Título e Capa 4
Escrita / Enredo 4
Originalidade 4
Personagens 5
Final 4

“Esperar e ter esperança” Ah, aquele livro enorme, que te proporciona infinitos suspiros ao término da leitura e a certeza que cada página lida valeu a pena… Assim é “O Conde de Monte Cristo”. Esse romance atemporal de Alexandre Dumas, nos apresenta a Edmond Dantes, um jovem marujo, que é um bom filho, um rapaz ..

Summary 4.2 Incrível
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

Resenha: O Conde de Monte Cristo – Alexandre Dumas

“Esperar e ter esperança”


Ah, aquele livro enorme, que te proporciona infinitos suspiros ao término da leitura e a certeza que cada página lida valeu a pena…
Assim é “O Conde de Monte Cristo”.

Esse romance atemporal de Alexandre Dumas, nos apresenta a Edmond Dantes, um jovem marujo, que é um bom filho, um rapaz trabalhador e noivo de uma bela moça, por quem encontra-se perdidamente apaixonado.
Com um futuro promissor se descortinando a sua frente, Edmond é vítima de uma terrível jogada do destino, e acaba por ser preso, por um crime que não cometeu, sendo jogado nas masmorras de um castelo.
E assim, a dura jornada de Edmond Dantes, o Conde de Monte Cristo, tem início.

Como vocês sabem, O Conde de Monte Cristo, foi adaptado cinematograficamente e foi assim que conheci a obra.
Por gostar do filme, fui me informar acerca de um possível livro que o tivesse inspirado e para minha grata surpresa, me deparei com esse clássico da literatura!

Publicado originalmente em forma de folhetim entre 1844 e 1846, O Conde de Monte Cristo tornou-se um grande sucesso, sendo logo transformado em livro.
Mas agora, vamos as minhas observações…

É com muita dor no meu coração, que tenho a vergonha de dizer que no início da leitura, ousei pensar em abandoná-la.
Motivo?
Muitas questões políticas eram abordadas a todo o tempo, deixando o personagem principal da trama, de quem eu mais queria acompanhar a história, Edmond Dantes, de lado.
Felizmente, eu não abandonei!
E graças a isso, percebi que cada linha sobre política abordada nos primeiros capítulos, e cada personagem, que inicialmente não me interessava, se mostraram importantíssimos para toda a trama.
E a partir do momento que Edmond é preso, eu não conseguia mais largar dessa história.
Todo o sofrimento que ele passa jogado nas masmorras do Castelo de If, toda a ansiedade que eu tinha, esperando pelo encontro dele com o Abade, um homem preso na cela ao lado, que se dizia o detentor da localização de um grande tesouro… Cada angústia gerada pelas tentativas de fuga…
E finalmente, a ascensão de um homem preso inocentemente até a posição de Conde, é simplesmente incrível!
Sem falar na busca por vingança, que é tão implacável, tão visceral…
E que não é para menos!
Imagine só, passar CATORZE ANOS da sua vida preso, sendo inocente e sabendo muito bem quem foram os culpados pela sua prisão…
Merece, de fato, uma boa vingança, e que é incrivelmente bem executada pelo nosso Conde, diga-se de passagem.

Personagens que aparecem lá no começo da obra, ressurgem tempos depois, sempre causando reviravoltas de tirar o fôlego.
De fato, o filme (que eu continuo, de qualquer forma, considerando muito bom), não chega aos pés desse clássicão!
Claro, é BEM triste, tenho que dizer, afinal, nosso personagem sofre muito ao longo da vida e outros personagens, que se tornam tão queridos, infelizmente morrem. (Sem spoilers). 
Mas assim é a vida…

Bom galera, é isso.
Veja ao filme, leia ao livro! 
É impossível descrever em tão poucas palavras, o tamanho da grandeza dessa obra. Só conferindo para você entender.
E você vai se encantar muito, eu te garanto!

Related posts

RESENHA – SILÊNCIO – BECCA FITZPATRICK

RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK


RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK

“Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da...

Não se apega, não! – Isabela Freitas

Não se apega, não! - Isabela Freitas


Não se apega, não! - Isabela Freitas

Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de...

RESENHA – FALCÃO, MENINOS DO TRÁFICO – MV BILL E CELSO ATHAYDE

RESENHA - FALCÃO, MENINOS DO TRÁFICO - MV BILL E CELSO ATHAYDE


RESENHA - FALCÃO, MENINOS DO TRÁFICO - MV BILL E CELSO ATHAYDE

“Este livro é um contundente relato pessoal de Celso Athayde e MV Bill dos bastidores da produção de um documentário explosivo sobre o universo dos meninos que trabalham no tráfico de drogas em diversas partes do país. Narrado em primeira pessoa, o livro revela as dramáticas experiências que...