Título e Capa 4
Escrita / Enredo 5
Originalidade 5
Personagens 5
Final 5

“Este livro é um contundente relato pessoal de Celso Athayde e MV Bill dos bastidores da produção de um documentário explosivo sobre o universo dos meninos que trabalham no tráfico de drogas em diversas partes do país. Narrado em primeira pessoa, o livro revela as dramáticas experiências que Celso e Bill vivenciaram antes e durante ..

Summary 4.8 Incrível
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

RESENHA – FALCÃO, MENINOS DO TRÁFICO – MV BILL E CELSO ATHAYDE

“Este livro é um contundente relato pessoal de Celso Athayde e MV Bill dos bastidores da produção de um documentário explosivo sobre o universo dos meninos que trabalham no tráfico de drogas em diversas partes do país. Narrado em primeira pessoa, o livro revela as dramáticas experiências que Celso e Bill vivenciaram antes e durante a realização do documentário Falcão, projeto que iniciaram em 1998 e terminaram em 2006.

Os autores também discutem temas polêmicos como racismo, segurança pública, repressão policial e a importância do Hip Hop para a juventude que vive nas favelas. Com uma câmera na mão e a coragem de enfrentar o inesperado, Bill e Celso recolheram imagens e depoimentos estarrecedores. Dos 17 meninos entrevistados, 16 morreram ao longo da produção do documentário. O objetivo dos autores foi mostrar o lado humano destes jovens. Suas razões, suas angústias, suas loucuras, seus sonhos, suas maldades e contradições. ‘Não queremos, com este livro, apresentar soluções para a criminalidade infantil, induzir opiniões, ou fazer uma análise profunda baseada em teorias para explicar o motivo dessa tragédia. Pretendemos simplesmente narrar as dificuldades que fizeram parte do nosso dia-a-dia, durante as gravações do documentário Falcão. Fatos que ficaram marcados em nossa consciência, em nossa alma.’ ‘Falcão – Meninos do Tráfico’ abre uma nova discussão sobre a questão da segurança pública. Um livro fundamental para quem pretende entender o problema da violência no Brasil”.

Narrado em primeira pessoa, trazendo verdades, tristezas e a realidade vivida por muitos adolescentes no Brasil, até mesmo hoje, depois de 12 anos de sua publicação, “Falcão, Meninos do Tráfico”, é um livro dos bastidores do documentário produzido pelo rapper Alex Pereira Barbosa, mais conhecido como Mv Bill, e pelo Produtor Celso Athayde.

Inicialmente criado com a intenção de mostrar o universo dos meninos envolvidos com tráfico de drogas de várias partes do país, o livro traz uma abordagem real do que por muitos é ignorada.

“Chegou um outro Falcão, e Rogerinho passa o fuzil numa espécie de rodízio entre os meninos. Me despedi de Rogerinho e fui embora pensando nele. Combinamos de gravar no seu próximo plantão, mas não foi possível. Nosso próximo encontro acabou sendo na semana seguinte, em seu enterro”.

O documentário teve início em 1998 e, quando finalizado em 2006, foi apresentado como quadro jornalístico no programa Fantástico. A realidade ali mostrada chocou tanto a população, que decidiram escrever sobre os bastidores, o resultado foi um livro real que te faz enxugar as lágrimas em cada capítulo e situação apresentada.

O livro, “Falcão, Meninos do Tráfico” é dividido entre capítulos emocionantes, onde cada um dos autores conta seus relatos e entrevistas, ilustrando para o leitor seus sentimentos e percepções desse mundo turbulento e perigoso.

Mv Bill e Celso Athayde conseguiram não somente demonstrar seus sentimentos ao decorrer da narrativa, mas também dar voz aos personagens (Falcões), descrevendo sua aparência, modo de falar e cenário, conseguindo a imersão do leitor naquele universo, que, embora real, até parece imaginário por ser tão cruel e triste.

“ A primeira porrada foi na garota que estava do meu lado esquerdo. Ela gritava como se fosse morrer na hora. Eles não aliviaram. Depois em mim, senti a primeira porrada nas minhas costas, que estavam curvadas. Eles bateram mais. Levantei a cabeça para evitar que eles quebrassem a minha espinha, e aí foi o meu pecado. Eles deram uma porretada na minha cabeça senti o sangue escorrer na hora. Não senti dor, só uma dormência. O sangue escorria do meu rosto”.

Ao longo da narrativa você entende toda a loucura vivida por esses adolescentes, embora muitos pensem que a maioria está ali porque quer, o leitor é transportado para uma versão diferente, para realmente entender os motivos e desafios vividos por esses garotos.

“ Pô, tô aqui porque a sociedade aí fora não dá nenhum meio de vida pra gente agir aí fora. Se a gente quer procurar um trabalho, é difícil. Até pra procurar uma escola é difícil, a gente não tem escolha pra nada. Então, eu tô aí, mano, como você tá vendo, nesse ambiente aqui, que até chega a ser desagradável. Eu não sou bandido não, eu tô aqui porque eu preciso, certo, ajudar dentro de casa, porque eu não quero ver minha coroa sofrendo”.

Além de mostrar a realidade dos usuários de drogas e traficantes mirins, o livro aborda questões sociais, como racismo, pobreza, desigualdade social, repressão policial e falta de segurança pública.

Dos 17 entrevistados, apenas 1 sobreviveu. É um livro que propõe uma perspectiva diferente sobre a realidade ainda vivida no Brasil. Recomendo para aqueles que desejam adquirir conhecimento e repensar questões sociais importantes.

Após lerem, deixem a opinião nos comentários. E não esqueçam de se inscrever no nosso site, basta inserir o e-mail de vocês e pronto. Até a próxima pessoal!

Related posts

RESENHA – SILÊNCIO – BECCA FITZPATRICK

RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK


RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK

“Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da...

Não se apega, não! – Isabela Freitas

Não se apega, não! - Isabela Freitas


Não se apega, não! - Isabela Freitas

Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de...

Resenha: O Conde de Monte Cristo – Alexandre Dumas

Resenha: O Conde de Monte Cristo - Alexandre Dumas


Resenha: O Conde de Monte Cristo - Alexandre Dumas

"Esperar e ter esperança" Ah, aquele livro enorme, que te proporciona infinitos suspiros ao término da leitura e a certeza que cada página lida valeu a pena... Assim é "O Conde de Monte Cristo". Esse romance atemporal de Alexandre Dumas, nos apresenta a Edmond...