Título e Capa 5
Escrita / Enredo 4
Originalidade 3
Personagens 4
Final 5

******************************NÃO contém spoiler****************************** Mads Dittman Mikkelsen, o astro da série Hannibal , dá vida em Polar ao protagonista Black Kaiser, o sanguinário personagem criado por Victor Santos na série de HQs de mesmo nome. O filme (Original Netflix), tem por objetivo adaptar uma estória noir sobre a jornada de um ex-assassino de aluguel, que passa ..

Summary 4.2 Incrível
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

Polar (Original Netflix): “Um bom filme de ação. Porém, uma adaptação mediana.”

******************************NÃO contém spoiler******************************

Mads Dittman Mikkelsen, o astro da série Hannibal , dá vida em Polar ao protagonista Black Kaiser, o sanguinário personagem criado por Victor Santos na série de HQs de mesmo nome. O filme (Original Netflix), tem por objetivo adaptar uma estória noir sobre a jornada de um ex-assassino de aluguel, que passa a ser perseguido pela empresa ao qual trabalhava. A questão é: Polar se trata de uma boa adaptação?

Com uma fotografia impecável, com cenas de ação bem coreografadas e com um protagonista bem interpretado, o filme tinha tudo para ser uma das melhores adaptações do ano. Mas infelizmente ele não passa de apenas um bom filme de ação. Não que isso seja ruim… mas para os fãs e leitores das narrativas originais, o filme dirigido por Jonas Âkerlund pode soar meio estranho em alguns momentos, o que pode acarretar em uma leve decepção.

Todo o clima noir da HQ é quebrada em vários momentos devido a troca de cenários, de trilha sonora e atuações. O que Victor Santos criou, é algo sóbrio, repleto de sombras, traços quadrados, preto no branco e com cores quase nulas, com exceção do vermelho que traz a tona toda violência da narrativa. As cores aparecem em estórias extras e em poucos momentos. Na adaptação cinematográfica vemos este cenário mais dark apenas nos momentos em que o protagonista aparece. Em momentos a parte, dedicados aos vilões, somos “agraciados” com cenários repletos de cores vivas, atuações caricatas e muitas vezes sem sentido.

A ausência de personagens icônicos da HQ, como uma importante personagem feminina, também incomodará (acredito eu) quem leu os originais. Polar é um filme de ação inspirado na HQ de Santos, com algumas cenas que saltaram das páginas dos quadrinhos para a adaptação. Nada fiel e repleto de personagens criados exclusivamente para o filme. A trilha sonora, assim como as trocas de cenários, também destoam bastante. É um bom filme de ação, que empolga em vários momentos, mas que também soa inconsistente em tantos outros.

Não é original, não entrega atuações espetaculares (com exceção de Mads Mikkelsen e Vanessa Hudgens) e não apresenta efeitos especiais nível Oscar; apesar de serem efeitos excelentes. Pra quem é viciado em filmes de ação, acredito que irá curtir e muito. Mas pra quem é um pouco mais exigente, acredito que irá considerar apenas mais um filme genérico do gênero como os milhares que existem por aí.

Polar é algo que deveria ter sido adaptado como foi concebido. Sem cores, com muitas sombras, poucos diálogos, e muito mais sangue do que tem. Um filme de ação que se assemelha e muito, conforme já citado na resenha da HQ (Clique AQUI) com filmes como “O Protetor” e “Busca Implacável.”

Indico pra quem gosta de pancadaria proveniente de um bom filme de ação. Não é perfeito, mas serve para divertir, para ajudar o tempo a passar e para nos fazer entender que é possível fazer um bom filme de ação, mesmo que ele decepcione em vários quesitos. Não funciona como adaptação (em minha humilde opinião), mas vale a pena prepararmos uma pipoca, sentarmos no sofá e nos deliciarmos com o que Jonas Âkerlund nos entrega.

Compartilhe
Share

Related posts

Kengan Ashura (Parte I – Netflix): Lute ou morra!

Kengan Ashura (Parte I - Netflix): Lute ou morra!


Kengan Ashura (Parte I - Netflix): Lute ou morra!

******************************NÃO contém spoiler****************************** Em uma verdadeira selva de pedra, somente os mais fortes e ferozes sobrevivem. Em um mundo dominado pela ambição, as grandes corporações do mundo lutam pelo direito de liderar tudo e todos. 32 empresas e inúmeros...

Sex Education: Indecente e sábia?

Sex Education: Indecente e sábia?


Sex Education: Indecente e sábia?

******************************NÃO contém spoiler****************************** Como entender a mente dos jovens? Como não se perder em seus dilemas e em suas constantes descobertas e ebulições psicológicas e sexuais? Como lidar com situações muitas vezes constrangedoras em um mundo onde a...

CRÍTICA – ELITE 2ª TEMPORADA – CARLOS MONTERO E DÁRIO MADRONA

CRÍTICA - ELITE 2ª TEMPORADA - CARLOS MONTERO E DÁRIO MADRONA


CRÍTICA - ELITE 2ª TEMPORADA - CARLOS MONTERO E DÁRIO MADRONA

Para os amantes de dramas adolescentes, com uma pitada de mistério, Elite, série espanhola da Netflix, retorna em sua 2ª temporada, trazendo um desfecho para o assassinato da personagem Marina. A narrativa acompanha os estudantes do colégio “Las Encinas” tentando seguir em frente após a...

Leave a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.