Título e Capa 4
Escrita / Enredo 5
Originalidade 3
Personagens 4
Final 4
Confiram o vídeo que fizemos falando um pouco mais sobre a Série Verão Letal (Dead of Summer em inglês) Para quem não conhece, a nova série de suspense/terror que começou a ser exibida no canal Sony, verão letal, foi produzida pela ABC e começou a ser exibida em 28 de junho de 2016 e teve [...]
Summary 4.0 great
Título e Capa 5
Escrita / Enredo 5
Originalidade 4
Personagens 5
Final 5
Summary rating from 1 user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 4.8 great

Resenha da Série Verão Letal (Dead of Summer)

Confiram o vídeo que fizemos falando um pouco mais sobre a Série Verão Letal (Dead of Summer em inglês)

Para quem não conhece, a nova série de suspense/terror que começou a ser exibida no canal Sony, verão letal, foi produzida pela ABC e começou a ser exibida em 28 de junho de 2016 e teve seu último episódio exibido no dia 30 de agosto do mesmo ano. Antes de continuar com a minha opinião, vou colocar a sinopse oficial da série:

Situado no final de 1980, a escola está fechada para o verão, e uma estação ensolarada de estreias, acena os conselheiros em Camp Stillwater, um acampamento de verão no centro-oeste aparentemente idílica, incluindo primeiros amores, primeiros beijos e as primeiras mortes. A Escura mitologia antiga de Stillwater desperta, e o que era suposto ser um verão de diversão logo se transforma em um dos sustos inesquecíveis e mal em cada turno.

Se você procura uma série que te faça dormir com a luz acesa, pode sentar e assistir verão letal, pois se você assistir e se vidrar nos detalhes com certeza vai ter que chamar companhia para conseguir dormir a noite. Ainda mais se você é uma pessoa que já foi para acampamentos de verão, assim como eu.

Logo na cena inicial temos um cara tocando piano para uma platéia sem ninguém, com as cadeiras vazias.
O que nos faz ficar imaginando onde estão essas pessoas (calma, logo você descobrirá).

dead-of-summer-verao-letalO local onde os jovens vão passar o verão, era um local que tinha sido fechado. E acabara de ser reaberto. Mas o que eles não imaginam é que há muitas coisas sinistras neste local. Algumas cenas te fazem prender o fôlego, pois você fica apreensivo com os fantasmas e espíritos que surgem. Só que eles não aparecem e assustam todos, eles aparecem aos poucos, deixando os personagens confusos, pensando que estão vendo coisas, às vezes nas câmeras, ou mesmo no meio da floresta.

As personagens que ganham mais destaque logo no primeiro episódio é a Amy Hughes (Elizabeth Lail), que deve ser conhecida de muitos, pois ela atua como a princesa Anna de Arendelle da série Once Upon a time, e Deb Carpenter (Elizabeth Mitchell), que atuou também em Once Upon A Time, como Ingrid/Snow Queen/Sarah Fisher e LOST, como Dr. Juliet Burke; Séries também da ABC. O que achei mais legal na série, é que não teve toda uma enrolação para começar os tormentos. Eles jogaram algumas iscas no início do primeiro episódio e colocaram (perdoe-me a expressão) a porra toda do terror logo no primeiro episódio, o que faz muito mais sentido, do que ficar te enrolando metade das série com melodramas baratos.

Acho que por hoje é isso, pessoal. Caso queiram assistir a série, ela está passando no canal Sony, todas as Terças-feiras as 21h. Ainda não temos previsão do lançamento da série na netflix, ou em rede aberta, mas caso você seja assinante do canal Sony, Corre que alguns episódios estão disponíveis no aplicativo por alguns dias. E não se esqueçam de comentarem o que estão achando da série, e inscreverem em nosso site logo abaixo

Related posts

Resenha: Não Há Segunda Chance – Harlan Coben

Resenha: Não Há Segunda Chance - Harlan Coben


Resenha: Não Há Segunda Chance - Harlan Coben

"Não se tratava de nenhum herói que ele ia chamar. Muito pelo contrário, mas, afinal, tudo o que importava era sobreviver. Palavras bonitas e justificativas funcionavam em tempos de paz. Em tempo de guerra, em questões de vida ou morte, a coisa era mais simples: nós ou eles." Que "Harlan Coben"...

Crítica: Ex Machina – Instinto Artificial

Crítica: Ex Machina - Instinto Artificial


Crítica: Ex Machina - Instinto Artificial

Posso dizer que os 108 minutos que gastei assistindo Ex Machina: Instinto Artificial foram muito bem gastos. O filme é ótimo, tem efeitos visuais incríveis, um enredo que realmente prende a sua atenção e te faz pensar em como seria se não fosse uma ficção científica e, principalmente, o quão...

Resenha: Mais do Que Isso –  Patrick Ness

Resenha: Mais do Que Isso - Patrick Ness


Resenha: Mais do Que Isso - Patrick Ness

Mais do que isso virou um dos meus livros favoritos Depois do sucesso que foi Sete Minutos depois da Meia-noite, que ganhou até um filme, que atualmente está disponível na netflix, foi lançado agora no Brasil o livro Mais do Que Isso, Ambos escritos por Patrick Ness e lançados pela Editora Novo...