Título e Capa 5
Escrita / Enredo 4
Originalidade 4
Personagens 5
Final 4

******************************NÃO contém spoiler****************************** Autora: Lygia Fagundes Telles Editora: Companhia das Letras / Gênero: Clássico brasileiro / Idioma: Português / 304 páginas Conforme afirmado categoricamente por críticos literários ao longo dos anos e reforçado por consagradas listas (como a da revista Bravo), o sucesso e importância de “As Meninas”, romance de Lygia Fagundes Telles publicado em ..

Summary 4.4 Incrível
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

As Meninas: O enigma narrativo de Lygia Fagundes Telles

******************************NÃO contém spoiler******************************

Autora: Lygia Fagundes Telles

Editora: Companhia das Letras / Gênero: Clássico brasileiro / Idioma: Português / 304 páginas

Conforme afirmado categoricamente por críticos literários ao longo dos anos e reforçado por consagradas listas (como a da revista Bravo), o sucesso e importância de “As Meninas”, romance de Lygia Fagundes Telles publicado em 1973 é algo incontestável. Com viés feminista, político e social, a obra se sacramenta como um dos mais importantes romances nacionais publicados. Com identidade, sagacidade e complexidade narrativa, a obra nos leva para um processo analítico desafiador, nos impedindo de sermos vítimas da superficialidade de uma leitura primária. Telles nos desafia a mergulharmos nas palavras tão bem inseridas de seu emblemático romance, nos entregando uma narrativa que vai além dos conceitos sócio-políticos tão presentes na história, e cuja estrutura textual foge sem pudor das regras gramaticais, flertando a todo momento com o coloquial e se aproximando de forma real com a oralidade nacional.

A escritora afirmou certa vez que um autor deve ser testemunha de seu tempo e sociedade, e com “As Meninas” ela reafirma tal pensamento, já que a obra a qual me dispus a ler e a qual compartilho aqui minhas simples percepções, é o retrato de um período histórico marcante de nosso país; a época em que tivemos que encarar uma ditadura militar.

Com três protagonistas que se tornam uma, o clássico de Telles mescla por diversos momentos três fluxos de consciência em um mesmo parágrafo, se misturando também com as intervenções do narrador onipresente e onisciente, que nada mais é do que a personificação criativa da própria autora. Tornando assim, a compreensão imediata do que está sendo dito e quem está dizendo o que, em algo confuso e que chega em vários momentos da leitura ao auge da complexidade. São Pensamentos que não passam de peças que se misturam e que devem ser lidas com calma, atenção e perspicácia, para serem devidamente decifradas. O romance de Telles navega por esferas diversas, passando pela pressão social e religiosa, inseguranças humanas, sexualidade e questões políticas.

Entretanto, por mais que seja apontado como um dos grandes relatos literários da ditadura militar brasileira, “As Meninas” é muito mais uma obra sobre o indivíduo, sobre a identidade feminina e sobretudo, sobre as protagonistas como personas enigmáticas a serem encaradas e desvendadas pelo leitor. Algo que o difere e muito de “A Casa dos Espíritos” da autora chilena Isabel Allende, onde a ditadura militar toma proporções narrativas muito mais vívidas e palpáveis. As protagonistas de Lygia Fagundes Telles, as três garotas moradoras de um pensionato em São Paulo e que se tornam amigas, dividindo seus anseios, perspectivas e vivências, são personagens confusas que vivem sem viver, que falam sem falar e que agem sem agir. Lia, estudante de ciências sociais e apoiadora de movimentos esquerdistas; Lorena, a mimada, rica e que se apaixona platonicamente por um homem casado; e Ana Clara, modelo, viciada em drogas e que se divide entre o namorado drogado e o noivo, são meninas que movimentam a trama e que criam elos com a realidade social… E que me foram encaradas como desafios a serem superados.

Em determinado diálogo, uma importante personagem traduz o que eu exatamente senti em relação a essas personagens.

“— Vocês me parecem tão sem mistério, tão descobertas, chego a pensar que sei tudo a respeito de cada uma e de repente me assusto quando descubro que me enganei, que sei pouquíssima coisa. Quase nada. ”

“As Meninas” é um romance excelente, anfigúrico e intimista, o qual muitas vezes nos deixa com a pulga atrás da orelha. O que é real e o que é invenção das personagens? Uma obra cujo grande trunfo é exatamente o que colabora para o afastamento de leitores menos persistentes; sua apaixonante complexidade que supera as ideologias narrativas sejam elas ficcionais ou meramente cópias críticas da realidade a qual se baseou.

Notas:

  1. O romance ganhou uma elogiada adaptação cinematográfica em 1995, protagonizada por Drica Moraes (Lia), Adriana Esteves (Lorena) e Claudia Liz (Ana Clara).

  2. As Meninas recebeu os prêmios Jabuti, Coelho Neto da Academia Brasileira de Letras e “Ficção” da Associação Paulista de Críticos de Arte (apca)

***

(CONFIRA A RESENHA DE “A CASA DOS ESPÍRITOS” CLICANDO AQUI)

Compartilhe
Share

Related posts

PERVERSÃO: AOS CUIDADOS DA FERA – M. J. HAAG

PERVERSÃO: AOS CUIDADOS DA FERA - M. J. HAAG


PERVERSÃO: AOS CUIDADOS DA FERA - M. J. HAAG

Não entre na propriedade… Com dezesseis anos, Benella preocupa-se com duas coisas: evitar os dois meninos da aldeia que a atormentam e encontrar comida para ajudar a alimentar sua família. Infelizmente, as melhores frutas e legumes selvagens estão perto de uma propriedade escura e enevoada...

RESENHA- CÍRCULO SECRETO: A TENTAÇÃO – L. J. SMITH

RESENHA- CÍRCULO SECRETO: A TENTAÇÃO - L. J. SMITH


RESENHA- CÍRCULO SECRETO: A TENTAÇÃO - L. J. SMITH

Como líder do Círculo Secreto, Cassie foi constantemente confrontada com escolhas impossíveis e novos perigos. Mas, esta vez, um movimento errado pode separar o círculo para sempre. Enquanto luta contra sua meia-irmã, Scarlett, Cassie enfrenta uma nova e terrível ameaça: os ancestrais que...

Resenha – Anjos e Demônios – Dan Brown

Resenha - Anjos e Demônios - Dan Brown


Resenha - Anjos e Demônios - Dan Brown

Anjos e Demônios é definido em uma palavra: Uau. Antes de começar minha resenha, quero dizer algumas coisas. Eu sei que muitas pessoas pensam que Dan Brown é um escritor maldito que escreve livros malditos sobre histórias malditas com personagens malditos e enredos inacreditáveis. Eu sei...

Leave a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.