Resenha- A Menina que Não Sabia Ler – John Harding

RESENHA DO LIVRO A MENINA QUE NÃO SABIA LER

“Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo. Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula? O que esconde a Srta. Taylor? E por que o tio a proibiu de ler? Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender seu irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros – únicos companheiros e confidentes – antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?”

Em uma mansão monótona e silenciosa, vive Florence, uma menina órfã de 12 anos que surpreendentemente encanta os leitores por seu jeito determinado e corajoso. A menina vive com o irmão mais novo, Giles, sob os cuidados do tio negligente que os deixa largados na vasta propriedade com a supervisão apenas dos empregados.

A protagonista, Florence, aprende a ler sozinha, pois o tio era contra a educação das mulheres. Nesse contexto ela passa a viver mergulhada nos livros e usar as melhores artimanhas para esconder o seu “baú de tesouros”, seu novo mundo, à biblioteca.

“Fui de prateleira em prateleira, pegando um livro atrás do outro, espirrando com a poeira ao abrir cada um deles. É claro que eu não sabia ler, mas por algum motivo isso me deixava ainda mais maravilhada, todos os milhares – ou milhões – de linhas codificadas com impressão indecifrável”.

O livro começa calmo e tranquilo, com uma narrativa lenta e repetitiva, onde as únicas agitações se dão pela ida escondida da menina à biblioteca e, quando o personagem Theo Van Hoosier, faz de tudo para encontra-la depois do almoço, enfrentando até mesmo a neve com crises fortes de asma.

Florence é extremamente protetora com seu irmão caçula Giles e, quando esse vai para a escola, ela teme que os outros meninos pratiquem abusos e bullying com ele, pois na visão da personagem o irmão era lento no aprendizado.

A obra do escritor britânico John Harding, “Florence and Giles”, teve seu nome traduzido como “A Menina que Não Sabia Ler”, na época de lançamento sofreu muita polêmica em relação aos leitores e fãs do autor, mas mesmo com algumas críticas nesse sentido, o livro é envolvente, misterioso, romântico e contém uma trama de acontecimentos que deixam os leitores querendo alguma coisa a mais.

A história começa a ficar interessante quando Giles é mandado de volta da escola por problemas de saúde, nesse momento, Florence se vê feliz com a volta do irmão, pois não aguentava mais de saudades e queria protegê-lo.

Com a morte da primeira preceptora de Giles, num acidente no lago perto da propriedade onde moram, os planos de Florence são totalmente atrapalhados pela substituta, Sra Taylor. Com essa drástica mudança, o livro finalmente toma fôlego e a história começa a se tornar atrativa e misteriosa.

Um verdadeiro suspense psicológico toma conta da trama onde o leitor se pergunta o que é real e o que faz parte do imaginário de Florence. As páginas seguem eufóricas e surpreendentes, e a dúvida de quem realmente é a Sra Taylor paira sobre a sequência de capítulos bem escritos e estruturados.

“A Sra Taylor observou-o com um leve sorriso, mas não sem ternura; parecia que não conseguia olhar para Giles sem morder os lábios, e ao ver aquele sorriso percebi que ela sabia das minhas idas até à biblioteca. Ainda assim, eu não iria admitir de imediato, por isso me virei e caminhei lentamente pela sala, passando o dedo por um livro aqui, tocando a lateral de uma prateleira ali”.

O livro traz consigo muitas questões  sem explicação e questionamentos, mas essa era a intenção do autor, despertar dúvidas e deixar que os leitores decidisse em que acreditar, quais conclusões chegar.

De um lado há evidências de que Florence sempre tira conclusões e por ser extremamente decidida, não aceitaria que suas conclusões estivessem erradas, do outro, temos uma Sra Taylor enigmática e misteriosa que aparenta desejar algo em relação a Giles.

“O que eu deveria fazer agora? Ali estava eu, uma garota de 12 anos órfã, sozinha no mundo, exceto por alguns criados queridos mas estúpidos e, é claro, meu irmãozinho, que, longe de poder me ajudar, precisava da minha proteção.”

Para quem ainda não leu A menina que não sabia ler eu recomendo. Depois de ler, deixem a opinião nos comentários.

Related posts

Tropas Estelares – Robert A. Heinlein

Tropas Estelares - Robert A. Heinlein


Tropas Estelares - Robert A. Heinlein

Muito bem , pessoal! Finalmente voltei às minhas origens e hoje trago uma das mais incríveis e influentes obras de ficção científica. Sim, Tropas Estelares. Se você, no final dos anos 90 era criança. deve ter visto esse filme passar muitas vezes na TV. Foi assim que conheci o filme Tropas...

Crítica: Thor Ragnarok

Crítica: Thor Ragnarok


Crítica: Thor Ragnarok

Sim, amiguinhos. Estamos nos aproximando da derradeira batalha contra Thanos, mas antes, porque não ver uma aventura que é leve, porém tem lá a sua densidade. Recentemente, o terceiro filme do deus lindo, loiro e nórdico do trovão estreou nos cinemas, fazendo um sucesso que seus antecessores não...

Lançamento: Chronos: Viajantes do Tempo

Lançamento: Chronos: Viajantes do Tempo


Lançamento: Chronos: Viajantes do Tempo

CHRONOS: VIAJANTES DO TEMPO SOMOS TODOS REFÉNS DO TEMPO LANÇAMENTO PREVISTO PARA 16 DE NOVEMBRO DE 2017 Na vida, tudo tem uma ordem certa para acontecer: os sapatos devem ser colocados depois das meias, a geléia deve ser passada no pão depois da manteiga — netos nascem depois dos...