“Um brinde a fitafuso” – Cartas de um diabo a seu aprendiz

Cartas de um diabo a seu aprendiz (C. S. Lewis) - ResenhaE se de fato o diabo existisse e com ele todo conjunto fundamentador da teoria cristã? E mais, e se viesse a tona o lado exigente do senhor das trevas ao descobrir-se que ele prioriza o treinamento de seus colaboradores espirituais por meio de setores especializados que visam a queda do “Inimigo” – Deus –  através de ataques sutis e profundamente avassaladores a sua criação, especificamente, àquela que foi projetada a Sua imagem e semelhança?

Clive Staples Lewis, força geradora de todo mundo de Nárnia, de maneira inexplicável, teve acesso a correspondências entre um mentor e seu aprendiz. No entanto, o mais curioso está no fato de o mentor se tratar do demônio Maldanado/Fitafuso/Parafuso – vide tradução – que por meio de cartas, tenta introduzir seu mais novo aluno, a quem trata por sobrinho, na sutil arte de um “tentador”.

Ao todo, contam-se trinta duas missivas recheadas de observações, repreensões e conselhos de diferentes naturezas aplicados a diversos contextos da existência humana, priorizando o ganho de almas para banquetes e o primordial, afasta-las do Criador. Ignora-se a identidade do indivíduo alvo de “Vermelindo” – o aprendiz -, no entanto, toda sua vida, bem como sentimentos, fraquezas, potencialidades, ideologias, vínculos, a influencia da guerra – sim, temos como contexto a I Grande Guerra – entre outros, são discutidos em prol de convertê-lo para o time do chamado “mestre”.

Embora tomado como um instrumento apologético, “Cartas de um diabo a seu aprendiz “ – tradução do original “The screwtape letters” – é capaz de envolver não somente os adeptos ao cristianismo. Mesmo os não adeptos, são levados a profundas reflexões sobre a espiritualidade humana de maneira racional. Conceitos filosóficos que entremeiam o existencialismo humano como a condição, suas dúvidas, frivolidades, temores, vazios, etc.

De maneira irônica e cômica, Lewis retrata situações e questionamentos que são comuns a cristãos, budistas, mulçumanos, hinduístas, ateus e demais. Daí provém a denominação ecumênica atribuída a seus escritos. Vale lembrar que o próprio autor, por muito tempo, considerou-se ateu, crítico ferrenho da ideia de ligação entre “religiosidade e inteligência”, para ele, a religião anulava qualquer manifestação de ideias lúcidas e inteligentes. A amizade com Tolkien, autor da saga “Senhor dos anéis”, influenciou de maneira consistente nesta mudança de pensamento.

Com o passar do tempo, foi percebendo que grandes pensadores, os quais ele admirava bastante, tinham a religião sempre ao lado e se dedicavam a discuti-la e explora-la como forma de buscar respostas a suas indagações.

Em suma, a experiência pessoal do autor nos faz refletir sobre as diferentes possibilidades de interpretação do mundo, bem como suas bases e projeções. Além do mais, as cartas de “Fitafuso” são, no mínimo, inusitadas, portanto, se não for pela compatibilidade de crenças, leia pela simples e pura curiosidade.

Avaliação:

0 / 5 Avaliação: 5
Compartilhe
Share

Related posts

The Mandalorian

The Mandalorian

Ufa! Finalmente vou escrever algo sobre a série que tanto gostei e curti! Sim, tô ligado que muitas pessoas já revisaram, discutiram e opinaram sobre isso e que você está se perguntando o motivo deu ter demorado tanto para escrever. A resposta é simples, trabalhando demais! Mas vamos logo...

Mulher-Maravilha 1984 | Valeu todo o tempo de espera?

Mulher-Maravilha 1984 | Valeu todo o tempo de espera?

*****************************NÃO contém spoiler***************************** Roteiro: Patty Jenkins, Geoff Johns & David Callaham / Direção: Patty Jenkins Elenco: Gal Gadot, Chris Pine, Kristen Wiig, Pedro Pascal Alguns filmes de super-heróis são feitos para fãs fervorosos, outros...

Bom Dia, Verônica. (Netflix)

Bom Dia, Verônica. (Netflix)

Outro dia estava navegando pela Netlfix depois de ter acordado numa insônia daquelas chatas. E lá estava eu rolando as abas e deslizando pelas menus da plataforma que mais trás séries brasileiras que nos cativam. Então num daqueles clipes antes de cada filme ou série surgiu Bom Dia...

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.