Título e Capa 5
Escrita / Enredo 5
Originalidade 4
Personagens 5
Final 4

Sim amigos, todos esperaram, choraram, e finalmente o dia chegou. Jessica Jones finalmente estreiou na Netflix e nos torrents da vida. Depois de Demolidor, todos nós sabíamos que  parceria Marvel/Netflix ia ter que se esforçar bastante para tentar apresentar outra série ao nível de Demolidor. E eles conseguiram. Jessica Jones veio como uma surpresa para os leigos ..

Summary 4.6 Incrível
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

Resenha Série Jessica Jones

Sim amigos, todos esperaram, choraram, e finalmente o dia chegou. Jessica Jones finalmente estreiou na Netflix e nos torrents da vida. Depois de Demolidor, todos nós sabíamos que  parceria Marvel/Netflix ia ter que se esforçar bastante para tentar apresentar outra série ao nível de Demolidor. E eles conseguiram. Jessica Jones veio como uma surpresa para os leigos dos quadrinhos e até mesmo para quem acompanha os quadrinhos da Marvel. Uma mulher totalmente sarcástica, de mal com a vida, que não liga para quase ninguém além dela mesma e com super-poderes, era algo difícil de acreditar que daria certo. Mas foi uma das séries que eu mais tive gosto de assistir. Com um ritmo mais pesado e sombrio que o seu antecessor, com mais cenas de sexo, violência e afins, essa é uma série que veio para deixar sua marca na história não só da Marvel, mas de toda a história do mundo dos quadrinhos.

Jessica Jones foi uma heroína por algum tempo, com a alcunha de Safira (pelo menos nos quadrinhos). Mas sua carreira foi curta, e devido a problemas que incluíam controle de mente ela largou a vida de heroína e abriu seu escritório de investigações particulares, a Alias Investigation. Durante algum tempo ela conseguiu viver uma vida quase normal, mas problemas antigos voltaram para atormentar a mente já saturada de Jessica. Acho que essa sinopse já é o suficiente para apresentar a personagem.

É difícil não fazer comparações entre Jessica Jones e Demolidor. Ambas as séries tem seu ritmo sombrio, bem diferente do ambiente alegre e colorido apresentado nos filmes da Marvel. Mas ainda assim, tem o peso de uma grande produção, com cenas de luta excelentes, personagens carismáticos e importantes e vilões muito bem desenvolvidos. Mas parando de falar de Demolidor e voltando ao assunto principal dessa resenha, eu não sabia o que esperar dessa série, afinal conhecia quase nada sobre JJ. Mas obtive uma surpresa muito bom com a apresentação da personagem. Suas angustias, sua raiva, tudo foi bem desenvolvido. Uma mulher que mesmo com uma mente despedaçada tentou fazer sua vida seguir um caminho próximo do normal.

Um ponto ótimo de destaque são os personagens coadjuvantes. Todos eles não foram simplesmente jogados na tela e sim apresentados com um propósito. Algo pelo qual eles eram necessários. Destaque muito importante para Trish, Malcon e Jeri. Diferentes personagens que fizeram a diferença ao seu modo.

Claro que eu tenho que falar de Luke Cage, o herói que ano que vem ganhará sua própria série. Realmente não sei o que esperar dela, pois ele já foi apresentado com seus poderes. Mas a participação dele foi muito boa. Não apenas para cenas de sexo com a Jessica, mas ele teve seu peso em toda a história. Ainda mais quando a série avança e você vê o que aconteceu com ele e como ele está ligado a trama geral.

E agora vamos falar do vilão. Kilgrave, ou nos quadrinhos, Homem Púrpura. O cara do controle mental. O Doutor (ta, eu sei que ele não é mais o Doutor, mas quem conhece sabe que não tem como esquecer isso). Um vilão que fez tudo o que fez por obsessão. Acho que não vou entrar em detalhes sobre ele, pois eu entregaria muitos spoiler, coisa que eu não vou fazer. Mas que a atuação do David Tennant foi muito boa, isso foi. Ele conseguiu passar a mensagem que o personagem tinha. Conseguiu passar toda aquela raiva que Kilgrave sentia, e muito mais.

Considerações finais.

Não tem mais o que falar sobre essa série ótima. Apenas que todos devem assistir Jessica Jones, Demolidor e as vindouras séries da Marvel/Netflix.

É isso, até a próxima resenha.

Resenha da Série Marvel Jessica Jones

 

Related posts

Resenha: Piano Vermelho – Josh Malerman

Resenha: Piano Vermelho - Josh Malerman


Resenha: Piano Vermelho - Josh Malerman

Josh Malerman entrou na minha vida com o pé direito, quando eu li “Caixa de Pássaros”. Ainda posso sentir na pele toda a agonia que aquela leitura me causou (vide minha resenha da obra)... Então, assim que “Piano Vermelho” foi lançado, imediatamente entrou na minha lista de desejos. Desta vez...

RESENHA – SILÊNCIO – BECCA FITZPATRICK

RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK


RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK

“Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da...

Não se apega, não! – Isabela Freitas

Não se apega, não! - Isabela Freitas


Não se apega, não! - Isabela Freitas

Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de...