Título e Capa 3
Escrita / Enredo 5
Originalidade 5
Personagens 5
Final 5

“Contos de Fadas Macabros” Livro de contos, então primeiro vou comentar um pouco de cada um antes de dar a opinião geral. Branca dos Mortos e os 7 Zumbis: Daora! Palavrinha informal, eu sei, mas foi a que eu achei melhor para descrever essa reformulação total da tão conhecida Branca de Neve. A narrativa é ..

Summary 4.6 great
Título e Capa 3
Escrita / Enredo 5
Originalidade 5
Personagens 5
Final 5
Summary rating from 1 user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 4.6 great

Resenha – Branca dos Mortos e os Sete Zumbis

Branca_mortos_sete_zumbis_7“Contos de Fadas Macabros”

Livro de contos, então primeiro vou comentar um pouco de cada um antes de dar a opinião geral.

Branca dos Mortos e os 7 Zumbis: Daora! Palavrinha informal, eu sei, mas foi a que eu achei melhor para descrever essa reformulação total da tão conhecida Branca de Neve.
A narrativa é tão envolvente que você vai virando as páginas ansiosa pelo que vem depois. Só ressalvo um erro que encontrei:
“…Um morcego arrancou o olho regenerado do cão raivoso com o bico e o jogou longe…”
Então… morcegos não tem bico e sim boca!
João, Maria e os Outros: uma liçãozinha de vida que deveria ser lida por pessoas que abandonam seus filhos. Posso resumir a lição que o conto passa com as palavras muito bem usadas no primeiro parágrafo:
“Ninguém, nem naquele reino nem em nenhum outro, pobre ou rico, encarnado ou desencarnado, jamais escapará aos desígnios que ingenuamente engolfamos em ilusões didáticas como ‘karma’, ‘providência’ ou ‘justiça’. Esses mistérios que, quanto mais tarde compreender-vos, melhor será, cedo ou tarde se revelarão a todo homem e mulher, trazendo conforto a poucos e horror para a maioria, num tempo em que o mundo dos sonhos estará fechado para sempre…”
E aí, depois de ler esse trecho, faz alguma ideia do que acontece na história?
Uma narração da tão conhecida história de João e Maria mas com uma boa pitada de karma/ providência/ justiça, como você achar melhor chamar.
E só mais uma coisinha: floresta maldita, uma mina, galhos amarrados. 7 anões… Isso não lembra alguma coisa do conto anterior?
Os Três Lobinhos: curtinho, porém muitíssimo legal. São três lobinhos e cada um representa uma história. Um para a chapéuzinho vermelho, um para os três porquinhos e outro para aquela história que não me lembro o nome, mas fala de um menino pastor de ovelhas que gritava “olha o lobo!” quando não havia lobo nenhum, apenas para zombar das pessoas.
Claro que só lendo para descobrir em que contexto e por que essas três histórinhas infantis entram no conto.
,: só digo uma coisa: o que se passa nesse conto deveria ter acontecido antes de João e Maria terem sido abandonados na floresta.
A Vendedora de Fósforos e o Vingador: Se existe algum conto sobre uma vendedora de fósforos, eu desconheço, então não vou saber assimilar as mudanças feitas nele. Mas gostei da história.
Vou parar de falar que as histórias entre os contos se encontram pra não ficar repetitivo, já que acredito que será assim até o fim do livro.
Cindehella: e o Sapatinho Infernal: bem parecido com o original, pelo menos nas ordens dos fatos, mas com um toque macabro em cada um deles. A madrasta de Cindehella, já é uma conhecida de um conto anterior. Assim como a Cindehella. Ah e foi o conto com mais mortes até o momento.
A Confissão: pelo título, pensei que seria alguma história desconhecida para mim e ao longo dos parágrafos, ficava: “acho que é desse conto de fadas, não é desse!” e no fim das contas passei longe da resposta.
Bela Incorrupta: a curiosidade de um homem e o desejo absurdo de contornar a morte são os ingredientes principais desse conto. O outro ingrediente é alguém que pra variar já conheci em um conto anterior.
E, esqueci de comentar isso no começo, mas cada conto é precedido por uma ilustração e a ilustração de Bela Incorrupta me deu uma agonia!
O Monstro: narrado em forma de poema, foi o conto mais fraco até agora. No final eu não entendi se era pra ser engraçadinho, triste ou alguma outra coisa.
Se alguém entendeu o verdadeiro sentido, por favor, me explique! Porque sei que tem alguma coisa subtendida entre os versos que eu não captei.
O Cemitério: conta nada mais, nada menos do que como funciona um cemitério de gente já conhecida do livro das 3 às 4 da madrugada. Leia e dê uma olhada em como é a vida após a morte dos personagens que já conhecemos tão bem a essa altura.
Samarapunzel: ah, que incrível! Que final perfeito! Fiquei rindo feito boba do fim.
E que chique uma Rapunzel que não é loira e sim com os cabelos pretos, não é pra menos também já que seu nome não é Rapunzel e sim Samarapunzel.
Pelo nome dela já é de se imaginar que o conto é um misto de Samara (sim, aquela do filme, do poço… lembram?) e de Rapunzel, aquela que mora numa torre alta e joga as tranças enormes para a mãe subir.
Faz alguma ideia do resultado que dá unir um conto de fadas com um filme de terror tão conhecido? Ah, dá um resultado divertidíssimo!
O Fim de Quase Todas as Coisas: o título já diz: o fim de QUASE todas as coisas, tem uma coisa que não se findou com o tempo, tem alguma noção do que seja? Do que poderia ser tão resistente? A resposta surpreende.
Curtinho e com um final engraçadinho.
E assim termina meus breves comentários sobre os contos em separado, agora vou falar do livro no geral.

Primeiro, a ideia do autor de de pegar contos já existentes e tão fixos na mente das pessoas e alterá-los foi muito arriscada.
Por quê? Ora, porque têm pessoas que podem gostar, assim como muitos podem odiar por achar que o autor não teve criatividade para criar seus próprios enredos e teve que ter base em algo que já existia.
Mas, a meu ver, ficou muito bom! Acho que por ser uma ideia ousada, eu acabei cativada pelo livro. E essas versões dos contos de fadas ficaram mais legais que as originais!
A quem for ler, eu recomendo que leia na ordem, embora não conheça ninguém que lê um livro de contos fora da ordem, lendo pelos títulos que mais lhe chamam a atenção… Mas, caso você seja uma dessas pessoas que eu não conheço, leia na ordem.
Se ler fora de ordem, pode ser que tenha algum spoiler de outro conto ou acabe com uma informação incompleta, já que a informação completa estava no conto anterior.

Vale a pena ler, mas não se esqueçam: é pra maiores, hein!

Resenha do Livro Branca dos Mortos e os Sete Zumbis samararapunzel

Related posts

Resenha: A Menina Mais Fria De Coldtown

Resenha: A Menina Mais Fria De Coldtown


Resenha: A Menina Mais Fria De Coldtown

Para quem gosta de um bom romance com muita aventura, perigo e vampiros, A Menina Mais Fria De Coldtown de Holly Black é uma ótima escolha. Com capítulos intercalados entre os acontecimentos atuais e flashbacks que dão sentido a história, o livro narra em terceira pessoa a história de Tana, uma...

Resenha: O Purgatório Mental – Henrique Medeiros

Resenha: O Purgatório Mental - Henrique Medeiros


Resenha: O Purgatório Mental - Henrique Medeiros

"Em minha última manhã eu percebi que sempre fui o nada que temia me tornar." (Thy Light)  "O Purgatório Mental", trata-se de uma obra nacional de romance/fantasia, que chegou ao mercado literário nesse ano de 2017. O autor, Henrique Medeiros, escreveu a história quando tinha apenas 17...

Resenha: Sono – Haruki Murakami

Resenha: Sono - Haruki Murakami


Resenha: Sono - Haruki Murakami

Um livro muito pequeno, considerando suas poucas 120 páginas, mas com certeza de uma leitura intrigante e definitivamente indispensável. Sono do escritor japonês Haruki Murakami traz o relato de uma mulher aparentemente comum, dona de casa, mãe e mulher, mas com um pequeno detalhe de diferença...