Bordados: A narrativa “intimista”, feminista e necessária de Marjane Satrapi.

(CONFIRA A RESENHA DE “PERSÉPOLIS” CLICANDO AQUI) *** “Não nascemos corajosas, nos tornamos.” A libertação empregada na narrativa intimista construída por Marjane Satrapi em “Bordados” é de deixar qualquer um no mínimo surpreso. Diferente do que encontramos em “Persépolis”, “Bordados” é algo íntimo, dentro de um contexto narrativo limitado, onde experiências sexuais são compartilhadas. Não me

Read more