Título e Capa 5
Escrita / Enredo 4
Originalidade 3
Personagens 4
Final 4

******************************NÃO contém spoiler****************************** Autora: Christina Dalcher Editora Arqueiro / Gênero: Ficção feminista / Idioma: Português / 400 páginas Quando paramos para refletir sobre o papel da mulher na sociedade a qual ela faz parte, analisando principalmente seus movimentos sociais, políticos e expressivos, percebemos o quanto elas ainda lutam para não serem silenciadas. Se pra mim ..

Summary 4.0 Incrível
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

Vox: A árdua missão de ser mulher!

******************************NÃO contém spoiler******************************

Autora: Christina Dalcher

Editora Arqueiro / Gênero: Ficção feminista / Idioma: Português / 400 páginas

Quando paramos para refletir sobre o papel da mulher na sociedade a qual ela faz parte, analisando principalmente seus movimentos sociais, políticos e expressivos, percebemos o quanto elas ainda lutam para não serem silenciadas. Se pra mim como homem já é complexo refletir e me colocar em tal posição empática, fico a pensar o quão difícil é ser mulher em um mundo que tenta a todo custo rebaixá-las, levando muitas vezes em consideração seus gêneros em detrimento de suas reais capacidades, sejam elas físicas ou cognitivas.  Por mais que muitas mudanças já tenham ocorrido desde que a palavra feminismo foi criada em 1837 pelo filósofo e socialista francês Charles Fourier; é inegável ainda hoje a existência de resistências sociais e políticas, quando o assunto é a posição e importância da mulher na sociedade.

Tratarmos o feminismo como um tema de interesse exclusivamente feminino, é um erro perigoso que devemos evitar cometermos. Como trata-se de movimentos sociais, políticos e filosóficos que visam os direitos equânimes e o empoderamento feminino através da libertação da mulher como indivíduo, os resultados de tais lutas irão impactar a todos, independente de seus cromossomos. Portanto, não devemos permitir que sejamos dominados pela inércia quando nos depararmos com injustiças de gênero. Devemos impedir que o tão sonhado progresso não ocorra, tornando-se apenas sombra do passado, originando no regresso que nos levará para o caos social de gênero.  A luta pela igualdade deve ser de todos e  não apenas das mulheres.

Obras como Vox” de Christina Dalcher se torna em tempos sombrios leituras incômodas, mas necessárias. Nos mostra uma realidade ficcional não tão distante de se tornar a nossa realidade. Considerado por muitos o novo “O Conto da Aia”, o romance supracitado apresenta um mundo onde o maior pecado que uma mulher pode cometer é falar. Para impedir que atos pecaminosos como esses sejam cometidos além da conta, as mulheres são submetidas a situações absurdas de submissão, perdendo por completo seus direitos e sendo obrigadas a utilizarem em seus pulsos contadores de palavras que as permite falar unicamente 100 palavras por dia. Se para as mulheres tais situações já passam de qualquer limite do aceitável, imaginem como não é para as mulheres trans ou para os homossexuais nesse mundo claustrofóbico, misógino e preconceituoso.

“Como mulheres, devemos manter o silêncio e obedecer. Se precisarmos saber algo, perguntemos aos nossos maridos na intimidade do lar, porque é vergonhoso uma mulher questionar a liderança do homem, ordenada por Deus.”

 

“Mulher não deve ir às urnas, mas tem uma esfera própria, de incrível responsabilidade e importância. Ela é a guardiã do lar, nomeada por Deus… Ela deve ter total consciência de que sua posição  de esposa e mãe, e de anjo do lar, é a tarefa mais santa, mais responsável e régia designada para os mortais; e descartar qualquer ambição de algo mais elevado, já que não existe nada tão elevado para os mortais.”

Ler a obra de Dalcher me deixou muito pensativo e necessitado de mudanças mais frenéticas. Todavia, tenho consciência que esta é uma luta diária; e que devemos libertar mentes ao mesmo tempo que libertamos a sociedade desse mundo construído por sistemas patriarcais. O livro não é perfeito, mas é tão bom quanto a aclamada obra de Margareth Atwood. Sua primeira metade me agradou mais que a segunda. Achei os momentos finais deveras corridos e repletos de situações convenientes demais. Mas a pergunta que ainda permanece comigo (e que o livro ressuscitou em meu ser) e que irei refletir ao longo da vida é: Como é ser mulher nesse mundo dominado pelo machismo estrutural?

Finalizo dizendo que o lugar de fala quando a pauta é feminismo é delas, mas nada nos impede de sermos aliados ativos que colaboram para que tal luta ocorra e para que os resultados sejam benéficos para todos. Já dizia Angela Davis: ” Precisamos nos esforçar para “erguermos enquanto subimos.” Em outras palavras, devemos subir de modo a garantir que todas as nossas irmãs e irmãos subam conosco.”

***

CONFIRAM TAMBÉM A RESENHA DOS LIVROS ABAIXO CLICANDO NOS TÍTULOS:

O CONTO DA AIA

OS HOMENS EXPLICAM TUDO PARA MIM

Avaliação:

0 / 5 Avaliação: 0
Compartilhe
Share

Related posts

A ELITE – KIERA CASS

A ELITE - KIERA CASS


A ELITE - KIERA CASS

A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncipe e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com...

Garotas de Neve e Vidro – Melissa Bashardoust | Feminista, singelo e pouco audacioso.

Garotas de Neve e Vidro - Melissa Bashardoust | Feminista, singelo e pouco audacioso.


Garotas de Neve e Vidro - Melissa Bashardoust | Feminista, singelo e pouco audacioso.

******************************NÃO  contém spoiler***************************** Autora: Melissa Bashardoust Editora: Plataforma 21 / Gênero: Fantasia YA / Idioma: Português / 424 páginas Mulheres que se odeiam, que disputam o protagonista másculo e que se rivalizam a cada virar de páginas...

4 Kids Walk Into A Bank – Mathew Rosenberg & Tyler Boss | Para se ler em um dia.

4 Kids Walk Into A Bank - Mathew Rosenberg & Tyler Boss | Para se ler em um dia.


4 Kids Walk Into A Bank - Mathew Rosenberg & Tyler Boss | Para se ler em um dia.

******************************NÃO contém spoiler****************************** Autor: Mathew Rosenberg / Artista: Tyler Boss Editora: Black Mask Comics / Idioma: Inglês / Total de páginas da série: 176 O que poderia acontecer se quatro crianças decidissem investigar quatro perigosos...

Leave a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.