Título e Capa 3
Escrita / Enredo 3
Originalidade 3
Personagens 3
Final 3

Ainda na vibe de ler livros de horror, dei início a leitura da ficção de “H.G. Wells”. “A Ilha do Doutor Moreau“, aborda um tema “complicado” e muito detestado pela minha pessoa. Sou absolutamente contra qualquer tipo de teste envolvendo animais. E se sou contra pegar um ratinho indefeso e implantar doenças nele para ver ..

Summary 3.0 good
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Resenha – A Ilha do Doutor Moreau – H. G. Wells

Ainda na vibe de ler livros de horror, dei início a leitura da ficção de “H.G. Wells”.

a ilha do doutor moreau h g wells
“A Ilha do Doutor Moreau“, aborda um tema “complicado” e muito detestado pela minha pessoa. Sou absolutamente contra qualquer tipo de teste envolvendo animais. E se sou contra pegar um ratinho indefeso e implantar doenças nele para ver se descobrem algo que cure a tal doença, imagine então experimentos sem qualquer tipo de nexo ou objetivo aceitável.
É isso que vemos nessa história. Um louco que vive em uma ilha, exilado do mundo e que pega animais indefesos para torturá-los com experimentos macabros que visam um objetivo: transformar animais em humanos.

Bom, é importante considerar essa história uma obra de ficção ao lê-la, como eu disse, sou contra experimentos feito em animais, portanto tentei me lembrar o tempo todo “ISSO É FICÇÃO!”, embora lá no fundo a gente saiba que existem sim, humanos desprezíveis que praticam esses tipos de atrocidades.

Voltando ao enredo, em determinado ponto, não é difícil considerar tudo uma obra ficticiosa, afinal, os animais “transformados” pelo Dr. Moreau tem diversas características humanas, inclusive a fala.
A narrativa é feita em primeira pessoa, sob o ponto de vista de Prendick, um naufrágo que, por azar do destino, acabou indo parar na tal ilha do cientista louco.
Li algumas sinopses que tratavam esse livro como “uma sátira sobre a teoria da evolução”. Cada um com sua opinião né?

Enfim, é um livro curto e cheio de maldades que vão fazer o sangue de qualquer um que se importe com animais ferver. (Mesmo sabendo ser ficção).
A quem gosta de livros do gênero horror, eu recomendo a leitura, embora eu classifique a história apenas como “boa”, e quem não gosta, favor, passar longe desse livro.


Para quem não sabe, temos duas adaptações do livro. Uma de 1977 e outra de 1996, vou deixar os trailers dos respectivos filmes para quem se interessa por filmes ou adaptações.

Related posts

RESENHA – COMO SE LIVRAR DE UM VAMPIRO APAIXONADO – BETH FANTASKEY

RESENHA - COMO SE LIVRAR DE UM VAMPIRO APAIXONADO - BETH FANTASKEY


RESENHA - COMO SE LIVRAR DE UM VAMPIRO APAIXONADO - BETH FANTASKEY

O livro conta a história de Jessica, uma estudante comum que vive numa fazenda com os pais adotivos. A garota está prestes a completar 18 anos quando descobre ser uma princesa que vem de uma linhagem de vampiros romenos e, para a sua surpresa, está prometida em casamento ao príncipe vampiro...

Resenha: Morte de Tinta – Cornelia Funke

Resenha: Morte de Tinta - Cornelia Funke


Resenha: Morte de Tinta - Cornelia Funke

Sim amiguinhos, finalmente vamos encerrar nossas aventuras pelo Mundo de Tinta, com o último livro da trilogia Mundo de Tinta, Morte de Tinta, escrito por Cornelia Funke e lançado aqui em terras brazucas pela editora Seguinte. Vou colocar a sinopse do livro e depois digo minhas opiniões sobre o...

Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Primeira Guerra Mundial – Santiago Farrel

Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Primeira Guerra Mundial - Santiago Farrel


Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre a Primeira Guerra Mundial - Santiago Farrel

Esse ano completa-se praticamente cem anos de um dos conflitos que marcou todas as nações que se envolveram nela. Não, não estou referindo a segunda guerra mundial, mas sim a Primeira, na qual até hoje é considerada, e com razão, o pai de todos os conflitos modernos, já que foi nela que foi...