Mundo das Resenhas
Corte de Chamas Prateadas, Sarah J Maas Corte de Chamas Prateadas, Sarah J Maas
Nestha Archeron sempre foi orgulhosa, irritável e lenta em perdoar. Ter sido Feita pelo Caldeirão não tornou sua personalidade mais doce. Mas o que... Corte de Chamas Prateadas, Sarah J Maas

RESENHA CORTE DE CHAMAS PRATEADASNestha Archeron sempre foi orgulhosa, irritável e lenta em perdoar. Ter sido Feita pelo Caldeirão não tornou sua personalidade mais doce. Mas o que poucos sabem é que, por trás da fachada de força, Nestha carrega uma dor que a está corroendo: o arrependimento por não ter feito nada para ajudar a família quando caíram na pobreza e por não ter sido capaz de salvar o pai…

Desde que foi forçada a entrar no Caldeirão e se tornar Grã-Feérica contra sua vontade, ela lutou para encontrar um lugar para si mesma dentro do mundo estranho e mortal que habita. No entanto, ela não consegue superar os horrores da guerra com Hybern e tudo o que perdeu nela.
A única pessoa que a incendeia, mais do que qualquer outra, é Cassian, o guerreiro com cicatrizes de batalha cuja posição na Corte Noturna de Rhysand e Feyre o mantém constantemente na órbita de Nestha. Mas seu temperamento não é a única coisa que Cassian inflama. O fogo entre eles é inegável, e fica ainda mais quente quando são forçados a ficarem próximos um do outro.
Como se não bastasse, a possibilidade de uma nova guerra desponta no horizonte e, enquanto isso, as traiçoeiras rainhas humanas que retornaram ao continente durante a última guerra forjaram uma perigosa nova aliança, ameaçando a frágil paz que se instalou nos reinos… E a chave para detê-los pode depender de Cassian e Nestha enfrentarem seu passado assustador.
Contra o pano de fundo arrebatador de um mundo devastado pela guerra e atormentado pela incerteza, Nestha e Cassian percebem que apenas juntos podem triunfar, e lutam contra monstros por dentro e por fora enquanto buscam aceitação – e cura – nos braços um do outro.

Quarto volume da saga: Corte de Espinhos e Rosas.

* A resenha pode conter alguns spoilers.

A narrativa começa como uma continuação do spin-off Corte de Gelo e Estrelas. Nos deparamos com uma Nestha, outrora feroz e decidida, agora quebrada, infeliz e com uma vida regada a sexo, álcool e solidão, numa busca constante para esquecer os terrores enfrentados na guerra contra Hybern e aprisionar os seus poderes devastadores.

Devido ao seu comportamento recente e aos poderes roubados do Caldeirão, Feyre decide dar a Nestha uma segunda chance, a fim de ajudá-la a superar todos os sentimentos negativos e a depressão. A proposta é que Nestha trabalhe na biblioteca com as sacerdotisas, treine com Cassian, se mude para a Casa do Vento e fique longe de seus antigos hábitos destrutivos – como transar com desconhecidos e se embebedar.

“Ela manteve as costas retas, o queixo erguido, furiosa por ter todos os olhos sobre ela enquanto se sentava no sofá ao lado de sua irmã. Furiosa, porque Rhys e Amren notaram seus sapatos sujos e provavelmente ainda percebiam o cheiro do macho em seu corpo, apesar de ter tomado banho”.

Nestha não facilita a tarefa de Cassian em treiná-la, aliás, sempre que pode, trata-o mal, o ofende e exala um comportamento extremamente hostil, porém, Cassian não consegue deixá-la sozinha e se força, constantemente, a entendê-la e lidar com a situação da melhor forma que consegue.

Sem o álcool para entorpecê-la, Nestha, lentamente, começa a notar outras possibilidades. O trabalho na biblioteca é cansativo, mas a ajuda a manter os pensamentos em ordem fora que, lá, ela conhece Gwyneth Berdara, Gwyn, uma jovem sacerdotisa animada, inteligente e que, por incrível que pareça, não parece se importar que Nestha seja mal-humorada e a irmã da Grã-Senhora da Corte Noturna.

“Nestha olhou além dela por um longo momento, se perguntando se ela teria imaginado tudo isso. Duas conversas amigáveis em um dia. Ela não tinha ideia de quando tal coisa havia ocorrido pela última vez. Outra sacerdotisa encapuzada passou por ela, e ofereceu a Nestha um aceno com o queixo em saudação. Silêncio se instalou ao redor dela, como se Gwyn tivesse sido uma tempestade de verão que explodiu e se evaporou em um momento. Suspirando, Nestha reuniu os livros que Gwyn havia deixado no carrinho”.

A narrativa, mostrando a visão de Nestha e Cassian, é reveladora em vários sentidos, primeiro, porque começamos a entender todos os sentimentos e confusões da personagem, motivos pelos quais ela optou por deixar Feyre sozinha caçando na floresta para que elas não morressem de fome, porque ela odiou o pai tão profundamente e outras atitudes terríveis que ela adquiriu ao longo dos anos. Em segundo lugar, porque é lindo acompanhar Cassian, com seu jeito brincalhão e determinado, tentando consertá-la e ajudando-a a enxergar um futuro.

Outro ponto bem trabalhado pela autora, foi não colocar Feyre e Elain como responsáveis por trilhar esse caminho com Nestha, ao contrário, ela desenvolve uma amizade com Gwyn – que também tem traumas terríveis do passado, e Emerie, uma illyriana que teve suas asas quebradas pelo próprio pai. Ambas tem fantasmas no passado e, juntas, decidem se fortalecer e superar os problemas.

Embora Nestha demore para conseguir se aceitar, entender seus poderes e se perdoar por tudo o que fez, ela desenvolve um sentimento muito bonito pelas mulheres que sofreram traumas, por isso, ela se esforça para que todas as sacerdotisas e também Emerie, treinem com ela e aprendam a se defender.

“Você permitiria que suas sacerdotisas treinassem comigo todas as manhãs no ringue de treino no topo da Casa? Não todas, apenas as que estiverem interessadas”.

“Clotho ficou perfeitamente imóvel. Então, sua caneta se moveu: treinar para quê?”

“Para fortalecer os seus corpos, para se defenderem, para atacarem, se assim o desejarem. Mas também para clarear suas mentes”.

Para finalizar essa jornada não poderia faltar um romance, não é? Pois, bem! Sarah também conseguiu criar uma atmosfera de desejo, paixão, sedução, mesclados a um autoconhecimento fantástico dos personagens. Por mais que saibamos que Cassian é apaixonado por Nestha e que ela também o deseja, não os vemos se entregar logo de cara, e isso é ótimo, afinal, a personagem está lutando contra uma depressão, com vários sentimentos mal resolvidos e não faria sentido que ela se envolvesse amorosamente rapidamente.

“A força desse beijo os derrubou em direção à parede, a pedra batendo em seus ombros enquanto todo o corpo dele se aconchegava ao dela, uma mão deslizando em seu cabelo enquanto a outra segurava seu quadril. No momento em que Nestha bateu naquela parede, no momento em que Cassian a envolveu, qualquer ilusão de autocontrole se destruiu”.

É um livro incrível que mostra o verdadeiro valor do amor, da amizade e da família – mesmo ela não sendo biológica. Ele nos transmite a necessidade de reparar os erros, de se perdoar, conhecer a si mesmo e, ainda, como é importante que prestemos atenção aos nossos sentimentos, pois ignorá-los nunca é a resposta.

 

Você também pode avaliar a obra, vote! .
0 / 5 Avaliações: 5 1

Your page rank:

Compartilhe
Share

Sthephanie Figueiredo

0 0 votos
Article Rating
Inscrever.
Notificação de:
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Share
0
Adoraria ver seu comentário ♥x
()
x
%d blogueiros gostam disto: