Título e Capa 5
Escrita / Enredo 5
Originalidade 3
Personagens 5
Final 4

******************************NÃO contém spoiler******************************* Autora: Nic Stone Editora: Intrínseca /  Gênero: Romance YA / Idioma: Português / 256 páginas #NÃOAORACISMO  #DIADACONSCIÊNCIANEGRA #LITERATURANEGRA #MARTINLUTHERKING  Quando abrimos as páginas de qualquer site de notícias ou quando ligamos a televisão e nos deparamos com crimes bárbaros provenientes nitidamente do racismo, não temos como não nos revoltarmos ao pensarmos na ..

Summary 4.4 Incrível
Título e Capa 0
Escrita / Enredo 0
Originalidade 0
Personagens 0
Final 0
Summary rating from user's marks. You can set own marks for this article - just click on stars above and press "Accept".
Accept
Summary 0.0 Ruim

Cartas Para Martin – Nic Stone | Não se faça de daltônico, o racismo existe.

******************************NÃO contém spoiler*******************************

Autora: Nic Stone

Editora: Intrínseca /  Gênero: Romance YA / Idioma: Português / 256 páginas

#NÃOAORACISMO  #DIADACONSCIÊNCIANEGRA #LITERATURANEGRA #MARTINLUTHERKING 

Quando abrimos as páginas de qualquer site de notícias ou quando ligamos a televisão e nos deparamos com crimes bárbaros provenientes nitidamente do racismo, não temos como não nos revoltarmos ao pensarmos na ilógica dessas coisas acontecerem. Quantas pessoas negras são agredidas todos os dias – física ou verbalmente – sem que muitas vezes não nos damos conta disso? É por esses e tantos outros motivos que livros como Cartas para Martin se fazem necessários; pois o racismo existe e precisamos falar sobre ele. Assim como ocorre em O Ódio Que Você Semeia da autora Angie Thomas, no romance de Nic Stone acompanhamos um jovem negro tendo que lidar com o fardo de ser negro em uma sociedade racista. Enquanto tenta ajudar a ex-namorada bêbada a voltar para casa em segurança, Justyce McAllister é abordado de forma agressiva por um policial, algemado e preso – acusado de forma não muito clara –  por tentativa de sequestro, estupro etc (tudo é apresentado por Stone de forma deveras subjetiva).

“Eu tenho o sonho de ver meus filhos julgados por sua personalidade, não pelo cor de sua pele.

 Martin Luther King”.

Com uma escrita bastante simples, a escritora suscita discussões sobre racismo, intolerância, manipulações e distorções midiáticas, e tudo com muita assertividade de alguém que sabia do que estava falando. com personagens carismáticos e com diálogos fabulosos, Nic Stone entrega aos leitores uma obra que revolta, choca, que é dolorosa ao extremo e que deixa a mensagem clara de que precisamos mudar não apenas a nós mesmos, mas também a sociedade a qual fazemos parte. Lutando para ser como Martin Luther King, Jus (como é tratado carinhosamente pelos amigos), desabafa em cartas escritas para quem ele admira e deseja ser igual.

“Nossas vidas começam a terminar no dia em que permanecemos em silêncio sobre as coisas que importam.

Martin Luther King.”

Não é uma leitura das mais fáceis, principalmente se você for negro. Coisas absurdas acontecem em uma sucessão de injustiças sustentadas pela mídia e pela sociedade, com as claras intenções de maquiar o racismo latente que rodeia a todos nós. Afirmações de que o racismo inexiste e que somos todos tratados de forma igualitária, ocorrem no romance de forma tão real, que chega de fato a assustar. Os caminhos narrativos escolhidos por Nic Stone são muito parecidos com os escolhidos por Angie Thomas, e da mesma forma e com o mesmo impacto, nos causam vertigens e nos amortece de forma a nos fazer sentir nojo do mundo que habitamos.

“Eu decidi ficar com o amor. O ódio é um fardo muito grande para suportar.

Martin Luther King”.

Adorei o livro, os personagens e as temáticas abordadas com tanta verossimilhança. Não o avalio com nota máximo, por simplemente não ter me convencido com o desfecho de alguns personagens (não explorarei melhor esta minha percepção para não entregar spoilers), mas indico esta leitura e passo a considerá-la essencial. Em mundo onde muitos adoram se fazer de daltônicos, Cartas para Martin prova que não somos todos iguais e que em pleno século XXI a cor de pele ainda pode determinar o destino de muitos, de forma trágica e muitas vezes irreversível. Infelizmente Martin Luther King tinha razão; aprendemos a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas infelizmente ainda não aprendemos a conviver como irmãos.

Indicações de outras resenhas de livros que você pode vir a gostar:

O Ódio Que Você Semeia – Angie Thomas

A Autobiografia de Martin Luther King – Organizada por Clayborne Carson

E Se Obama Obama Fosse Africano? – Mia Couto

Os Caminhos de Mandela – Richard Spengel

 

Avaliação:

0 / 5 Avaliação: 0
Compartilhe
Share

Related posts

RESENHA DO LIVRO O INOCENTE

RESENHA DO LIVRO O INOCENTE


RESENHA DO LIVRO O INOCENTE

RESENHA DO LIVRO O INOCENTE Após a leitura de um prólogo realizado em forma de retrospectiva da vida de Matt Hunter, que é narrado em segunda pessoa, temos a narrativa feita no presente em terceira pessoa. O Inocente é um thriller tortuoso sobre a vida de Matt, que acredito eu, irá deixar...

CORTE DE ASAS E RUÍNAS – SARAH J. MAAS

CORTE DE ASAS E RUÍNAS - SARAH J. MAAS


CORTE DE ASAS E RUÍNAS - SARAH J. MAAS

O esperado terceiro volume da série best-seller Corte de espinhos e rosas, da mesma autora da saga Trono de vidro. Mais uma vez, Sarah J. Maas não desaponta. Em Corte de asas e ruína, a guerra se aproxima, um conflito que promete devastar Prythian. Em meio à Corte Primaveril, em um perigoso jogo...

Odisseia – Homero | Um presente dos deuses aos efêmeros.

Odisseia - Homero | Um presente dos deuses aos efêmeros.


Odisseia - Homero | Um presente dos deuses aos efêmeros.

******************************NÃO contém spoiler****************************** Autor: Homero / Tradutor: Christian Werner Editora: Cosac Naif / Poesia Épica / Idioma: Português / 640 páginas No céu, os poderosos e ardilosos deuses que astuciosamente manipulam e regem a vida dos mortais...

Deixe um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.