Título e Capa 5
Escrita / Enredo 3
Originalidade 4
Personagens 4
Final 3

“A morte te dá parabéns” conta a história de Tree, uma jovem universitária que vive a vida sendo egoísta, arrogante e maltratando as pessoas a sua volta, inclusive o pai que ela ignora até metade do filme. Além do gênio difícil, a protagonista vive o famoso clichê, que atualmente deixou de ser algo exclusivo e ..

Summary 3.8 good
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Crítica: A Morte te dá Parabéns

“Tree (Jessica Rothe) é uma jovem estudante que trata mal os meninos, desdenha das amigas e não parece estar muito disposta a atender as ligações do pai no dia do aniversário dela. No fim do mesmo dia, no entanto, ela é brutalmente assassinada por um mascarado. Acontece que ela “sobrevive”, ou melhor, acorda no mesmo e fatídico dia, numa espécie de looping macabro, que termina sempre com a morte da garota. Repetir, seguidamente, o mesmo dia, por outro lado, dá a Tree a chance de investigar quem a está querendo morta e o porquê”.

“A morte te dá parabéns” conta a história de Tree, uma jovem universitária que vive a vida sendo egoísta, arrogante e maltratando as pessoas a sua volta, inclusive o pai que ela ignora até metade do filme.

Além do gênio difícil, a protagonista vive o famoso clichê, que atualmente deixou de ser algo exclusivo e aparece em muitos filmes, fica presa no tempo, revivendo as últimas 24h até descobrir o mistério que ronda a trama.

Apesar de ser algo muito recorrente, o diretor Christopher Landon, criou uma narrativa cômica e interessante, onde a universitária precisa descobrir o próprio assassinato. O filme brinca com clichês de filmes de terror e suspense e, ao mesmo tempo, não deixa o espectador com medo, embora algumas cenas deem susto.

Tree, após ser assassinada por uma pessoa fantasiada, volta ao dia de sua morte, acreditando apenas estar vivendo um grande déjà-vu. Ao longo do filme, após ser morta várias vezes e retornar a manhã do assassinato, percebe que precisa descobrir a identidade do assassino para então se livrar desse círculo vicioso.

A trama não exige esforço mental, os diálogos são fracos, as cenas são fáceis de entender e divertidas. Por ser um filme fácil proporciona que ao longo do tempo o espectador comece a eliminar personagens suspeitos assim como Tree faz nas cenas que se seguem.

Apesar de ser um filme classificado como terror poderia facilmente se passar por comédia, pois muitas cenas são carregadas de humor e, principalmente sarcasmo com sustos divertidos e frases bobas.

Algumas questões deixaram a desejar, por exemplo, ao final do filme não há uma explicação de como a jovem fica presa nesse círculo vicioso de repetições, também, em determinado momento, a protagonista percebe que sua saúde é afetada em cada assassinato, mas não há uma continuação, e mais uma cena se perde na narrativa.

Mesmo não aprofundando algumas questões e sendo um filme “fraco”, A morte te dá parabéns traz de volta um terror cômico e inocente. Envolvendo humor e trabalhando sustos e risadas de forma divertida fazendo com que se ache graça mesmo em um assassinato.

Quem ainda não assistiu A morte te dá parabéns eu recomendo. Depois de assistir, deixe a opinião nos comentários.

Related posts

RESENHA – OS INCRÍVEIS 2 – BRAD BIRD

RESENHA - OS INCRÍVEIS 2 - BRAD BIRD


RESENHA - OS INCRÍVEIS 2 - BRAD BIRD

Após 14 anos de espera, a família preferida de heróis retorna às telonas, com uma comédia mostrando dramas e dificuldades dos super-heróis e, ao mesmo tempo, mostrando o valor da família e o companheirismo dos mesmos. A trama de Os Incríveis 2 começa imediatamente após o término do primeiro...

Crítica – Se Enlouquecer, Não Se Apaixone (2010)

Crítica - Se Enlouquecer, Não Se Apaixone (2010)


Crítica - Se Enlouquecer, Não Se Apaixone (2010)

Às vezes fico me perguntando o motivo de muitas pessoas hoje em dia acharem algo como suicídio ser tão interessante. Algo incabível para minha consciência. A sociedade está cruel, para dizer a verdade, chegam até a criar jogos que botam em riscos os jovens com a falta de endorfina, serotonina...

Resenha – Power Rangers: RPM

Resenha - Power Rangers: RPM


Resenha - Power Rangers: RPM

Sim amiguinhos. Hoje vamos falar dos heróis que não sangram, mas soltam faíscas. Os heróis que fazem toda uma coreografia para vestir suas roupas. Os heróis com os efeitos especiais mais toscos da TV. Exatamente, vamos falar de Power Rangers. Mais especificamente, Power Rangers: RPM. Vou colocar...