Título e Capa 4
Escrita / Enredo 4
Originalidade 4
Personagens 3
Final 5

Muito bem pessoal, hoje iremos falar sobre uma série que começou com um episódio de uma hora e vinte minutos bem apresentados para todos nós aficionados pela ficção. Mas antes de mais anda devo admitir que não sou muito conhecedor das coisas Godzillianas, o que sei são bem simples, mas mesmo assim algumas coisas sempre ..

Summary 4.0 great
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Godzilla (Netflix)

Muito bem pessoal, hoje iremos falar sobre uma série que começou com um episódio de uma hora e vinte minutos bem apresentados para todos nós aficionados pela ficção.

Mas antes de mais anda devo admitir que não sou muito conhecedor das coisas Godzillianas, o que sei são bem simples, mas mesmo assim algumas coisas sempre me fizeram pensar sobre a vida desse gigante monstro da genialidade do homem em questão de cinema. Afinal, monstros gigantes destruindo cidades é sempre muito legal de se ver. Nesse caso temos mais uma vez Godzilla destruindo tudo que encontra pela frente, mas desta vez é de uma maneira totalmente repensada para um universo de ficção jamais pensando. Isso é que ao meu ver fará essa série tornar-se uma das mais interessantes de se assistir.

Confesso que achava que seria algo ao estilo de sempre, onde Godzilla apareceria para salvar a humanidade dos monstros terríveis que atormentam Tóquio e as demais cidades do globo terrestres. Todos os filmes que consegui ver sobre o bicho sempre seguem a mesma linha. Um monstro surge, destrói tudo e Godzilla vem para salvar, ou até mesmo o próprio Godzilla vem e destrói tudo e vai embora como se nada tivesse acontecido, esse foi diferente e inovador, a não ser que já seja conhecido no universo dos aficionados pela fera “dinossauro/dragão”.

Nessa nova versão, acontece de monstros virem a terra para destruir tudo o que encontrassem, mas esses os humanos conseguiam destruir, até que começa a vir monstros cada vez piores e mais ferozes, até Godzilla surgir. Mas quando esse apareceu não deu mais chance para os outros que eram destruídos juntos com a humanidade. Até o momento em que uma raça alienígena aparecer e oferecer aquilo que os humanos não tinham mais… A devoção, ou em outras palavras, uma religião. Não adiantou e para ajudar os humanos outra raça alienígena surge e pede exilio para os humanos, mas é em vão. A última saída para todos eles são de partir para o espaço e encontrar outros planetas habitáveis. E é aí que esse filme se torna único, e pelo fato dos humanos e os humanoides tentarem sobreviver num universo procurando uma terra para todos habitarem. Mas aí começa então toda a trama e raiva da humanidade em ter que sofrer por um monstro que não pode ser destruído, até então.

Temos uma animação muito bem produzida, que lembra muito Knight of Sidonia. Não sei se foi feito pelo mesmo estúdio, mas ficou legal. Um filme que nos prende de início ao fim e nos faz querer mais! Tanto pelo fato de querer saber como é a natureza da terra depois de 20.000 anos abandonada deixada as traças-godzila, hehehehe. Se você é assim como eu, apaixonado por ficção não pode deixar de ver essa maravilhosa obra prima. Mas já vou adiantando, as outras partes demorarão a serem lançadas, foi o que vi numa simples pesquisa sobre o filme.

Mas, e você? Já viu o filme? Gostou? Entende esse universo do Godzilla? Gostou da nova história? Não deixe de compartilhar e comentar! Até a próxima!

Related posts

RESENHA – OS INCRÍVEIS 2 – BRAD BIRD

RESENHA - OS INCRÍVEIS 2 - BRAD BIRD


RESENHA - OS INCRÍVEIS 2 - BRAD BIRD

Após 14 anos de espera, a família preferida de heróis retorna às telonas, com uma comédia mostrando dramas e dificuldades dos super-heróis e, ao mesmo tempo, mostrando o valor da família e o companheirismo dos mesmos. A trama de Os Incríveis 2 começa imediatamente após o término do primeiro...

Crítica – Se Enlouquecer, Não Se Apaixone (2010)

Crítica - Se Enlouquecer, Não Se Apaixone (2010)


Crítica - Se Enlouquecer, Não Se Apaixone (2010)

Às vezes fico me perguntando o motivo de muitas pessoas hoje em dia acharem algo como suicídio ser tão interessante. Algo incabível para minha consciência. A sociedade está cruel, para dizer a verdade, chegam até a criar jogos que botam em riscos os jovens com a falta de endorfina, serotonina...

Resenha – Power Rangers: RPM

Resenha - Power Rangers: RPM


Resenha - Power Rangers: RPM

Sim amiguinhos. Hoje vamos falar dos heróis que não sangram, mas soltam faíscas. Os heróis que fazem toda uma coreografia para vestir suas roupas. Os heróis com os efeitos especiais mais toscos da TV. Exatamente, vamos falar de Power Rangers. Mais especificamente, Power Rangers: RPM. Vou colocar...