Título e Capa 5
Escrita / Enredo 5
Originalidade 5
Personagens 5
Final 4

Que Guilhermo del Toro é incrível, todos nós sabemos. Depois de ter dirigido filmes como O Labirinto do Fauno, Hellboy e Círculo de Fogo, nós poderíamos até pensar que a genialidade dele se restringiria a criaturas infernais, robôs gigantes e afins. Mas ele também sabe o que faz no campo da literatura, mais especificamente na ..

Summary 4.8 great
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Resenha – Caçadores de Trolls (Livro)

Que Guilhermo del Toro é incrível, todos nós sabemos. Depois de ter dirigido filmes como O Labirinto do Fauno, Hellboy e Círculo de Fogo, nós poderíamos até pensar que a genialidade dele se restringiria a criaturas infernais, robôs gigantes e afins. Mas ele também sabe o que faz no campo da literatura, mais especificamente na literatura infantojuvenil. Enfim, vamos falar agora de Caçadores de Trolls, livro escrito por del Toro em parceria com Daniel Kraus. Antes que você crie perguntas na sua mente, sim, esse livro que foi a inspiração para a série Caçadores de Trolls, da Netflix, que também foi criada por del Toro. Caso queira saber mais sobre ela, leia a minha resenha clicando bem “aqui”. Bem, vou deixar a sinopse do livro e então começo a falar sobre a história, porque ela realmente é muito boa.

Uma história de terror idealizada por um dos artistas mais visionários da atualidade. Em Caçadores de trolls, Guillermo del Toro presenteia os leitores com uma aventura de dar arrepios, com ilustrações capazes de nos transportar para um mundo paralelo apavorante.

Jim Sturges é o típico adolescente na pacata cidade de San Bernardino: tem um pai superprotetor, um melhor amigo meio desajeitado e uma paixão platônica por uma menina que nem sabe que ele existe. Mas isso tudo muda quando um mistério de décadas ressurge, ameaçando a vida de todos os moradores da cidadezinha.

Um livro sobre os medos e criaturas que se ocultam onde menos se espera.

Certo, antes de tudo é preciso que, se você assistiu a série primeiro e está para ler o livro, você saiba que a série foi apenas inspirada no livro. Muita coisa é diferente, mas nem por isso uma tira o mérito da outra. Tanto a série quanto o livro são bons. Enfim, falando sobre as diferenças, toda aquela mística sobre a entidade “Caçador de Trolls” não existe no livro. Jim é realmente um cara normal, que é arrastado para uma guerra troll, mas não porque encontrou um medalhão que lhe confere poderes. O buraco é bem mais embaixo, mas eu não vou revelar tanto sobre isso, afinal seria um spoiler gigante.

Começando a falar dos personagens, e comparando-os com sua versão da série, todos eles possuem personalidade parecida. Jim e Bola são exatamente a mesma coisa que a série. Talvez Bola tenha algumas diferenças, que não passariam pela série, já que ela é mais destinada ao público infantil do que o livro. Claire também tem uma personalidade parecida com sua versão animada, embora a versão do livro seja um pouco mais badass. Pisca-Pisca e RRRAAA!!! (Lembre-se, são três Rs e três pontos de exclamação), também são bem parecidos com suas versões da série, Blinky e AAAAAAAAHHHHHHHH!!!! (Aí eu não sei quantos As e quantos pontos são. Desculpe.) Com pequenas diferenças físicas, como Pisca Pisca ter ficado cego devido a uma leitura extensa para ajudar RRRAAA!!!, e RRRAAA!!! ser uma troll fêmea, mas especificamente, Johanna M. RRRAAA!!!. Outra alteração também é na família de Jim. Na série, Jim mora com sua mãe, Bárbara, porém no livro ele mora com seu pai, Jim Sênior, e possui um tio chamado Jack, que havia desaparecido quando criança.

Pulando para o enredo, ele é interessante, pois pula de uma trama infantojuvenil normal para uma trama de terror de um modo suave, pelo menos em grande parte do livro. Em apenas dois momentos eu fiquei com uma sensação de que tudo foi corrido demais e que as coisas deveriam ter sido feitas com mais calma. Mas isso não é um defeito que estrague a trama. Ela continua concisa como sempre. Outra coisa legal são os momentos onde o terror característico de del Toro mostra as caras. Criaturas grotescas, vindas de qualquer submundo inimaginável, são em grande parte inimigos mortais dos caçadores de trolls. Isso também é mostrado por ilustrações excelentes contidas dentro do livro. A minha única reclamação quanto a elas é que aparecem umas dez páginas depois de terem sido narradas no livro, como uma risada que vem bem atrasada depois de uma piada.

Bem, falamos dos personagens, do enredo, mas afinal, o livro é tão bom quanto a animação? Eu digo que sim, o livro é tão bom quanto. Mesmo sendo diferentes em várias coisas, os dois carregam uma mesma centelha de personalidade, que você vê principalmente nos personagens. E isso é uma das coisas que fazem Caçadores de Trolls um dos melhore livros que eu já li.

Essa foi a resenha de hoje. Se é a primeira vez que você entra em nosso site, seja bem vindo. Se inscreva em nosso site, curta nossas redes sociais e compartilhem as resenhas com seus amigos. Até a próxima.

Related posts

Resenha: A Lenda de Elvengray – Simone S. Miranda

Resenha: A Lenda de Elvengray - Simone S. Miranda


Resenha: A Lenda de Elvengray - Simone S. Miranda

Estamos tão acostumados a ler obras grandes e famosas, de vários gêneros, que quase sempre deixamos escapar obras maravilhosas escritas por pessoas que estão perto de nós. Hoje, lhes apresentarei o livro A Lenda de Elvengray, escrito por Simone S. Miranda. Uma trama que ilustra a batalha do bem...

Resenha: As Crônicas de Oliver – Bruno di Oliveira

Resenha: As Crônicas de Oliver - Bruno di Oliveira


Resenha: As Crônicas de Oliver - Bruno di Oliveira

"As Crônicas de Oliver, O segredo da pirâmide de El Dorado", do autor Bruno di Oliveira, trata-se de uma obra nacional, publicada pela editora Planeta de Livros Brasil, sob o selo Outro Planeta. Oliver é um adolescente como muitos outros, que adora navegar na internet e jogar video game...

Resenha – Erased (Original Netflix)

Resenha - Erased (Original Netflix)


Resenha - Erased (Original Netflix)

Eu sempre amei histórias que mexem com viagem no tempo. Mas, ultimamente, eu venho preferindo histórias que usam a viagem no tempo apenas como um motor para fazer as coisas andarem, e não como fator principal. E é isso que a série Erased nos trás. Primeiro vou deixar a sinopse aqui e depois eu...