Título e Capa 1
Escrita / Enredo 1
Originalidade 2
Personagens 1
Final 1

Fazia muito, muito, muito tempo que esse fenômeno não acontecia na minha vida. O fenômeno de eu abandonar a leitura de um livro. Já li histórias ruins, clichês, fracas, mas sempre perseverei até o final, sempre na esperança de “ah tá ruim, mas quem sabe no final melhora…” Ou pelo menos, eu lendo a história ..

Summary 1.2 poor
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Resenha – Sem Lugar Para se Esconder; Glenn Greenwald

sem lugar para se esconder glenn greenwaldFazia muito, muito, muito tempo que esse fenômeno não acontecia na minha vida. O fenômeno de eu abandonar a leitura de um livro.
Já li histórias ruins, clichês, fracas, mas sempre perseverei até o final, sempre na esperança de “ah tá ruim, mas quem sabe no final melhora…” Ou pelo menos, eu lendo a história toda, teria “mais moral” quando fosse criticar. Mas no caso de “Sem Lugar Para se Esconder”, não teve como.

Quando vi a capa desse livro, que por sinal, eu achei feia e desorganizada pelo fato do título estar entremeado com o subtítulo, achei que iria ter um livro estilo Dan Brown, que envolvesse um personagem que se envolveria com as conspirações do governo, etc e tal.
Aí li a sinopse e minha teoria livro estilo Dan Brown caiu por terra. Descobri que na verdade o livro se tratava dos relatos de um jornalista que vazou para o mundo os fatos sobre a espionagem feita pelo governo americano. Seria como uma “biografia” desse momento da vida do autor. Deixando claro que o livro estaria repleto de documentos confidenciais e várias revelações bombásticas sobre a NSA e sua espionagem.

Não é segredo nenhum que os EUA vigiam o pessoal (ei, se vocês estiverem interceptando esse texto, não se preocupem, não sou terrorista) com a desculpa de evitar novos ataques terroristas após o 11 de setembro. Então o livro em si não tem nada que tenha me chocado. Claro que fiquei impactada com os números apresentados no livro, mas fora isso… Vamos ao motivo que me fizeram abandonar a leitura na página 122, ou seja, quase na metade do livro.
O começo, narrado em primeira pessoa, contando a saga do jornalista para obter as informações com sua fonte, Snowden, ainda era “lível”, mas a partir do capítulo “Coletar Tudo”, a história tornou-se repetitiva de modos absurdos. A partir desse capítulo começam a ser mostrados os documentos secretos, os gráficos, as empresas envolvidas no esquema de espionagem… Mas é tudo tão absurdamente repetitivo! É como se o autor escrevesse página após página as mesmas coisas, só que usando palavras diferentes. Várias e várias vezes repetindo “a espionagem feito pela NSA isso” “a espionagem feita pela NSA aquilo”, poxa, se o negócio era dar ênfase a frase “a espionagem feita pela NSA”, olha, deu certo. Mas desculpa aí Glenn Greenwald, acredito que para dar credibilidade a um assunto, você não precisa ficar repetindo em todas as páginas do livro, a mesma frase. Fora que não acredito NENHUM POUCO, na história de que o jornalista quis vazar todas esses documentos pensando em alertar a pobrezinha da população… Fez isso visando o sucesso pessoal que isso acarretaria. Por diversos momentos tive uma apatia enorme por esse jornalista, diversas das atitudes que ele teve em relação a bomba que ele tinha em mãos, não me agradaram nenhum pouco. Fora o extremo ataque que ele faz ao governo, o que me leva a crer que a opinião política dele provavelmente é uma que eu não concordo nenhum pouco, mas como aqui é site de resenha e não discussão sobre política, não vou me aprofundar na minha opinião sobre isso.

Enfim, se vocês conseguiram ler essa história até o final, parabéns! Me contem aí nos comentários se o fato de eu ter abandonado o livro antes da metade me fez perder alguma informação interessante… Ou se o resto do livro continuou se resumindo a “A NSA e a espionagem… Nossa, o governo é uma bruxa má, etc e tal”. Até a próxima, galera! E lembrem-se, o governo nesse momento está lendo todas aquelas suas conversas com o crush e rindo de você.

Related posts

Resenha: Coração de Tinta – Cornelia Funke

Resenha: Coração de Tinta - Cornelia Funke


Resenha: Coração de Tinta - Cornelia Funke

Senhoras e senhores, peguem suas xícaras de chá, acomodem-se em suas poltronas, ou em qualquer lugar confortável, e deleitem-se com mais um resenha. Hoje, vamos conhecer um pouco sobre um mundo que existe ao mesmo tempo que não existe. Um mundo de fábulas, onde pessoas brincam, dançam e...

Resenha: A Rainha de Tearling – Erika Johansen

Resenha: A Rainha de Tearling - Erika Johansen


Resenha: A Rainha de Tearling - Erika Johansen

A Rainha de Tearling, chegou ao Brasil com toda a sua majestade em janeiro de 2017, publicado sob o selo Suma de Letras, da Editora Companhia das Letras. A obra, primeiro livro de uma trilogia, é o romance de estreia da autora Erika Johansen e terá em breve, sua adaptação exibida nas telas do...

Sociedade J.M Barrie – Barbara J. Zitwer

Sociedade J.M Barrie - Barbara J. Zitwer


Sociedade J.M Barrie - Barbara J. Zitwer

Se há uma coisa que eu gosto muito é um bom livro, ou um bom romance. Sim, aqueles livros que se aprofundam em cada personagem, nos fazendo, assim, pensar como eles, ou pelo menos entender suas motivações e ações. Outra coisa que um romance não deixa de lado é uma enrolação no enredo. Afinal, se...