Título e Capa 4
Escrita / Enredo 5
Originalidade 5
Personagens 5
Final 5

“Não vamos ser apenas os assistentes. Vamos montar a nossa própria equipe.” Essa é a frase que pode resumir o começo de Justiça Jovem (Young Justice no original), uma série animada baseada na HQ de mesmo nome da DC Comics. O enredo do desenho é simples. Cansados de serem tratados como crianças e meros assistentes, ..

Summary 4.8 great
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Resenha – Justiça Jovem (Série Animada)

justica-jovem“Não vamos ser apenas os assistentes. Vamos montar a nossa própria equipe.”

Essa é a frase que pode resumir o começo de Justiça Jovem (Young Justice no original), uma série animada baseada na HQ de mesmo nome da DC Comics. O enredo do desenho é simples.

Cansados de serem tratados como crianças e meros assistentes, Robin, Kid Flash e Aqualad, junto com outros heróis que aos poucos foram se juntando a eles, fundaram uma equipe de super heróis jovens, cumprindo missões que a Liga da Justiça não conseguiria fazer.

A primeira coisa que eu gostei é em que nenhum momento das duas temporadas a equipe se intitula “Justiça Jovem”, sendo apenas conhecida como “A Equipe”, pois Justiça Jovem é um nome muito estranho. E é a única razão que a animação não vai ganhar 5 estrelas. O que me chamou a atenção foi como eles foram introduzindo os personagens, e desenvolvendo eles. Embora eu não seja muito fã do Superman, eu gostei muito de como o Superboy foi criado e desenvolvido ao decorrer da trama. Outros personagens que me conquistaram de primeira foram o Aqualad e a Miss Marte. Eu só vi uma participação do Aqualad na Noite Mais Densa e não vi nada da Miss Marte. Nem sabia que ela existia. Mas os dois me conquistaram nas suas primeiras aparições na série. Devo admitir que não fui com a cara da Artemis no começo, mas depois de melhor apresentada, eu virei fã dela. E depois eu fui me apaixonando por todos os personagens que vieram a integrar a equipe (Exceto o Lagan. Até agora eu queria que ele morresse).

Mas vou comentar um pouco sobre a trama da primeira temporada.

A luta contra a organização chamada “A Luz” foi bem feita, na minha opinião. Eles conseguiram juntar vários vilões de esferas diferentes para fazer parte da Luz, e deu trabalho tanto pra Equipe quanto pra Liga batalhar contra a Luz. E eu gostei das subtramas que surgiram ao decorrer da temporada. A que mais me chamou a atenção foi a trama do Arqueiro Vermelho. Não vou contar qual é, pra não mandar spoiler, mas vou dizer uma coisa: é muito boa. Aí temos o final da temporada que deixa uma pergunta no ar, mas foi um final bem “e todos viveram felizes para sempre”.

Então chegamos na segunda temporada. Nos primeiros episódios eu pensei que tudo tinha ido pro buraco. Passaram cinco anos entre as temporadas, e muita coisa mudou. Infelizmente eu admito que teve vezes que eu quase desisti de continuar assistindo. Mas felizmente eu não parei, pois várias coisas que eu não gostei no começo, acabei chorando de alegria no meio. E o final, ah o final. Eu chorei muito no final. Não vou contar, mas ele é bem emocionante. E a última cena, ela tinha deixado muitas pontas soltas, mas infelizmente não veremos como essas pontas irão se amarrar, pois a série foi cancelada em 2012.

Considerações finais

Recomendo que todas as pessoas do mundo assistam Justiça Jovem, pois ela é simplesmente maravilhosa. Talvez vocês passem raiva com alguns personagens, mas tudo será explicado depois. Como eu ainda não cheguei a ler as HQs que foram à inspiração do desenho, eu não sei como elas são, mas eu sei que a formação original é bem diferente uma da outra e como a própria sinopse diz, o desenho não é uma adaptação dos quadrinhos. Eles apenas pegaram alguns elementos e criaram um desenho independente daquilo. Por isso eu não recomendo vocês lerem para tentar achar a continuação do desenho. Acho que é isso. Até a próxima resenha.

“Apesar de tudo, vocês se saíram muito bem. Parabéns”

Resenha da Série Animada Justiça Jovem (Young Justice)

modelo-novo-postagem-site-2

Related posts

Resenha – How To Get Away With Murder (Lições de um Crime)

Resenha - How To Get Away With Murder (Lições de um Crime)


Resenha - How To Get Away With Murder (Lições de um Crime)

Sim, amiguinhos. Limpem o sangue de seus troféus, queimem bem os corpos e venham comigo em mais uma resenha de série aqui no mundo das Resenhas, Hoje vou falar um pouco sobre How To Get Away With Murder, produzida e distribuída pelo canal ABC e com ínicio de exibição na rede globo sob o nome...

Resenha: Quando Fazemos História (When We Rise)

Resenha: Quando Fazemos História (When We Rise)


Resenha: Quando Fazemos História (When We Rise)

QUANDO FAZEMOS HISTÓRIA (WHEN WE RISE) When We Rise, Quando Fazemos História no Brasil, trata-se de um documentário sobre a luta LGBT nos Estados Unidos desde a década de 70, até os dias de hoje. Atravessa gerações de uma mesma luta. Dividida em 8 episódios, escrita por Dustin Lance Black e...

Série Agente Carter – Marvel Studios

Série Agente Carter - Marvel Studios


Série Agente Carter - Marvel Studios

Hayley Atwell brilhou como uma heroína do universo Marvel. É fácil ser cético sobre as tendências no cinema e televisão em relação a super-heróis e “universos”, onde tudo é, em última análise, um comercial para outra coisa, algo vendido “separadamente”, mas com intuito de promover outros...