Título e Capa 2
Escrita / Enredo 4
Originalidade 3
Personagens 4
Final 4

Até onde você iria por amor? Ops, quero dizer, por uma pérola? Estava a procura de um ebook curto e que contivesse o título de “mais lidos”. Não sei ao certo se este livro leva o título de “mais lido”, já que pelo menos no Skoob há muitos poucos leitores que tenham lido, mas li ..

Summary 3.4 Ótimo
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

Resenha – A pérola de John Steinbeck

livrosAté onde você iria por amor? Ops, quero dizer, por uma pérola?

Estava a procura de um ebook curto e que contivesse o título de “mais lidos”. Não sei ao certo se este livro leva o título de “mais lido”, já que pelo menos no Skoob há muitos poucos leitores que tenham lido, mas li a sinopse, me interessei e inicie a leitura.
O livro é datado da década de 40 (não vou trabalhar com números exatos para não correr o risco de dar informação errada, já que pesquisando em um site eu li que o livro datava de 1945 e em outro 1947) então, melhor simplificar e falar que foi escrito na década de 40.
Pelo meu entendimento, os personagens principais da história são índios (pela capa do livro já dá pra saber) ou colonos, ou como eram chamados os povos que já residiam na América antes de outros povos a “descobrirem”. Enfim, são índios, que vivem em situação precária e sua principal fonte de sustento é a pesca. Pesca de pérolas.
O livro aborda questões que não remetem apenas a década de 40, mas a década de hoje, que é a desigualdade social.
Kino, nosso personagem principal – marido de Juana e pai de Coyotito – em uma de suas idas em busca de pérolas, encontra a maior pérola já vista.
E aí, entra o outro tema que o livro aborda: a ganância, a inveja, até onde alguém pode ir quando tem sua mente afetada pela possibilidade de sair da miséria e se tornar um homem rico.
Alguns personagens subliminarmente, outros explicitamente, mas todos tem suas mentes afetadas pelo pensamento: “e se essa pérola fosse minha..?”
Tragédia, desconfiança, inveja, cobiça, ganância, medo… Todos estes e outros sentimentos transcorrem pelas páginas dessa história, que é narrada de forma simples, com os acontecimentos se desenrolando rápido e com uma conclusão mais rápida ainda.
Um livro para você ler em menos de uma semana.
Não é 5 estrelas, mas vale a pena dar uma conferida.resenha a perola de john steinbeck munod das resenhas

Related posts

RESENHA – SILÊNCIO – BECCA FITZPATRICK

RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK


RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK

“Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da...

Não se apega, não! – Isabela Freitas

Não se apega, não! - Isabela Freitas


Não se apega, não! - Isabela Freitas

Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de...

RESENHA – FALCÃO, MENINOS DO TRÁFICO – MV BILL E CELSO ATHAYDE

RESENHA - FALCÃO, MENINOS DO TRÁFICO - MV BILL E CELSO ATHAYDE


RESENHA - FALCÃO, MENINOS DO TRÁFICO - MV BILL E CELSO ATHAYDE

“Este livro é um contundente relato pessoal de Celso Athayde e MV Bill dos bastidores da produção de um documentário explosivo sobre o universo dos meninos que trabalham no tráfico de drogas em diversas partes do país. Narrado em primeira pessoa, o livro revela as dramáticas experiências que...