Título e Capa 4
Escrita / Enredo 5
Originalidade 4
Personagens 5
Final 4

Sim amiguinhos, hoje venho até você com uma resenha relâmpago sobre uma série que, na minha humilde opinião, é sensacional e, de acordo com uma amiga, é uma série bem fdp que mexe com a sua cabeça. “Stranger Things”. Uma série sobre aventura, suspense, mundos paralelos, crianças resolvendo mistérios que nenhum adulto conseguiria. Enfim, uma ..

Summary 4.4 great
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Resenha – Stranger Things

Sim amiguinhos, hoje venho até você com uma resenha relâmpago sobre uma série que, na minha humilde opinião, é sensacional e, de acordo com uma amiga, é uma série bem fdp que mexe com a sua cabeça. “Stranger Things”. Uma série sobre aventura, suspense, mundos paralelos, crianças resolvendo mistérios que nenhum adulto conseguiria. Enfim, uma verdadeira homenagem aos anos 80. Vou colocar a sinopse da série aqui e depois começo a falar sobre ela.

Ambientada em Montauk, Long Island, conta a história de um garoto que desaparece misteriosamente. Enquanto a polícia, a família e os amigos procuram respostas, eles acabam mergulhando em um extraordinário mistério, envolvendo um experimento secreto do governo, forças sobrenaturais e uma garotinha muito, muito estranha.

A série é bem rápida de assistir, com apenas oito episódios de cinquenta minutos. E é uma série que você não consegue parar de assistir até terminar e ver o mistério resolvido. Eu mesmo fiz isso, pois comecei a assistir a série depois das 21:00 e parei exatamente as 03:25 da manhã. Sim, ST tem esse efeito.

Passando pela trama, no começo ela pode ser um pouco confusa, afinal somos mostrados a várias coisas acontecendo, mas no segundo episódio você se acostuma com a forma que a história é contada, principalmente seus flashbacks e emerge mais na trama.

Outra coisa que eu gostei na série foi realmente o clima anos 80 e cidadezinha do interior dos EUA. Aquela cidade pacata, onde nada demais acontece e, de repente, coisas estranhas começam a acontecer totalmente fora de controle. É muito interessante ver a ambientação, as pessoas, os carros antigos, enfim, todo o cenário foi feito de um modo que você sente que a história se passa nos anos 80 sem necessariamente alguém falar: estamos nos anos 80.

Sobre os personagens, bem, todos tem o seu papel fundamental na história. Até mesmo os que parecem não ter nenhum caráter são bem encaixados na trama. Começando pelos três garotos principais, Mike, Lucas e Dustin. Juntamente com Will, o garoto que desaparece no começo da trama, os três são o núcleo principal da trama. Basicamente é graças a eles que toda a história anda. É interessante ver que, apesar de tudo, eles ainda são garotos que brincam, andam de bicicleta e jogam RPG. Sim, eles jogam RPG. Mike é um bom mestre até, melhor que muitos que eu já vi por aí.

Onze, ou Eleven para quem prefere o original, sempre vai ser uma incógnita. Sua história é nublada, sua personalidade não foi é desenvolvida porque o roteiro quis assim. E isso é muito bom, pois nos faz querer saber mais sobre ela do que os flashbacks contam. E, uma garota com as habilidades dela é algo muito, mais muito legal de se ver.

Poderia falar sobre os outros personagens, mas acho melhor focar nas quatro crianças principais. Os outros dão um show de interpretação, mas não quero estragar a surpresa de jeito nenhum.

Considerações finais

Você gosta de todos aqueles filmes dos anos 80, como Goonies? Gosta de um suspense leve? Gosta de teorias de mundos alternativos, ou invertidos? Então, meus amigos, recomendo fortemente vocês tirarem oito horas de seu tempo e assistir Stranger Things. Se vocês tiverem uma assinatura da Netflix, vou deixar o link aqui para que vocês não percam tempo e assistam logo essa série supimpa, batuta, trilegal, estupenda e todos os adjetivos fodas que vocês pensarem.

Enfim, essa foi a resenha de hoje. Se é a primeira vez que vocês acessam o Mundo das Resenhas, sejam muito bem vindos. Assinem nosso site para não perder nenhuma resenha nossa. Sigam nossas redes sociais e compartilhem essa e outras resenhas com seus amigos. Até a próxima.

Related posts

Resenha – A Intuitiva – Hannah Howell

Resenha - A Intuitiva - Hannah Howell


Resenha - A Intuitiva - Hannah Howell

“Inglaterra, século XVIII. Assim como a maioria de seus familiares, Alethea Vaughn Channing possui dons especiais. Desde pequena ela tem visões recorrentes de um homem desconhecido. Passados 15 anos desde a primeira visão, ela prevê um risco de morte. Ela precisa encontrá-lo, contar sobre sua...

Resenha – Kimi no Na wa (Your Name)

Resenha - Kimi no Na wa (Your Name)


Resenha - Kimi no Na wa (Your Name)

Sim, amiguinhos. Hoje vamos falar sobre uma animação vinda das longínquas terras do Japão, sim, aquele Japão cheio de coisas bizarras e animes que tanto amamos, ou odiamos. Vamos falar sobre Kimi no Na wa, ou como ficou conhecido aqui no ocidente, Your Name. Bem, vou colocar a sinopse logo...

RESENHA – SUSSURRO – BECCA FITZPATRICK

RESENHA - SUSSURRO - BECCA FITZPATRICK


RESENHA - SUSSURRO - BECCA FITZPATRICK

Na remota e sombria cidade de Coldwater, vive Nora Grey, uma garota que acabará de perder o pai assassinado. Mora com a mãe em uma antiga casa de fazenda do século XVIII afastada do centro da cidade. Devido à morte inesperada do pai, a mãe tem que dobrar o serviço para sustentar as duas...