Título e Capa 5
Escrita / Enredo 5
Originalidade 4
Personagens 5
Final 5

******************************NÃO contém spoiler****************************** É muito fácil e muito mais cômodo julgarmos os outros do que tentarmos entender suas realidades. A empatia é algo fácil de se defender, mas para muitos, muito difícil de ser colocada em prática. Toda essa resistência na desconstrução do pensamento sócio histórico, é resultado da engenharia do consenso, que nada mais ..

Summary 4.8 Incrível
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

Persépolis: “A HQ que ensina e abre os nossos olhos selados pela mídia.”

******************************NÃO contém spoiler******************************

É muito fácil e muito mais cômodo julgarmos os outros do que tentarmos entender suas realidades. A empatia é algo fácil de se defender, mas para muitos, muito difícil de ser colocada em prática. Toda essa resistência na desconstrução do pensamento sócio histórico, é resultado da engenharia do consenso, que nada mais é do que a manipulação midiática que nos faz alimentar preconceitos acerca de assuntos relevantes como a cultura de outrem.

Persépolis, a autobiografia em quadrinhos de Marjane Satrapi, é assim como “Palestina: Uma nação ocupada” (Confira a resenha AQUI); o jornalismo em quadrinhos de Joe Sacco, uma excelente contribuição para a quebra de preconceitos pré-estabelecidos.

Com uma narrativa fluída e com traços realistas, a autora vai apresentando sua história de vida de maneira cativante, chocante e muitas vezes reflexivas. Os fatos expostos nos fazem perceber que julgar uma nação inteira e rotular os outros disso ou daquilo com base em informações limitadas provenientes de uma mídia preconceituosa, é um erro repugnante que devemos evitar.

Toda a trajetória da autora é uma lição de vida. Seus comportamentos e suas buscas por descobrimentos e aceitações nos ensinam muito sobre o que é ser humano. Errar e aprender com os nossos erros é essencial para nos tornarmos pessoas melhores. Acompanhar seus erros, suas derrotas, suas inseguranças e suas vitórias é fascinante tanto no quesito literário quanto no quesito realístico.

Ler esta HQ foi uma experiência incrível e complementar ao que eu já havia visto na premiada HQ de Sacco citada no segundo parágrafo. Conhecer melhor os sofrimentos e as lutas ocorridas no Oriente Médio, só fazem com que eu perceba cada vez mais o quanto fui alienado durante anos, quando o assunto era este povo que também julgava de maneira leviana, denominando-o apenas como terrorista.

Lutar sempre é possível, mesmo em ambientes opressores como a região a qual a autora nasceu e cresceu. A liberdade tem um preço; mas um preço que vale a pena ser pago se sua intenção é lutar por um lugar melhor para viver, ou quando sua intenção é se libertar, como um pássaro ao sair de uma gaiola.

Marjane Satrapi é uma guerreira que nunca teve medo de se opor ao regime que ela sempre desprezou. O verdadeiro exemplo do que é ser feminista em um local onde um fio de cabelo fora do lugar é visto como um crime, punível com torturas, prisões e até mesmo estupros. São de pássaros como ela que o mundo precisa. Ser engaiolado é algo imposto. Ficar aprisionado é uma escolha!

_____________________________

Nota extra:

Há uma adaptação francesa que foi escrita e dirigida pela própria autora em parceria com Vincent Paronnaud e lançada em 2007 no festival de Cannes, cujo prêmio foi vencedora, escolhida pelo júri. A mesma foi indicada também ao Oscar na categoria de melhor animação, mas perdeu para Ratatouille.

Compartilhe
Share

Related posts

O Som e a Fúria: A complexidade psicológica de Faulkner

O Som e a Fúria: A complexidade psicológica de Faulkner


O Som e a Fúria: A complexidade psicológica de Faulkner

******************************NÃO contém spoiler****************************** Autor: William Faulkner Editora: Companhia das Letras / Clássico Norte-americano / Idioma: Português / 376 páginas Como analisar uma obra que tem como ponto forte sua inconsistência narrativa e sua forte...

Jardins da Lua & Os Portais da Casa dos Mortos: Vale a pena a leitura? #15

Jardins da Lua & Os Portais da Casa dos Mortos: Vale a pena a leitura? #15


Jardins da Lua & Os Portais da Casa dos Mortos: Vale a pena a leitura? #15

******************************NÃO contém spoiler****************************** Autor: Steven Erikson Editora Arqueiro  / Gênero: Fantasia Adulta / Idioma: Português  Jardins da Lua: 608 páginas / Os Portais da Casa dos Mortos: 816 páginas No meio de deuses manipulares que caminham...

O Desaparecimento de Stephanie Mailer

O Desaparecimento de Stephanie Mailer


O Desaparecimento de Stephanie Mailer

******************************NÃO contém spoiler****************************** Autor: Jöel Dicker Editora: Intrínseca / Gênero: Thriller policial / Idioma: Português / 578 páginas Quando um quadruplo homicídio envolvendo a família do prefeito e uma vizinha ocorre em 1994, toda a cidade de...

1 Comment

  1. Trackback: Bordados: A narrativa "intimista", feminista e necessária de Marjane Satrapi. | Mundo das Resenhas

Leave a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.