Título e Capa 5
Escrita / Enredo 4
Originalidade 3
Personagens 4
Final 4

Vídeo-Resenha sobre a série (Com um spoiler ou dois) Sim amiguinhos, hoje vamos falar de uma série onde não existem heróis ou vilões. Apenas Lendas. Vamos falar um pouco sobre a série “DC’s Legends Of Tomorrow”, produzida pelo canal The CW, com exibição aqui nas terras tupiniquins no Warner Channel e, desde o dia 17/01/17, ..

Summary 4.0 Incrível
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

Resenha – DC’s Legends Of Tomorrow (Lendas do Amanhã)

Vídeo-Resenha sobre a série (Com um spoiler ou dois)

Sim amiguinhos, hoje vamos falar de uma série onde não existem heróis ou vilões. Apenas Lendas. Vamos falar um pouco sobre a série “DC’s Legends Of Tomorrow”, produzida pelo canal The CW, com exibição aqui nas terras tupiniquins no Warner Channel e, desde o dia 17/01/17, na nossa amada Netflix, a salvadora do tédio; e pela rede globo a partir do dia 06/02/17, com o título traduzido literalmente: “Lendas do Amanhã“.

Legends of Tomorrow mostra a missão de um “Mestre do Tempo”, Rip Hunter, de salvar a sua família, voltando no tempo e impedindo que Vandal Savage consiga completar seu plano. Para isso, ele junta uma equipe de heróis e vilões desajustados e os força a trabalharem em equipe. Equipe essa composta por Nuclear, Canário Branco, Gavião Negro e Mulher Gavião, Eléktron, Capitão Frio e Onda Térmica.

Bem, quem me conhece sabe que eu amo séries de heróis, principalmente as da The CW, mesmo não sendo tão boas assim em determinados episódios. Então, quando eu fiquei sabendo que LoT iria para o ar, eu fiquei realmente curioso para saber que rumos a série tomaria. Devo dizer que, até agora, estou bem satisfeito com esse rumo.

Com episódios focados nos integrantes da equipe, seus medos, suas paixões, seus dilemas, seu modo de viver e ver as coisas é um diferencial que as séries do chamado “Arrowverse” estavam precisando. Veja bem, em Arrow, nos temos uma linha que segue sempre com Oliver Queen. Em Flash, o foco é Barry Allen. Então, em LoT, com vários personagens, os produtores conseguiram tempo para desenvolver cada um deles. É muito interessante como eles amadurecem ao decorrer da temporada.

E sobre as interpretações, bem, uma boa parte das pessoas criticam as atuações das séries da CW, porém eu gosto muito das atuações em Legends of Tomorrow, principalmente a atuação do Arthur Darvill, velho conhecido da galera que gosta de Doctor Who. Várias piadas surgiram com isso, já que Dravill foi um dos companions do Doctor. Parece até que ele se rebelou e roubou uma máquina do tempo só pra ele.       

Enfim, piadinhas à parte, vou encerrando minha resenha recomendando que vocês assistam Legends Of Tomorrow, mesmo sem acompanhar Flash ou Arrow. Aproveitem que a série está com sua primeira temporada disponível na Netflix e façam aquela maratona no fim de semana, caso não tenham tv a cabo ou netflix fiquem ligados na rede globo, pois dia 06 de fevereiro sempre depois do jornal da globo (mesmo horário que passa Flash) passará um episódio inédito da primeira temporada de LoT.

Essa foi a resenha de hoje. Não esqueçam de comentar suas opiniões sobre a nossa resenha e a série em si. Inscrevam-se no nosso site para não perder nenhuma novidade e sigam nossas redes sociais. Até a próxima.

RESENHA DA SÉRIE LEGENDS OF TOMORROW (LENDAS DO AMANHÃ)

Related posts

Resenha: Piano Vermelho – Josh Malerman

Resenha: Piano Vermelho - Josh Malerman


Resenha: Piano Vermelho - Josh Malerman

Josh Malerman entrou na minha vida com o pé direito, quando eu li “Caixa de Pássaros”. Ainda posso sentir na pele toda a agonia que aquela leitura me causou (vide minha resenha da obra)... Então, assim que “Piano Vermelho” foi lançado, imediatamente entrou na minha lista de desejos. Desta vez...

RESENHA – SILÊNCIO – BECCA FITZPATRICK

RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK


RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK

“Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da...

Não se apega, não! – Isabela Freitas

Não se apega, não! - Isabela Freitas


Não se apega, não! - Isabela Freitas

Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de...