Mundo das Resenhas
The Wicked + The Divine (Vol 1 e 2): “A reciclagem do tema reencarnação.” The Wicked + The Divine (Vol 1 e 2): “A reciclagem do tema reencarnação.”
4
******************************NÃO contém spoiler****************************** A CADA NOVENTA ANOS DOZE DEUSES REENCARNAM COMO PESSOAS JOVENS. ELES SÃO AMADOS. ELES SÃO ODIADOS. E EM DOIS ANOS TODOS... The Wicked + The Divine (Vol 1 e 2): “A reciclagem do tema reencarnação.”

******************************NÃO contém spoiler******************************

A CADA NOVENTA ANOS DOZE DEUSES REENCARNAM COMO PESSOAS JOVENS. ELES SÃO AMADOS. ELES SÃO ODIADOS. E EM DOIS ANOS TODOS ELES MORREM. O ANO É 2014. ESTÁ ACONTECENDO DE NOVO. ESTÁ ACONTECENDO AGORA. 

Com pluralidade cultural e mitológica, The Wicked + The Divine nos agracia com referências ao mundo pop, trazendo a tona críticas pertinentes a respeito da alienação e veneração desproporcional dos jovens da atualidade em relação aqueles que escolhem venerar. Com um tema já bastante recorrente; como a reencarnação de deuses; a premiada obra de Kieron Gillen e ilustrada por Jamie Mckelvie, apresenta a nós leitores doze deuses que reencarnam no mundo atual como jovens adolescentes astros da música pop. Criticados por alguns e endeusados por tantos outros, precisam lidar com suas iminentes mortes que ocorrerá dois anos após se descobrirem deuses reencarnados. Qual o motivo de tais reencarnações e por que elas ocorrem apenas de 90 em 90 anos?

Os dois primeiros encadernados – The Wicked + The Divine & The Wicked + The Divine: Fandemônio – lançados no Brasil pelo selo Geektopia da editora Novo Século focado em quadrinhos, reúnem os 10 primeiros volumes – 5 cada um – em edições de capa dura. A trama se foca em Laura, uma adolescente fã dos deuses mencionados, que se vê diante de uma oportunidade única; conhecer uma de suas artistas favoritas pertencente do famoso panteão dos deuses. Tudo vira de cabeça para baixo quando todos durante uma entrevista de Amaterasudeusa xintoísta do sol – juntamente com os demais deuses e jornalistas, são atacados por assassinos que acabam sendo mortos por Lúcifer, rainha do inferno da mitologia judaica-cristã.  Durante seu julgamento, Lúcifer erroneamente acaba fazendo uma brincadeira inapropriada com o juiz, explodindo a cabeça do mesmo. Ou pelo menos é isso que todo mundo acredita, mesmo ela jurando inocência. Laura sendo a única a acreditar que sua mais recente amiga é de fato inocente, embarca em uma jornada investigativa com a intenção de achar o verdadeiro culpado.

Os traços e colorização são magníficos, e as referências ao mundo pop, principalmente no visual dos personagens, são bacanas e muito identificáveis. Se inspirando em artistas como Madonna, Rihanna, David Bowie entre outros, a HQ dialoga com perfeição com seu público alvo, apresentando uma abordagem pós-moderna, “reciclando” um tema já bastante conhecido pelas pessoas imersas no mundo geek. Os acontecimentos e revelações são legais e os personagens carismáticos. Contudo, não achei tudo isso que dizem e pra mim foi uma experiência mediana de leitura. Não consegui me apegar emocionalmente com a história e em minha opinião faltou dinamismo e acontecimentos mais frenéticos. Pretendo dar continuidade na série, mais por curiosidade do que por ter gostado como gostaria que tivesse acontecido. Vida e Morte são temas recorrentes que levantam a reflexão sobre vivermos como se não houvesse o amanhã. The Wicked + The Divine é uma HQ cheia de diversidade de todos os tipos; abordando de maneira respeitosa as mitologias que se propõe apresentar. Levando a nós leitores a navegarmos em uma jornada cheia de discussões e mistérios sobre nosso papel no mundo e na vida daqueles que nos cercam.

PRÊMIOS

The Wicked + The Divine foi vencedor do British-Awards como melhor quadrinho de 2014. Foi também nomeado em 2015 para o Eisner Awards nas categorias melhor nova série, melhor artista e melhor colorista. 

Você também pode avaliar a obra, vote! .
0 / 5 Avaliações: 0 0

Your page rank:

Compartilhe
Share

Fernando Lafaiete

O que vocês devem saber sobre mim? Me Chamo Fernando Henrique Lafaiete, mas vocês podem me chamar de China. Apelido este, dado pelos meus melhores amigos. Sou viciado em leitura, sou poliglota, auditor de hotel, professor de inglês, fã de fantasia, fã de livros policiais, fã de YA, fã terror e fã de clássicos. Luto ao máximo contra o preconceito literário que alimenta a conduta dos pseudo-intelectuais e sou fã de animes e qualquer coisa que envolva super-heróis. Amo escrever todo tipo de texto, em especial resenhas. Espero que minhas opiniões sejam de alguma valia para todos que tiverem acesso as mesmas. Sou sempre sincero e me comprometo a dividir minhas opiniões da maneira mais verdadeira possível. Agradeço o convite para fazer parte do grupo de resenhistas do site e que minha presença aqui seja duradoura.

0 0 votos
Article Rating
Inscrever.
Notificação de:
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
Share
0
Adoraria ver seu comentário ♥x
()
x
%d blogueiros gostam disto: