Calma, se você não está entendendo nada disso, segura na minha mão e vem comigo, que eu vou explicar tudo.

Sinestro por muito tempo foi considerado o maior Lanterna Verde que já existiu. Mas havia um problema. Ele não concordava com os métodos que os Guardiões usavam para policiar o universo. Sinestro achava que só através do medo e da dominação era que se podia conseguir a ordem universal. Então, depois de ter instaurado uma ditadura do medo em Korugar, seu planeta natal, ele foi expulso da Tropa dos Lanternas Verdes e construiu um anel que controla a energia amarela do medo, a maior fraqueza dos anéis verdes. Durante anos Sinestro cometeu várias atrocidades em nome de um “bem maior”, como ele mesmo afirmava. Até que, um dia, ele se cansou de tentar mudar o universo sozinho, e começou a recrutar membros com “grande habilidade para instilar o medo” e fundar a Tropa Sinestro.

Esse resumo de mais ou menos 20 anos de quadrinhos foi necessário para contextualizar a Guerra dos Anéis. Nessa saga, vemos Sinestro, com sua tropa formada, indo atrás de vingança. Vingança sim, pois Sinestro foi muito humilhado pelos Guardiões e principalmente por Hal Jordan, o Lanterna Verde da Terra. Então ele e sua tropa partem para a guerra, matando todos os lanternas verdes que eles encontram pelo caminho, até que a batalha final acontece na Terra.

Essa história foi muito bem escrita, pois mostra que cada membro da Tropa Sinestro está ali por uma razão específica. É muito interessante se aprofundar nessas histórias. Uma delas é a do Superman Primordial, uma versão do Superman vinda de uma terra paralela, onde ele ficou por um milhão de anos no núcleo do sol (se o Sups normal tira o seu poder dos raios do sol, imagina um cara que ficou UM FUCKING MILHÃO de anos dentro do NÚCLEO do sol). E, a que mais me emocionou, a história do SuperCiborgue, que é uma homem normal que foi transformado em uma versão ciborgue do Sups. Sério, a real razão dele ter entrado para essa guerra é muito boa.

Mas não é só isso. Toda a motivação da Tropa dos Lanternas Verdes em conter essa ameaça é inacreditável. Ainda mais depois de perderem vários membros da tropa em combate. Essa história mudou para sempre o universo, pois ao final dessa história, vemos a formação de outras tropas, incluindo a  Tropa dos lanternas negros, que culminaria na Noite Mais Densa.

Uma última coisa que eu quero mencionar antes das considerações finais é que é inacreditável que, quase qualquer problema que acontece no universo acaba tendo que ser resolvido na Terra. Mas pelo menos dessa vez  foi bem explicado. E tenho que fazer uma menção honrosa aos habitantes de Coast City, que não abandonaram a cidade, mesmo com uma ameaça de morte iminente. E mostraram que Coast City é, realmente, a Cidade Sem Medo.

Considerações finais

É claro que eu super recomendo que vocês leiam A Guerra Dos Anéis. Recentemente essa história foi lançada em dois encadernados. Vale muito a pena comprar eles. Ao término dessa história, recomendo também “A Noite Mais Densa”. Ela é beeeem maior, mas é muito boa, afinal, é uma mega saga da DC com zumbis. Quer coisa melhor que isso?

Bem, acho que é isso. Se você chegou até aqui, muito obrigado por ler a resenha, e aproveite e leia meu conto, “Sonhos Impossíveis” (sim, eu sei que é chato pedir isso, mas dá uma forcinha, por favor :D). Até a próxima resenha.

“…Todo aquele que venera o mal há de penar, quando o poder do Lanterna Verde enfrentar.”

modelo-novo-postagem-site-lanterna-verde

 

Related posts

Resenha: Piano Vermelho – Josh Malerman

Resenha: Piano Vermelho - Josh Malerman


Resenha: Piano Vermelho - Josh Malerman

Josh Malerman entrou na minha vida com o pé direito, quando eu li “Caixa de Pássaros”. Ainda posso sentir na pele toda a agonia que aquela leitura me causou (vide minha resenha da obra)... Então, assim que “Piano Vermelho” foi lançado, imediatamente entrou na minha lista de desejos. Desta vez...

RESENHA – SILÊNCIO – BECCA FITZPATRICK

RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK


RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK

“Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da...

Não se apega, não! – Isabela Freitas

Não se apega, não! - Isabela Freitas


Não se apega, não! - Isabela Freitas

Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de...