Título e Capa 5
Escrita / Enredo 3
Originalidade 4
Personagens 4
Final 5

Que o Universo DC sempre teve grandes histórias não é novidade. Até hoje nos temos sagas e crossovers sendo escritos. Mas para um saudosista, as melhores histórias são as antigas. Crise nas Infinitas Terras foi um marco nos quadrinhos, afinal foi a primeira saga que reunia todos os personagens e mudaria completamente a continuidade das ..

Summary 4.2 great
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Resenha – Lendas (DC Comics)

resenha-lendas-dc-comicsQue o Universo DC sempre teve grandes histórias não é novidade. Até hoje nos temos sagas e crossovers sendo escritos. Mas para um saudosista, as melhores histórias são as antigas. Crise nas Infinitas Terras foi um marco nos quadrinhos, afinal foi a primeira saga que reunia todos os personagens e mudaria completamente a continuidade das histórias. Mas eu não vou falar sobre essa crise. Não agora, pelo menos. Quero falar sobre a saga que veio como uma filha da Crise: “Lendas”. A primeira mega saga feita na continuidade pós-crise.

Lendas contém uma primícia muito simples, mas com um peso gigantesco na vida dos heróis da DC. Vou fazer um resumo dessa história.

Logo após a Crise, o universo estava se endireitando. Alguns personagens sentiam mais do que os outros os efeitos da batalha contra o Anti-Monitor. Mas então Darkseid, o soberano do planeta Apokolips, concebeu um plano para conquistar a humanidade. Qual era o seu plano? Destruir as lendas do nosso mundo.

Devo admitir que, para um plano simples, é algo muito bem orquestrado, afinal Darkseid é conhecido por ser calculista em seus planos. Com certos artifícios, como colocar a população mundial contra os super heróis, Darkseid começou pouco a pouco a convencer todos a esquecerem seus heróis, suas lendas.

A história tem o ritmo de quadrinhos dos anos 80. Com personagens descrevendo a eles mesmos, seus poderes, explicações que atualmente seriam desnecessárias. Mas ainda assim consegue prender você ao longo da história.

Gostaria de destacar a jornada do Capitão Marvel, atual “Shazam”. O seu conflito interno é algo digno de atenção, afinal ele ainda era só uma criança. Outra coisa que eu gostei muito de ver foi G. Gordon Godfrey, a figura principal no plano de Darkseid. Para que já assistiu Justiça Jovem, deve lembrar-se desse nome, afinal ele sempre foi totalmente contra os heróis ou qualquer ser superior. O poder de incitar multidões é realmente admirável. E as consequências dos atos de Godfrey são catastróficas.

Sempre gostei dessa magia das lendas em volta dos heróis. Algo ao qual nos apegamos. Algo que nos faz dormir seguros, afinal se uma invasão acontecer, temos a “Liga da Justiça” para nos salvar.

Outro ponto foi o aparecimento do “Esquadrão Suicida”. Esqueçam tudo o que vocês estão vendo. As notícias sobre o filme e tal. Estou falando do verdadeiro Esquadrão. Ou a Força Tarefa X. Vilões que são forçados a salvar o dia enquanto o mundo está acabando. Toda a dúvida em torno do capitão Rick Flag. São essas coisas que fazem de Lendas algo realmente lendário.

O último ponto que eu quero destacar é a relação entre Darkseid e o Vingador Fantasma. Nessa história, e em todas as histórias que eu já li, o Vingador é um personagem que não toma partidos em uma guerra. Ele sempre está observando os acontecimentos. E foi assim em Lendas. Ao lado de Darkseid, o Vingador observou todo o plano do soberano de Apokolips, e ainda mostrou a Darkseid até onde o seu plano iria, e quais seriam as consequências.

Considerações finais.

Lendas foi uma história feita para consolidar uma nova Liga da Justiça, apresentar a Mulher Maravilha ao público e fazer uma história com o circo pegando fogo, pois é muito legal ver um quebra-pau cósmico.

Recomendo Lendas para os fãs mais saudosistas da DC Comics. Pois essa história é uma das bases para o universo que tivemos até o reboot de 2011. Para quem quer começar a ler quadrinhos de certo ponto e não sabe de onde iniciar, mas tem algum conhecimento sobre os personagens da DC, também recomendo. É uma leitura rápida, com 160 páginas, mais ou menos. Talvez seja difícil achar alguma edição a venda por aí, mas vale a pena o esforço, afinal não é sempre que podemos ver Guy Gardner “Cabelinho de Cuia” e Canário Negro sem as meias arrastão.

Então é isso. Comentem, compartilhem com os amiguinhos nas redes sociais de meu Deus, tomem Dolly Guaraná, cortem seus cabelos igual ao do Guy Gardner e não acreditem no GGG. Até a próxima resenha.

Resenha da história em quadrinhos Lendas, da DC Comics

Resenha da historia em quadrinhos lendas da DC Comics

Related posts

RESENHA – COMO SE LIVRAR DE UM VAMPIRO APAIXONADO – BETH FANTASKEY

RESENHA - COMO SE LIVRAR DE UM VAMPIRO APAIXONADO - BETH FANTASKEY


RESENHA - COMO SE LIVRAR DE UM VAMPIRO APAIXONADO - BETH FANTASKEY

O livro conta a história de Jessica, uma estudante comum que vive numa fazenda com os pais adotivos. A garota está prestes a completar 18 anos quando descobre ser uma princesa que vem de uma linhagem de vampiros romenos e, para a sua surpresa, está prometida em casamento ao príncipe vampiro...

Resenha: Morte de Tinta – Cornelia Funke

Resenha: Morte de Tinta - Cornelia Funke


Resenha: Morte de Tinta - Cornelia Funke

Sim amiguinhos, finalmente vamos encerrar nossas aventuras pelo Mundo de Tinta, com o último livro da trilogia Mundo de Tinta, Morte de Tinta, escrito por Cornelia Funke e lançado aqui em terras brazucas pela editora Seguinte. Vou colocar a sinopse do livro e depois digo minhas opiniões sobre o...

Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Primeira Guerra Mundial – Santiago Farrel

Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Primeira Guerra Mundial - Santiago Farrel


Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Primeira Guerra Mundial - Santiago Farrel

Esse ano completa-se praticamente cem anos de um dos conflitos que marcou todas as nações que se envolveram nela. Não, não estou referindo a segunda guerra mundial, mas sim a Primeira, na qual até hoje é considerada, e com razão, o pai de todos os conflitos modernos, já que foi nela que foi...