Título e Capa 2
Escrita / Enredo 3
Originalidade 2
Personagens 2
Final 2

“- Eu acho – começo a dizer, cruzando as pernas e respirando fundo – que essas coisas a gente não escolhe e nem controla. Sei lá, acontecem porque tem de acontecer. Às vezes a gente não escreve o começo da nossa história, só o meio e o final.” “Só Por Uma Noite”, foi publicado no ..

Summary 2.2 Bom
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

Resenha: Só Por Uma Noite – Monique e Mônica Sperandio

só por uma noite“- Eu acho – começo a dizer, cruzando as pernas e respirando fundo – que essas coisas a gente não escolhe e nem controla. Sei lá, acontecem porque tem de acontecer. Às vezes a gente não escreve o começo da nossa história, só o meio e o final.”

“Só Por Uma Noite”, foi publicado no Brasil pela editora Novo Conceito, sob o selo Novas Páginas.
Trata-se de uma obra nacional, das autoras Monique e Mônica Sperandio e está a venda em formato digital.

A obra nos mostra a história de quatro amigas: Samanta, Nat, Marina e Daphne que estão dispostas a cumprir um último desafio deixado por uma amiga que morreu: uma lista. Uma lista com diversos “desafios” a serem cumpridos por cada uma das garotas.
Desafios onde será necessário coragem para que sejam realizados e que farão segredos, a muito guardados, virem a tona.
Elas pretendem cumprir toda essa lista em uma noite, mas algumas coisas são mais difíceis de serem cumpridas do que outras e elas terão que estar dispostas a encarar seus piores medos para concluí-la.

Todos os acontecimentos são narrados em primeira pessoa, pela visão de Samanta, e a história já se inicia com Samanta cumprindo um dos itens da lista: declarar seu amor para o seu melhor amigo. Após feita a declaração, temos uma volta no tempo, onde será narrado tudo o que aconteceu até esse momento fatídico da noite chegar.

É uma história BEM adolescente, super dedicada ao público adolescente feminino (ao meu ver), então não me agradou muito.
Esperava mais dos itens da lista, coisas mais “radicais”. Que fugissem muito mais da rotina e do clichê.
E por se passar no Brasil, esperava algo menos “jovem americano” e mais “jovem brasileiro”.
Achei tudo muito comum e muito voltado para o lado sentimental.
É um livro curto, mas com um público muito específico, então se você já for mais velho, provavelmente não vai gostar.
Agora, se você é uma jovem de 14, 15 anos, é provável que goste e até se identifique com alguns fatos da história ou com algumas personagens.
É uma obra lançada recentemente e se você é uma jovem atrás de um livro curtinho de romance teen, para ler em um final de semana, fica aqui essa dica.

Até a próxima, galera!

Related posts

Resenha: Piano Vermelho – Josh Malerman

Resenha: Piano Vermelho - Josh Malerman


Resenha: Piano Vermelho - Josh Malerman

Josh Malerman entrou na minha vida com o pé direito, quando eu li “Caixa de Pássaros”. Ainda posso sentir na pele toda a agonia que aquela leitura me causou (vide minha resenha da obra)... Então, assim que “Piano Vermelho” foi lançado, imediatamente entrou na minha lista de desejos. Desta vez...

Resenha do Livro Filhos e Soldados – Bruce Henderson

Resenha do Livro Filhos e Soldados - Bruce Henderson


Resenha do Livro Filhos e Soldados - Bruce Henderson

Hoje vamos comentar sobre um livro incrível, mas eu disse incrível mesmo. Uma obra que conta a valentia de como seis meninos alemães, e ainda por cima, judeus conseguiram fugir da Alemanha Nazista. Isso mesmo, o Livro Filhos e Soldados contém um registro incrível e maravilhoso de como garotos...

RESENHA – TPM, PARA QUE TE QUERO? – JU FERRAZ

RESENHA - TPM, PARA QUE TE QUERO? - JU FERRAZ


RESENHA - TPM, PARA QUE TE QUERO? - JU FERRAZ

Desde pequenas somos vistas como o sexo frágil, histéricas e incapazes de escrever a nossa própria história. Sim, somos bombardeadas por hormônios em todas as fases da nossa vida e precisamos aprender a lidar com isso. Não é fácil! Temos oscilações de humor e às vezes simplesmente não temos...