Título e Capa 2
Escrita / Enredo 3
Originalidade 2
Personagens 2
Final 2

“- Eu acho – começo a dizer, cruzando as pernas e respirando fundo – que essas coisas a gente não escolhe e nem controla. Sei lá, acontecem porque tem de acontecer. Às vezes a gente não escreve o começo da nossa história, só o meio e o final.” “Só Por Uma Noite”, foi publicado no ..

Summary 2.2 Bom
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

Resenha: Só Por Uma Noite – Monique e Mônica Sperandio

só por uma noite“- Eu acho – começo a dizer, cruzando as pernas e respirando fundo – que essas coisas a gente não escolhe e nem controla. Sei lá, acontecem porque tem de acontecer. Às vezes a gente não escreve o começo da nossa história, só o meio e o final.”

“Só Por Uma Noite”, foi publicado no Brasil pela editora Novo Conceito, sob o selo Novas Páginas.
Trata-se de uma obra nacional, das autoras Monique e Mônica Sperandio e está a venda em formato digital.

A obra nos mostra a história de quatro amigas: Samanta, Nat, Marina e Daphne que estão dispostas a cumprir um último desafio deixado por uma amiga que morreu: uma lista. Uma lista com diversos “desafios” a serem cumpridos por cada uma das garotas.
Desafios onde será necessário coragem para que sejam realizados e que farão segredos, a muito guardados, virem a tona.
Elas pretendem cumprir toda essa lista em uma noite, mas algumas coisas são mais difíceis de serem cumpridas do que outras e elas terão que estar dispostas a encarar seus piores medos para concluí-la.

Todos os acontecimentos são narrados em primeira pessoa, pela visão de Samanta, e a história já se inicia com Samanta cumprindo um dos itens da lista: declarar seu amor para o seu melhor amigo. Após feita a declaração, temos uma volta no tempo, onde será narrado tudo o que aconteceu até esse momento fatídico da noite chegar.

É uma história BEM adolescente, super dedicada ao público adolescente feminino (ao meu ver), então não me agradou muito.
Esperava mais dos itens da lista, coisas mais “radicais”. Que fugissem muito mais da rotina e do clichê.
E por se passar no Brasil, esperava algo menos “jovem americano” e mais “jovem brasileiro”.
Achei tudo muito comum e muito voltado para o lado sentimental.
É um livro curto, mas com um público muito específico, então se você já for mais velho, provavelmente não vai gostar.
Agora, se você é uma jovem de 14, 15 anos, é provável que goste e até se identifique com alguns fatos da história ou com algumas personagens.
É uma obra lançada recentemente e se você é uma jovem atrás de um livro curtinho de romance teen, para ler em um final de semana, fica aqui essa dica.

Até a próxima, galera!

Related posts

RESENHA – SILÊNCIO – BECCA FITZPATRICK

RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK


RESENHA - SILÊNCIO - BECCA FITZPATRICK

“Nora Grey não consegue se lembrar dos últimos cinco meses. Depois do choque inicial de acordar em um cemitério e descobrir que ficou desaparecida por semanas, ela precisa retomar sua rotina, voltar à escola, reencontrar a melhor amiga, Vee, e ainda aprender a conviver com o novo namorado da...

Não se apega, não! – Isabela Freitas

Não se apega, não! - Isabela Freitas


Não se apega, não! - Isabela Freitas

Desapegar: remover da sua vida tudo que torne o seu coração mais pesado. Loucos são os que mantêm relacionamentos ruins por medo da solidão. Qual é o problema de ficar sozinha? Que me desculpe o criador da frase “você deve encontrar a metade da sua laranja”. Calma lá, amigo. Eu nem gosto de...

RESENHA – FALCÃO, MENINOS DO TRÁFICO – MV BILL E CELSO ATHAYDE

RESENHA - FALCÃO, MENINOS DO TRÁFICO - MV BILL E CELSO ATHAYDE


RESENHA - FALCÃO, MENINOS DO TRÁFICO - MV BILL E CELSO ATHAYDE

“Este livro é um contundente relato pessoal de Celso Athayde e MV Bill dos bastidores da produção de um documentário explosivo sobre o universo dos meninos que trabalham no tráfico de drogas em diversas partes do país. Narrado em primeira pessoa, o livro revela as dramáticas experiências que...