Título e Capa 5
Escrita / Enredo 4
Originalidade 4
Personagens 4
Final 4

Estamos tão acostumados a ler obras grandes e famosas, de vários gêneros, que quase sempre deixamos escapar obras maravilhosas escritas por pessoas que estão perto de nós. Hoje, lhes apresentarei o livro A Lenda de Elvengray, escrito por Simone S. Miranda. Uma trama que ilustra a batalha do bem contra o mal, mas de uma ..

Summary 4.2 great
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Resenha: A Lenda de Elvengray – Simone S. Miranda

Estamos tão acostumados a ler obras grandes e famosas, de vários gêneros, que quase sempre deixamos escapar obras maravilhosas escritas por pessoas que estão perto de nós. Hoje, lhes apresentarei o livro A Lenda de Elvengray, escrito por Simone S. Miranda. Uma trama que ilustra a batalha do bem contra o mal, mas de uma forma que nos dá a impressão de estarmos acompanhando uma grandiosa campanha de RPG. Vou inserir a sinopse aqui abaixo e logo começo a falar mais sobre o livro.

Cheio de histórias de lutas pelo poder, dimensões paralelas, deuses e seres fantásticos, o planeta Elvengray enfrenta uma nova Era, onde um dos mais poderosos Guardiões Ancestrais, Luther, absorve suas energias mágicas e proclama-se Imperador, impondo sua tirania.
Com o último suspiro do líder do Conselho dos Seis, assassinado por Luther, uma Profecia é feita, prometendo ao seu povo que, um dia, um grupo extraordinário renasceria, jovens reencarnados com a alma da deusa, com a única missão de libertá-los deste terrível vilão.
Acompanhe Mynna, Baeriel, T’Lorien, Cordellia, Ellos, Gustaff e Zelwski, os Novos Guardiões, em uma jornada épica pelos cinco Reinos, cheia de perigos e reviravoltas, em busca de aliados para a batalha final contra o Imperador, na tentativa de trazer novamente a paz ao planeta.

Bem, o que me chamou a atenção, em primeiro lugar, foi que a autora dedicou algumas páginas do livro para contar a história de seu mundo. Nós vemos como ele surgiu, como Laecys, a deusa da Luz, e Vallion, o deus das Trevas coexistiam em alguma harmonia, e como essa harmonia foi pro ralo. Como o mundo evoluiu até chegar onde está, como os habitantes desse mundo conseguiram utilizar as energias Lurk e Mörk, Energias que representam a vida e a morte, para criar sua própria Tecnologia, como os Guardiões Ancestrais nasceram e sucumbiram a seu maior desafio, Luther, outrora um Guardião que sucumbiu à energia Mörk e matou os outros Guardiões. Isso tudo é história, e poucas páginas são o necessário para contá-la. O que realmente importa é o presente, e os personagens protagonistas dessa história.

Somos apresentados a 7 jovens, Mynna, Baeriel, T’Lorien, Cordellia, Ellos, Gustaff e Zelwski, os Novos Guardiões (isso não é spoiler, afinal). Temos um capítulo inicial destinado a cada personagem, mostrando-os no momento em que descobrem possuir o poder dos Guardiões Ancestrais. Esses capítulos são importantes para você descobrir um pouco mais sobre eles, quem eles são, o que os move, o porquê eles são do jeito que são. Cada um possui suas peculiaridades, o que é interessante de ver, principalmente quando essas peculiaridades afetam diretamente a vida deles. E os personagens, apesar de serem salvadores do mundo e tudo o mais, são pessoas. Tem sentimentos. Não são os típicos personagens de aventuras, que são super poderosos e não ligam para sentimentalismo. Eles possuem medo, insegurança. Isso pode matar eles em algum momento, mas mostra que eles podem ser igual a qualquer um, mesmo não sendo igual a qualquer um.

Outra coisa que eu gostei bastante foi do elenco de apoio, vamos chamar assim, da trama. Claro que a personagem que mais se destaca é Carmim, princesa de uma raça que se dizia ter sido extinta por Luther, mas que vive bem escondida. A ela é dada a missão de guiar os Novos Guardiões pelo planeta, para juntas mais pessoas para o exército que irá libertar Elvengray das garras de Luther.

Bem, sobre a trama em si, eu devo admitir que esperava mais batalhas épicas, ainda mais que, em conversa com a autora, havia muito de RPG no cerne do livro, mas, mesmo não tendo batalhas épicas, onde os heróis triunfariam gloriosamente sobre o vilão, nós temos o desenvolvimento dos personagens, o Role-Play, ou o RP da siga RPG. Nós vamos aprendendo a gostar dos personagens, a se importar com eles, a temer que algum deles morra durante a batalha.

E o livro é exatamente isso, uma introdução ao mundo, aos personagens e à guerra que eles irão travar. No final, o livro consegue surpreender exatamente por isso, saindo da curva dos livros de aventura convencionais e deixando as batalhas de lado. Afinal, o que eu entendi desse livro é que as batalhas não são nem de longe o foco principal. Os Novos Guardiões são extremamente poderosos, mas alguns possuem até medo desses poderes. Então é disso que se trata, do nascimento dos Novos Guardiões como as pessoas que irão salvar Elvengray.

Bem, se tratando de um livro introdutório de uma trilogia, acredito que as batalhas épicas estão por vir. O jeito agora é esperar os próximos livros chegarem e ver qual será o resultado.

Bem, essa foi a resenha de hoje. Se e a primeira vez que você acessa o Mundo das Resenhas, seja muito bem vindo. Não se esqueça de assinar as notificações do nosso site, se inscrever na Newsletter, seguir nossas redes sociais e compartilhar nossas resenhas com seus amigos. Até a próxima, e que a Deusa da luz esteja sempre conosco.

Related posts

Resenha: Deuses de Dois Mundos – O Livro do Silêncio

Resenha: Deuses de Dois Mundos - O Livro do Silêncio


Resenha: Deuses de Dois Mundos - O Livro do Silêncio

Já me acostumei a ver obras se apoiando em várias religiões e mitologias diferentes, mas nunca tinha visto uma obra que trabalhasse tão bem com as questões das religiões afro-brasileiras quanto O Livro do Silêncio, primeiro da trilogia Deuses de Dois Mundos, escritos por PJ Pereira. Vou deixar a...

Resenha: A Menina que Não Acredita em Milagres

Resenha: A Menina que Não Acredita em Milagres


Resenha: A Menina que Não Acredita em Milagres

Lá vou eu novamente em mais uma resenha, mas dessa vez venho falar de um livro com um estilo que jamais imaginei que leria uma dia, o tal gênero chick-lit, novidade para mim, mas já vem rondando há muito tempo o mundo literário. Gênero conhecido pelo livro A culpa é das Estrelas de Jonh Green...

Resenha – Preciso Saber – Karen Cleveland

Resenha - Preciso Saber - Karen Cleveland


Resenha - Preciso Saber - Karen Cleveland

Se tem uma pessoa que ama livros de romance policial, essa pessoa sou eu. Mas sou muito crítico, pois quando pego uma obra desse tema, analiso desde o enredo principal até os detalhes que vem na trama. Quando iniciei a leitura do livro Preciso Saber, escrito pela autora Karen Cleveland (Bem que...