Título e Capa 4
Escrita / Enredo 3
Originalidade 3
Personagens 3
Final 2

~toca a música tema de Star Wars~ Sim, amiguinhos, hoje vamos falar de Star Wars. Mas não vamos falar dos filmes, coisa que todo mundo já fez exaustivamente. Vamos falar dos livros da série Legends. Mais especificamente Troopers da Morte, escrito por Joe Schreiber. Vou passar a sinopse e depois começo com os comentários. Nesta ..

Summary 3.0 good
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Resenha – Star Wars: Troopers da Morte

Resenha do Livro Star Wars Troopers da Morte~toca a música tema de Star Wars~

Sim, amiguinhos, hoje vamos falar de Star Wars. Mas não vamos falar dos filmes, coisa que todo mundo já fez exaustivamente. Vamos falar dos livros da série Legends. Mais especificamente Troopers da Morte, escrito por Joe Schreiber. Vou passar a sinopse e depois começo com os comentários.

Nesta intrigante e singular história de terror, consagrados heróis da saga terão de enfrentar pesadelos imensuráveis. Quando a nave-prisão imperial Purgação – residência temporária de quinhentos dos mais cruéis assassinos, rebeldes e ladrões – quebra em um ponto isolado do espaço, a única esperança da tripulação parece estar em um destróier estelar encontrado vagando no vazio. Uma equipe de inspeção é então enviada à nave abandonada, em busca de peças para o conserto da Purgação. No entanto, somente metade dos integrantes da equipe retorna… trazendo consigo uma terrível doença, tão letal que, em questão de horas, quase toda a tripulação a bordo do Purgação morre dos modos mais assustadores. E a morte é apenas o começo…

Vamos lá. Se você ficou com preguiça de ler a sinopse, basicamente é uma história de zumbis no universo Star Wars. Aí todo mundo pensa: caramba, vai ser muito bom. Sinto lhe informar que não é tão bom assim. A história até que tem uma premissa inovadora, mesmo para SW, mas mesmo assim, não convence muito. A começar pelo jeito da escrita, com parágrafos extremamente curtos, chegando a ter apenas duas páginas e a história se arrastar por pelo menos cem páginas. Sim, a história se arrasta por CEM páginas antes que algo realmente comece a acontecer.

Nessas primeiras cem páginas somos apresentados aos protagonistas do livro, Trig e Kale Longo, Dra Zahara Cody e Jareth Sartoris. Suas histórias são contadas aos poucos, realmente aos poucos, até a hora que Sartoris faz a sua ação e tudo começa a acontecer.

Outra coisa que não me agradou muito foi exatamente as coisas demorarem em acontecer, mas quando acontecem, é tudo de uma vez. 99% da tripulação morrem e depois volta como zumbis. Assim, de repente. E aí começa a ação.

Enfim, pode ser um leve spoiler, então estão avisados.

O que talvez era pra ser o ponto alto do livro não foi bem assim. Eis que Han Solo e Chewbacca aparecem, do nada, literalmente jogados na história como um dos maiores Deus Ex Machina de todos. Sério, nessa história eles estavam totalmente substituíveis. Era só colocar um piloto ali e pronto, não precisaria dar uma volta pra explicar o porque dos dois estarem ali. E meio que isso nem é explicado.

Fim do pequeno spoiler.

E o livro continua se arrastando, com certas coisas acontecendo, mas nada por muito tempo, até que nas últimas páginas tudo acontece do nada, uma explicação para os zumbis surge e todos vivem felizes para sempre.

Considerações finais

Se você é um colecionador assíduo de todo e qualquer material de SW, esse livro é um bom item para se colecionar afinal a capa é linda e o trabalho da Editora Aleph é excepcional. Talvez você goste da história, afinal tem Han Solo, Chewie e Troopers errando tiros até mesmo mortos. Mas não recomendo para quem é fã de uma boa história de zumbis ou um thriller psicológico. Não é algo que bote medo nas pessoas. 

Essa foi a resenha de hoje. Se é a primeira vez que você acessa o Mundo das Resenhas, seja muito bem vindo. Confira as nossas resenhas, siga nossas redes sociais, pois fazemos vários sorteios lá e não deixe de assinar o nosso feed, assim você vai ficar por dentro de tudo o que acontece no MDR. Então se cuidem, não explorem um destróier abandonado no espaço e cuidado com os zumbis. Até a próxima.

Resenha do livro Star Wars: Troopers da Morte de Joe Schreiber

Related posts

Resenha: Coração de Tinta – Cornelia Funke

Resenha: Coração de Tinta - Cornelia Funke


Resenha: Coração de Tinta - Cornelia Funke

Senhoras e senhores, peguem suas xícaras de chá, acomodem-se em suas poltronas, ou em qualquer lugar confortável, e deleitem-se com mais um resenha. Hoje, vamos conhecer um pouco sobre um mundo que existe ao mesmo tempo que não existe. Um mundo de fábulas, onde pessoas brincam, dançam e...

Resenha: A Rainha de Tearling – Erika Johansen

Resenha: A Rainha de Tearling - Erika Johansen


Resenha: A Rainha de Tearling - Erika Johansen

A Rainha de Tearling, chegou ao Brasil com toda a sua majestade em janeiro de 2017, publicado sob o selo Suma de Letras, da Editora Companhia das Letras. A obra, primeiro livro de uma trilogia, é o romance de estreia da autora Erika Johansen e terá em breve, sua adaptação exibida nas telas do...

Sociedade J.M Barrie – Barbara J. Zitwer

Sociedade J.M Barrie - Barbara J. Zitwer


Sociedade J.M Barrie - Barbara J. Zitwer

Se há uma coisa que eu gosto muito é um bom livro, ou um bom romance. Sim, aqueles livros que se aprofundam em cada personagem, nos fazendo, assim, pensar como eles, ou pelo menos entender suas motivações e ações. Outra coisa que um romance não deixa de lado é uma enrolação no enredo. Afinal, se...

  • Neto Pires De Lima

    É, tive que vir comentar. Essas últimas obras que são denominadas de Legends não estão vindo com qualidades boas. Acompanho os livros mais antigos da saga, aqueles sim tem carinho e dedicação do escritor, mas esses de hoje em dia… fala sério! tenho um que é totalmente genérico, teen e nada convincente. Esses livros de hoje são só para trazer um público mais jovem e mais preguiçoso pra leitura, deve ser a única razão para os livros serem tão ruins assim. Abraços Jeff!