Título e Capa 2
Escrita / Enredo 5
Originalidade 5
Personagens 5
Final 5

Na resenha que fiz sobre “O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares”, citei que a mudança de editora relacionada a publicação dos próximos livros da série me preocupava, já que o O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares fora publicado inicialmente pela Leya, enquanto os demais livros seriam publicados pela Intrínseca. Atualmente, para ..

Summary 4.4 great
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Resenha: Cidade dos Etéreos – Ransom Riggs

cidade-dos-etereosNa resenha que fiz sobre “O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares”, citei que a mudança de editora relacionada a publicação dos próximos livros da série me preocupava, já que o O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares fora publicado inicialmente pela Leya, enquanto os demais livros seriam publicados pela Intrínseca.
Atualmente, para quem quiser, já tem a versão do primeiro livro escrito também pela Intrínseca, mas voltando ao foco da minha preocupação… Leya e Intrínseca são excelentes editoras, porém, cada editora tem seu estilo e era essa troca súbita de estilos que me preocupava. Algo que mudou drasticamente foram os estilos da capa. Na versão da Leya, capa “mole” normal. Já nas versões da Intrínseca, capa dura, com uma cor neutra. Sim, cor neutra, o desenho da capa em si, é na verdade um simples papel envolvendo o livro, você o retira e fica com uma capa toda neutra, com o título do livro estampado na lateral. Eu, particularmente, não gostei desse estilo de capa.
E esta, é  a única crítica que tenho a respeito da publicação do livro pela Intrínseca. No demais, tudo muito bem escrito e bem colocado. Acho que a maior diferenciação da versão da Leya, foi a capa mesmo.
Agora, saindo do foco troca de editoras, vamos falar deste livro em si!

“Cidade dos Etéreos” é a continuação direta da intrigante história das crianças peculiares apresentadas no primeiro livro. Nada de saltos no tempo, a história se inicia exatamente onde havia sido terminada no livro anterior. Com as crianças peculiares em seus barquinhos, no mar, perdidos, desamparados e com Jacob vendo sua antiga vida sendo deixada para trás.
A história se baseia numa busca incessantes por segurança (já que os acólitos estão no encalço das crianças) e na busca pela cura da Srta. Peregrine que está presa em sua forma de ave.
Ainda temos a constante presença de imagens se intercalando a história, o que é muito, muito, muito legal! (Essa técnica deveria ser mais utilizada por aí).
Temos muita ação e pelo menos eu, esperava a todo tempo a chegada do momento que o título do livro “Cidade dos Etéreos” faria sentido, ou seja, o momento que eles finalmente entrariam no covil dos inimigos.
Talvez esse momento em si, não tenha exatamente chegado, pelo menos, não do jeito que eu imaginava que seria… Mas o final… O acontecimento narrado exatamente na última página do livro é de cair o queixo. De tão peculiar que é.
O livro tem ação, mistério, drama e romance tudo na medida certa. Para você que leu O Orfanato da Srta. Peregrine e ainda não leu Cidade dos Etéreos, leia agora, mas já aviso, no momento que terminar a leitura desse segundo livro, vai querer ler o próximo imediatamente. Além de querer ler os “Contos Peculiares” imediatamente também.
Aliás, uma observação rápida, eu achei que esse “Contos Peculiares”, era algo meio a parte e sinceramente, o famoso “Ah, já que a história rendeu, vamos jogar mais esse livro aí pro pessoal comprar”, pode realmente ter sido por isso, mas olha, o “marketing” que rola desses contos dentro do próprio Cidade dos Etéreos, fazendo menções rápidas a eles e contando alguns desses contos, me deixou extremamente curiosa e interessada em lê-los também…
Enfim, ao final de tudo isso, só tenho a recomendar o livro, até o momento estou sendo sempre surpreendida positivamente.
E ah, tem uma entrevistazinha bem legal com o “Ransom Riggs” nas últimas páginas, mas NÃO a leiam sem ter terminado a leitura do livro, tem spoillers! Agora, fiquem com a sinopse oficial dessa obra e até a próxima galerinha peculiar!

“Cidade dos Etéreos dá sequência ao celebrado O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares, em que o jovem Jacob Portman, para descobrir a verdade sobre a morte do avô, segue pistas que o levam a um antigo lar para crianças em uma ilha galesa. O orfanato abriga crianças com dons sobrenaturais, protegidas graças à poderosa magia da diretora, a srta. Peregrine.

Neste segundo livro, o grupo de peculiares precisa deter um exército de monstros terríveis, e a srta. Peregrine, única pessoa que pode ajudá-los, está presa no corpo de uma ave. Jacob e seus novos amigos partem rumo a Londres, cidade onde os peculiares se concentram. Eles têm a esperança de, lá, encontrar uma cura para a amada srta. Peregrine, mas, na cidade devastada pela guerra, surpresas ameaçadoras estão à espreita em cada esquina. E, além de levar as crianças a um lugar seguro, Jacob terá que tomar uma decisão importante quanto a seu amor por Emma, uma das peculiares.

Telecinesia e viagens no tempo, ciganos e atrações de circo, malignos seres invisíveis e um desfile de animais inusitados, além de uma inédita coleção de fotografias de época — tudo isso se combina para fazer de Cidade dos etéreos uma história de fantasia comovente, uma experiência de leitura única e impactante.”

Related posts

Resenha: Coração de Tinta – Cornelia Funke

Resenha: Coração de Tinta - Cornelia Funke


Resenha: Coração de Tinta - Cornelia Funke

Senhoras e senhores, peguem suas xícaras de chá, acomodem-se em suas poltronas, ou em qualquer lugar confortável, e deleitem-se com mais um resenha. Hoje, vamos conhecer um pouco sobre um mundo que existe ao mesmo tempo que não existe. Um mundo de fábulas, onde pessoas brincam, dançam e...

Resenha: A Rainha de Tearling – Erika Johansen

Resenha: A Rainha de Tearling - Erika Johansen


Resenha: A Rainha de Tearling - Erika Johansen

A Rainha de Tearling, chegou ao Brasil com toda a sua majestade em janeiro de 2017, publicado sob o selo Suma de Letras, da Editora Companhia das Letras. A obra, primeiro livro de uma trilogia, é o romance de estreia da autora Erika Johansen e terá em breve, sua adaptação exibida nas telas do...

Sociedade J.M Barrie – Barbara J. Zitwer

Sociedade J.M Barrie - Barbara J. Zitwer


Sociedade J.M Barrie - Barbara J. Zitwer

Se há uma coisa que eu gosto muito é um bom livro, ou um bom romance. Sim, aqueles livros que se aprofundam em cada personagem, nos fazendo, assim, pensar como eles, ou pelo menos entender suas motivações e ações. Outra coisa que um romance não deixa de lado é uma enrolação no enredo. Afinal, se...