Mundo das Resenhas
Cherry – Apple TV+ | Um drama de amor, traumas e drogas. Cherry – Apple TV+ | Um drama de amor, traumas e drogas.
4
******************************NÃO contém spoiler****************************** Baseado no livro semi-autobiográfico de Nico Walker lançado em 2018, Cherry, o mais novo filme dos irmãos Russo – mundialmente conhecidos... Cherry – Apple TV+ | Um drama de amor, traumas e drogas.

******************************NÃO contém spoiler******************************

Baseado no livro semi-autobiográfico de Nico Walker lançado em 2018, Cherry, o mais novo filme dos irmãos Russomundialmente conhecidos por dirigirem Vingadores Guerra Infinita e Vingadores Ultimato – retrata o drama de um jovem norte americano de classe média alta que após sofrer uma decepção amorosa, se alista ao exército, e a partir desta decisão terá sua vida mudada para sempre. Se tornando testemunha das atrocidades da guerra, sofrerá impactos psicológicos que o levarão ao fundo do poço emocional, que não afogará apenas a ele como todos ao seu redor.

Aguardado por muitos, seja por conta dos diretores ou pelo ator escolhido para interpretar o protagonista, a mais nova produção da Apple TV+, prometeu e parece não ter entregado um contéudo tão bom assim (segundo a maioria). Com críticas pesadas provenientes da crítica especializada, Cherry chegou ao público com a imagem de ser uma ideia mal executada e audasiosa demais; o que me fez controlar minhas expectativas acerca de tal produção. Entretanto, o vi e o que posso dizer é… Vale ou não o tempo investido para vê-lo? O mais novo filme de Tom Holland, o nosso querido Homem-Aranha do MCU é de fato ruim?

Com uma direção bastante experimental, o drama possui diversos pontos positivos que muito me supreenderam e fizeram com que eu mergulhasse na história e me apegasse aos personagens. Os diretores brincam com a dimensão das câmeras, diminuindo-as e aumentando-as conforme alguma cena vai sendo desenvolvida, nos aproximando das mesmas ao mesmo tempo que nos afasta, causando uma sensação de conexão e desconexão bastante esquesita e prazerosa ao mesmo tempo. A narrativa também se diferencia por nos entregar um narrador muitas vezes “onisciente”, que quebra a quarta parede e conversa com os telespectadores conforme a narrativa vai se desenrolando; o que funciona em certos momentos e em outros nem tanto. A trilha sonora está magnífica e as atuações são um show à parte.

Dividido em partes, seguindo a lógico do livro (o qual infelizmente ainda não consegui ler devido a minha pilha infinita de próximas leituras), o drama dos irmãos russos mergulha de forma sensacional na mente do protagonista, o que ganha cada vez mais peso conforme a narrativa vai se delineando como uma história de regressão emocional de alguém traumatizado. Contudo, Cherry não se sustenta apenas pelo drama do personagem central, como caminha lado a lado de diversos outros gêneros como romance, comédia e suspense, de forma a aliviar alguns momentos que poderiam deixá-lo bastante indigesto para telespectadores mais sensíveis. O romance funciona de forma excelente, graças a impresionante química entre Holland e Ciara Bravo, que abraçam seus personagens e nos convencem de forma visceral. Os momentos tensos regados de suspenses e de cenas dramáticas de consumos de drogas ou até mesmo as cenas em que o personagem central se encontra na guerra, também funcionam e chocam, muito pela fotografia da trama, quanto pela direção e pelas atuações. O mesmo não posso dizer das cenas cômicas que são em sua maioria inseridas de formas deslocadas. Muitas sucedem algum momento de tensão que é quebrado por tais momentos de comicidade, que em suma, prejudicam também a cena seguinte, que perde sua relevância por conta de tais momentos sem sentido e bastante descartáveis. Algumas quebras narrativas por conta das intervenções do protagonista também incomodam e muitas vezes se tornam enfadonhas, já que quebram a tensão da história, que é um dos grandes pontos altos do filme.

Todavia, o plot ganha novas dimensões quando nos deparamos com as excepcionais atuações de Tom Holland e de Ciara Bravo. Ambos estão enérgicos, se completam em cena de forma orgânica e a química dos dois é algo que relamente eleva o nível do filme em diversos momentos. A trama oscila por muitas vezes os capítulos demorarem para se encaixarem, além dos problemas mencionados no parágrafo anterior. Mas afirmo que Cherry não é tão ruim assim como muitos afirmam, tendo me sido uma experência interessante e menos cansativa do que imaginei que seria, ainda mais se levarmos em consideração que se trata de um filme de 2h21min em que muitos afirmam ser algo difícil de engolir. Trata-se de um bom filme, bem dirigido e com atuações realmente excepcionais. Uma narrativa reflexiva sobre amor, traumas e drogas.

NOTA:

O livro foi lançado por aqui recentemente pela editora Darkside Books

Você também pode avaliar a obra, vote! .
0 / 5 Avaliações: 0 0

Your page rank:

Compartilhe
Share

Fernando Lafaiete

O que vocês devem saber sobre mim? Me Chamo Fernando Henrique Lafaiete, mas vocês podem me chamar de China. Apelido este, dado pelos meus melhores amigos. Sou viciado em leitura, sou poliglota, auditor de hotel, professor de inglês, fã de fantasia, fã de livros policiais, fã de YA, fã terror e fã de clássicos. Luto ao máximo contra o preconceito literário que alimenta a conduta dos pseudo-intelectuais e sou fã de animes e qualquer coisa que envolva super-heróis. Amo escrever todo tipo de texto, em especial resenhas. Espero que minhas opiniões sejam de alguma valia para todos que tiverem acesso as mesmas. Sou sempre sincero e me comprometo a dividir minhas opiniões da maneira mais verdadeira possível. Agradeço o convite para fazer parte do grupo de resenhistas do site e que minha presença aqui seja duradoura.

0 0 votos
Article Rating
Inscrever.
Notificação de:
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Share
0
Adoraria ver seu comentário ♥x
()
x
%d blogueiros gostam disto: