Título e Capa 5
Escrita / Enredo 4
Originalidade 4
Personagens 5
Final 5

Vídeo-resenha do NerdCubo com Spoilers Pois, amiguinhos. Hoje venho falar de um livro que chegou até o MDR direto das terras de nossos colonizadores, no longínquo país de Portugal. Estou falando do livro “Dama-da-Noite”, escrito pela autora C.F.C. Figo. Um livro que conta a história sobre anjos, demônios, humanos e outras criaturas, mas é uma ..

Summary 4.6 great
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Resenha – Dama-da-Noite – C.F.C. Figo

Vídeo-resenha do NerdCubo com Spoilers

Pois, amiguinhos. Hoje venho falar de um livro que chegou até o MDR direto das terras de nossos colonizadores, no longínquo país de Portugal. Estou falando do livro Dama-da-Noite”, escrito pela autora C.F.C. Figo. Um livro que conta a história sobre anjos, demônios, humanos e outras criaturas, mas é uma história com nuances nunca vistas antes, personagens com alinhamentos inusitados, e toda uma trama que te prende do começo ao fim do livro.

Muito bem, resumindo a sinopse do livro, a história é focada em Kasey Thorndike (sim, eu também não sei como se pronuncia esse sobrenome), uma garota que vive na cidade de Luce Mare, uma cidade litorânea onde os jovens são treinados para dominar os quatro elementos e, assim, ingressar em uma ordem comandada por Metatron, um dos primeiros arcanjos. Kasey tem uma ligação muito forte com Lilith, a primeira mulher de Adão, e essa ligação é a peça fundamental para o desenvolvimento da trama.

Pois bem, com esse resumo da obra, devo começar dizendo que ler este livro foi uma experiência totalmente diferente de tudo que eu já li. Cheguei a ler alguns contos de Machado de Assis e outros autores daquela época, mas nada se compara ao português de Portugal. É uma língua mais, digamos, sofisticada. O uso do que nós conhecemos como “segunda pessoa” é abundante. Mas em pouquíssimos momentos essa mudança atrapalha a leitura. Geralmente quando existe alguma expressão que é usada somente lá. Mas você entende logo o que o personagem quis dizer.

Agora que eu toquei nos personagens, quero comentar sobre alguns. Não vou fazer o perfil de todos, até porque a resenha ficaria gigante, mas quero falar dos personagens principais.

É interessante ver o quanto Kasey cresce ao decorrer da trama. De uma garota assustada, que mal consegue controlar seus poderes, para uma garota que luta mais que muito homem. Seu domínio sobre a água, ao final do primeiro livro, é digno da Katara (sim, fiz referência a Avatar. Perdoem o vacilo). E sua índole, sempre querendo ajudar as pessoas, mesmo um demônio, é louvável.

Quando você escuta o nome Samael, já pensa logo no filho da mãe que fez a Eva comer a maçã e ser expulsa do jardim do Éden, junto com Adão. Mas, em Dama-da-Noite, Samael é um personagem completamente diferente. Em apenas alguns momentos específicos você realmente vê um demônio como nós imaginamos que seja um. Na maior parte do tempo, ele é aquele amigo que sempre está rindo, tem uma piada sempre pronta e não consegue ficar sem paquerar qualquer pessoa que passe por ele.

“Cada um luta e conquista por si e menospreza o que os outros sentem. Eu pretendo mudar isso. Uma vez governando os três reinos, serei o Deus que sempre fez falta e nunca existiu.”

Os outros personagens também tem seu carisma, suas motivações, suas falhas, em suma, tudo o que faz um personagem se aproximar da realidade. Isso é realmente importante, pois faz você criar um laço afetivo com eles, assim torcendo para que não morram ao final do livro.

Eu realmente não sei se isso é uma característica da escrita portuguesa, mas em alguns momentos eu senti falta de uma transição de personagens mais explicita. Isso não atrapalha a leitura, mas pode te fazer reler um ou outro parágrafo.

Considerações finais

Com uma trama bem concebida, personagens cativantes, uma ambientação muito boa, um bom uso de personagens já existentes na “mitologia” cristã, um cliffhanger de explodir a cabeça e outras coisinhas a mais, Dama-da-Noite é uma leitura que eu recomendo a todos. Bem, não todos. Talvez alguns religiosos mais fervorosos podem achar o conceito do inferno e dos demônios um pouco estranho demais, mas ainda assim é uma boa história a ser lida.

Essa foi a resenha de hoje. Mais uma vez agradeço a autora por ter nos cedido sua obra. Não se esqueçam de inscrever-se em nosso site e nosso canal no Youtube, sigam nossas redes sociais, principalmente o Instagram, pois está rolando um sorteio incrível lá. Compartilhem nossas resenhas com seus amigos e inimigos. Até a próxima.

Related posts

RESENHA – COMO SE LIVRAR DE UM VAMPIRO APAIXONADO – BETH FANTASKEY

RESENHA - COMO SE LIVRAR DE UM VAMPIRO APAIXONADO - BETH FANTASKEY


RESENHA - COMO SE LIVRAR DE UM VAMPIRO APAIXONADO - BETH FANTASKEY

O livro conta a história de Jessica, uma estudante comum que vive numa fazenda com os pais adotivos. A garota está prestes a completar 18 anos quando descobre ser uma princesa que vem de uma linhagem de vampiros romenos e, para a sua surpresa, está prometida em casamento ao príncipe vampiro...

Resenha: Morte de Tinta – Cornelia Funke

Resenha: Morte de Tinta - Cornelia Funke


Resenha: Morte de Tinta - Cornelia Funke

Sim amiguinhos, finalmente vamos encerrar nossas aventuras pelo Mundo de Tinta, com o último livro da trilogia Mundo de Tinta, Morte de Tinta, escrito por Cornelia Funke e lançado aqui em terras brazucas pela editora Seguinte. Vou colocar a sinopse do livro e depois digo minhas opiniões sobre o...

Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Primeira Guerra Mundial – Santiago Farrel

Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Primeira Guerra Mundial - Santiago Farrel


Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Primeira Guerra Mundial - Santiago Farrel

Esse ano completa-se praticamente cem anos de um dos conflitos que marcou todas as nações que se envolveram nela. Não, não estou referindo a segunda guerra mundial, mas sim a Primeira, na qual até hoje é considerada, e com razão, o pai de todos os conflitos modernos, já que foi nela que foi...