Título e Capa 4
Escrita / Enredo 4
Originalidade 3
Personagens 3
Final 3

Resenha por: Wesley Belmonte Nota: 5   Faz tempo que não me surpreendo tanto com um livro. O livro já começa em um grande clímax; logo na primeira página o protagonista se mija ao ver seu reflexo no espelho, e não é pra menos… O cara tem um par de chifres na testa. E não ..

Summary 3.4 good
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 bad

Resenha Dupla – O Pacto – Joe Hill


Resenha por: Wesley Belmonte

Nota: 5


 

Faz tempo que não me surpreendo tanto com um livro.

O livro já começa em um grande clímax; logo na primeira página o protagonista se mija ao ver seu reflexo no espelho, e não é pra menos… O cara tem um par de chifres na testa. E não foi a namorada quem colocou nele, ou será que foi…?

Já tinha lido um livro do Joe Hill, A Estrada da Noite. Que já é um livro da minha cabeceira, e esse acabou de se tornar mais um livro que fica na minha pequena lista de favoritos. Porque Joe Hill sabe como nos entreter em cada capítulo. Pouco tempo atrás descobri que todo esse talento vem de família, pois ele é, nada menos que o filho do Rei, Stephen King.

Livro da Primeira Edição - Ainda com o nome original O Pacto - Escrito Por joe hill

Livro da Primeira Edição – Ainda com o nome original O Pacto – Escrito Por joe hill

Nesse livro conta a história de nosso anti-herói, Ignatius Perrish, ou mesmo Ig. Ele perdeu a namorada, que era o amor de sua vida, em um crime brutal. Mas o pior de tudo é que ele acabou sendo incriminado pelo crime. Como se diz: uma desgraça sempre vem acompanhada de outra. Nosso Protagonista ganhou um par de chifres, e junto com o “presente” vêm alguns poderes do demônio junto. Um dos principais é: ao se encontrar com uma pessoa, não importa quem seja essa pessoa, mãe, pai, tio… E essa pessoa em que ele toca, sente uma vontade incontrolável de confessar seus pecados e suas vontades mais secretas. Então ele vê que esse novo poder pode ser sua chance de descobrir quem foi o assassino de sua amada, mas o que ele não contava era que, ao encontrar as pessoas de sua família, descobriu o quanto todos o odiavam…

Eu me senti na pele de Ig, quando o autor narrou os fatos de sua infância e adolescência. Passei a odiar todas as pessoas a sua volta. Além do primeiro poder citado, ele ganha mais alguns, bem apropriados dados a cada ocasião, diga-se de passagem. O que tira todo clichê que poderia ter a trama e nos mergulha intensamente dentro livro. O livro é adrenalina pura do começo ao fim. Eu me fiz algumas perguntas duratne toda leitura do livro, agora faço algumas dessas perguntas a vocês: O que você faria se ficasse cara a cara com o diabo? O que você contaria a ele? O que sentiria vontade de fazer?

Ficamos felizes e tristes ao mesmo tempo quando o livro acaba.  O que posso dizer que o Joe Hill, para mim, já é considerado um dos grandes autores de suspense da atualidade. Eu indico totalmente o livro para aqueles que gostam de suspense, terror. Já você que gosta de romances correspondidos, melosos, ou mesmo drama. Nem leiam.

Acho que essa é minha pequena resenha, mas tenho Algo interessante para quem já leu A Estrada da Noite.

Em certo momento do livro, Ig fala de estar ouvindo uma música, e essa música é nada menos que do Judas Coyne

Foi um dos momentos que adorei no livro. Joe Hill, Você foi ANIMAL nesse trecho e no restante todo. Parabéns.


Resenha por: Jaíne Belmonte

Nota 2


Um livro em homenagem a 50 tons… Ops, quero dizer…
O que falar de “O Pacto”?
Bem, primeiro, uma dica: se você é conservador, não gosta de baixaria, baixaria do tipo “50 tons de cinza”, NÃO LEIA, pois este livro é infinitamente não-conservador e cheio de baixaria da primeira a última página, por isso minha comparação a 50 tons de cinza.
Um adjetivo para descrever tudo que li? Vulgar.
Ok, vamos analisar racionalmente:
1 – Este livro não foi escrito para crianças e sim para um público já maior de idade.
2 – O enredo quer mostrar o pior do ser humano e os pensamentos do diabo, então, é claro que não teria coisas fofas de se ler.
3 – Se o autor quer passar o pensamento de um diabo, é claro que o livro estará cheio de referências ao ateísmo.
Então como eu disse, se vc não se identificar com esses 3 tópicos, nem leia, ou leia, só pela curiosidade.

Livro da Segunda Edição - Com o novo nome Amaldiçoado - Artista da Capa é Daniel Radcliff - Escrito Por joe hill

Livro da Segunda Edição – Com o novo nome Amaldiçoado – Artista da Capa é Daniel Radcliff – Escrito Por joe hill

Bom, vamos ao resumo.
Ig Perrish era um bobo apaixonado pela namorada Merrin Williams, até o dia que ela parece estuprada e morta e ele é considerado o principal suspeito. A partir daí, com a pessoa que mais amava morta e com todos desconfiando dele, sua vida se torna uma espiral que só vai para baixo. Um inferno.
Até um belo dia ele acordar e se deparar com chifres crescendo na sua cabeça. Chifres que tem o poder de fazer qualquer um confessar a ele seus piores pecados e seus piores pensamentos.
A vida dele continuará um inferno.
E aí a história vai se desenrolando…
Bem, é fato que pelo título, pela capa e pela sinopse, dá uma vontade tremenda de ler, parece ser ótimo.
No começo, era bem engraçado as confissões das pessoas, mas depois de algumas páginas, comecei achar que o autor forçou demais uma vulgaridade que não se fazia tão necessária e acabou se tornando repetitiva.
Não se passava um capítulo sem eu ler palavrões ou obscenidades e poxa, mesmo que quisesse passar a imagem do diabo, não precisava dessa repetitividade toda Joe.
Mas, como sabemos, baixaria normalmente vira best seller – exemplo: 50 tons de cinza -.
Sei que já li A Estrada da Noite, livro também do Joe Hill, que também contém suas “besteiras”, mas nesse livro, o negócio estrapolou demais.
Sobre o final… QUE FINAL?
Não gostei nem um pouco, chegando as últimas páginas cheguei a pensar que o final salvaria o livro e de repente… Puf… Acabou… Pelo menos a parte do personagem principal que era o Ig… Acabou de uma forma completamente sem sentido.
A ideia geral do livro foi original, mas infelizmente, não conseguiu me agradar.

Agora, se você for ler, não diga que eu não avisei…


Curiosidades: O livro ganhou uma adaptação para o cinema, o título no Brasil, infelizmente, acabou sendo trocado para a porcaria de um nome nada chamativo: AMALDIÇOADO

Frases

“– A alma não pode ser destruída. A alma é eterna. Como o numero pi, ela não tem fim nem conclusão. Como o pi, ela é uma constate. Pi é um numero irracional, impossível de ser fracionado. A alma também é um equação irracional e indivisível que expressa perfeitamente um coisa: você.”

“É exatamente disso que estou falando, Ig. Você e seu pensamento mágico. Uma trepada nunca é só uma trepada. Sempre tem que ser uma experiência transcendental, capaz de mudar nossas vidas.”

obs: parece até que Merrin está falando comigo.

“Acho que as pessoas não sentem metade das coisas que fingem sentir.”

“Você acha que conhece uma pessoa. Mas na maioria das vezes só conhece o que quer conhecer.”

“Talvez seja necessário errar um pouco. Se você não erra, provavelmente está pensando demais. E esse é o pior erro que se pode cometer.”
página 225.

Resenha do Livro O Pacto – Escrito por Joe Hill

Resenha do Livro Amaldiçoado – Autor Joe Hill

Related posts

Resenha – A Intuitiva – Hannah Howell

Resenha - A Intuitiva - Hannah Howell


Resenha - A Intuitiva - Hannah Howell

“Inglaterra, século XVIII. Assim como a maioria de seus familiares, Alethea Vaughn Channing possui dons especiais. Desde pequena ela tem visões recorrentes de um homem desconhecido. Passados 15 anos desde a primeira visão, ela prevê um risco de morte. Ela precisa encontrá-lo, contar sobre sua...

Saiba como tudo começou: Crônicas de Morrighan: A Origem do Amor

Saiba como tudo começou: Crônicas de Morrighan: A Origem do Amor


Saiba como tudo começou: Crônicas de Morrighan: A Origem do Amor

A ORIGEM DO SENTIMENTO QUE ERGUEU UM NOVO REINO Quando o primeiro volume das Crônicas de Amor & Ódio chegou ao Brasil, os leitores souberam na hora que era amor à primeira vista. A jornada de Lia — repleta de aventura, fantasia, poder e romance — fez com que os darklovers se entregassem de...

Resenha – Kimi no Na wa (Your Name)

Resenha - Kimi no Na wa (Your Name)


Resenha - Kimi no Na wa (Your Name)

Sim, amiguinhos. Hoje vamos falar sobre uma animação vinda das longínquas terras do Japão, sim, aquele Japão cheio de coisas bizarras e animes que tanto amamos, ou odiamos. Vamos falar sobre Kimi no Na wa, ou como ficou conhecido aqui no ocidente, Your Name. Bem, vou colocar a sinopse logo...