Mundo das Resenhas
I AM NOT OK WITH THIS (NETFLIX): SÉRIE & HQ I AM NOT OK WITH THIS (NETFLIX): SÉRIE & HQ
4.5
********************NÃO contém spoiler******************** Uma garota em luto, um poder paranormal e adolescentes se descobrindo em meio a bullyings e anseios juvenis. Talvez você já... I AM NOT OK WITH THIS (NETFLIX): SÉRIE & HQ 4.5

********************NÃO contém spoiler********************

Uma garota em luto, um poder paranormal e adolescentes se descobrindo em meio a bullyings e anseios juvenis. Talvez você já tenha visto isso em diversas outras séries e filmes; mas garanto que apesar das repetições narrativas, I Am Not Ok With This é o tipo de série a nos deixar curiosos, atentos e sedentos por uma segunda temporada. Protagonizada por Sophia Lillis, a trama de amadurecimento nos agracia com referências divertidas a quadrinhos e a famosa história de Carrie, A Estranha do saudosíssimo Stephen King.

Baseada na série de quadrinhos de Charles Forsman (o mesmo quadrinista de The End of the F**ing World) e dirigida por Jonathan Entwistle (também um dos roteiristas), a nova série da Netflix apesar de se manter na superficialidade dos temas abordados, nos diverte ao mesmo tempo que apresenta atuações cruas, muitas vezes esquisitas, mas que agradam aos olhos e nos deixa com uma sensação a ser decifrada. Com episódios curtos de no máximo 23/28 minutos cada um, a dinâmica da trama como um todo nos prende e chega até a nos surpreender em alguns momentos. A personagem central  é estranha, insegura, amargurada e honesta em sua esquisitice. Com questionamentos acerca de sua sexualidademais um ponto positivo para a série que entrega representatividade –  com um relacionamento duro com a mãe e com relações a serem construídas com os colegas de escola, Syd tenta se encaixar em um mundo que sente não pertencer.

Com uma estrutura bastante linear, I Am Not Ok With This tem seus momentos interessantes e tem seus momentos brevemente tediosos. Mas mesmo com altos e baixos (em minha percepção), a série se tornou uma de minhas queridinhas atuais, e graças ao ultimo episódio que achei espetacular; preciso imediatamente da segunda temporada. Uma série gostosinha de acompanhar e perfeita para maratonar. Em momentos de distanciamento social ou até mesmo de quarentena; a nova série da Netflix serve como o alívio que muitos de nós precisamos.

E o que dizer da HQ?

Talvez eu tenha ido com expectativas demais. Me decepcionar com uma HQ que serviu de inspiração para uma série que me agradou, me surpreendeu e me frustrou. A história obviamente é a mesma e a série foi bem fiel, melhorando diversos aspectos da obra original. A leitura é rápida, já que muitos requadros possuem apenas imagens; além dos diálogos apresentados serem mais que breves. Todavia, o traço é muito simplório e o desenvolvimento dos personagens é raso ao ponto de deixar toda a narrativa ainda mais superficial do que ela já é. Os dramas psicológicos da personagem central são mal trabalhados e a falta de profundidade dos temas abordados consegue ser ainda mais raso do que a superficialidade entregue pela série. É tudo muito frenético e a decepção é grande quando percebo que respostas que imaginei que viriam, nunca chegaram.

Esta é uma das raras exceções que posso dizer com convicção que a série é melhor que a HQ a qual se inspirou. Pra quem procura uma leitura rápida e um complemento (nem tanto assim) pra série, talvez a leitura valha a pena. Os finais são diferentes – o da série é melhor, mas o da HQ é mais impactante quanto a questão psicológica da obra, sendo passível de discussões importantes e necessárias sobre depressão – e apesar dos dois serem chocantes, eles se complementam de formas distintas e nos deixa pensativos. O final da HQ seria o final inevitável da segunda temporada?  Algo a se pensar e a se torcer para que não aconteça. Em meio a tantas leituras, a versão quadrinizada de I Am Not Ok With This entra infelizmente em minha lista de leituras esquecíveis.

Compartilhe
Share

Fernando Lafaiete

O que vocês devem saber sobre mim? Me Chamo Fernando Henrique Lafaiete, mas vocês podem me chamar de China. Apelido este, dado pelos meus melhores amigos. Sou viciado em leitura, sou poliglota, auditor de hotel, professor de inglês, fã de fantasia, fã de livros policiais, fã de YA, fã terror e fã de clássicos. Luto ao máximo contra o preconceito literário que alimenta a conduta dos pseudo-intelectuais e sou fã de animes e qualquer coisa que envolva super-heróis. Amo escrever todo tipo de texto, em especial resenhas. Espero que minhas opiniões sejam de alguma valia para todos que tiverem acesso as mesmas. Sou sempre sincero e me comprometo a dividir minhas opiniões da maneira mais verdadeira possível. Agradeço o convite para fazer parte do grupo de resenhistas do site e que minha presença aqui seja duradoura.

No comments so far.

Be first to leave comment below.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share
%d blogueiros gostam disto: